terça-feira, março 06, 2007

Speaking

Tenho um amigo que é filho de ucranianos. Foi criado no Brasil, em São Caetano, onde existe uma parte da colônia que para cá se dirigiu. Em casa falava a língua com os pais. Tem mais ou menos a minha idade. Contou-me que conheceu recentemente uma prima que veio visitar a família brasileira. Ela ria quando os ouvia falar. Aquele vocabulário, a maneira como pronunciavam as palavras, há muito ficara no passado. Isolado em terras tupiniquins o idioma se congelara, estagnara-se, ninguém mais na Ucrânia o utilizava daquela maneira.
Acompanho com interesse a evolução de nosso linguajar. Sei, até pela experiência mencionada no primeiro parágrafo, que novas formas incorporam-se dinamicamente ao dialeto que usamos nas ruas, e é até natural. Recentemente acompanhamos o mau humor generalizado com a forma herdada das centrais telefônicas de atendimento, a grita geral contra a utilização excessiva do gerúndio ainda persiste.
Embora procure ser compreensivo tenho pouca paciência com os abusos que ouço. Não sou conservador. Gosto de novidades desde que não estejam erradas.
As mulheres, muitas delas, deixaram de agradecer com o correto obrigada. Usam agora o jeito masculino: obrigado. Haveria alguma intenção feminista oculta? Ninguém mais refere-se adeqüadamente aos óculos, no plural, preferem procurar "o óculos", além de voltarem de férias "do Estados Unidos". Os mineiros aboliram a forma reflexiva de seu vocabulário, não se sentem mal com alguma coisa, preferem sentir mal com alguma coisa. Hoje ouvi, pela segunda vez, a próxima invenção, o novo sucesso em voga. O instrutor, na academia, disse-me:
- Você não deve esforçar esse músculo.
Haja esforço!

7 comentários:

anna disse...

"esforçar esse músculo" dói. no ouvido, isso sim.
por outro lado, gosto da forma que os jovens se comunicam no msn. as simplificações, a rapidez. apesar de muitos censurarem a prática achando que tão escrachando o português,vejo que (tenho 2 provas em casa) a leitura vai bem, obrigada, e a escrita formal também.

Lord Broken Pottery disse...

Anna,
Também acho que a moçada tem lido. Uma de minhas sobrinhas devora livros do mesmo jeito que os tios devoravam. O MSN tem linguagem própria, é outro código, espécie de taquigrafia que nossos avós usavam. Acho um barato, embora muitas vezes tenha dificuldade em entender, ou me canse com a leitura.
Kisses

valter ferraz disse...

Lord, atendo-me aos primeiros páragrafos: isso mostra que alíngua é um organismo vivo, que muda e adota os mecanismos do momento, adaptando-se às mais diversas situações, eu acho.
Agora esses modismos feito msn e quetais, são passageiros. Apenas um código, coisa de muleke mesmo.
Um abraço

Ery Roberto disse...

Lord, ainda ontem ouvia no rádio uma entrevista com um professor de língua portuguesa e ele, brilhante estudioso da evolução do idioma, dizia a respeito deste tema. Por exemplo, abordou, a palavra "customização", tão em voga nos processos empresariais, vem de um verbo inglês. Significa "personalizar". E aí completava: "E por que as pessoas não usam 'personalizar' que é tão mais fácil? Ao final completou afirmando que se as pessoas soubéssem da beleza e da amplitude da nossa língua, não contribuiriam para a sua despersonificação. E como esta palavra, existem muitas, muitas outras. // Pensei que era somente eu quem "odiava" o linguajar gerúndico. Arre! Abraços.

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Também não sou muito afeito a modismos. Não me sinto, aliás, confortável no MSN. Escrever requer calma. É necessário que pensemos sobre o que vamos dizer, procuremos a melhor palavra, o jeito mais adeqüado de formular o pensamento.As idéias nem sempre vêm rápido. No MSN fico nervoso, não sei escrever nas coxas.

Eri,
Trabalho com informática (transmissão de dados). Há muito tempo lido com palavras como: "customizar", "deletar", "startar" e "emular". Você já reparou como atualmente as palavras também entram na moda? Já estou ficando cansado de tanto ouvir "emblemático". Hoje em dia tudo é "emblemático".
Abraços

valter ferraz disse...

Lord, aliás êsse comentário seu foi bem emblemático, customisa êle vai?

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Startarei sua sugestão.
Big hug