segunda-feira, março 26, 2007

Shadows

Há algum tempo tenho televisão a cabo, sou assinante da Net. Embora crítico com relação à programação, questionando sempre o custo-benefício da mensalidade que pago, acho que pesando os prós e contras ainda está valendo a pena. É nas tardes de domingo que usufruo melhor a liberdade de prescindir dos canais abertos. Posso ficar longe do Faustão e de toda porcariada impingida à maioria dos brasileiros.
Ontem assisti a um programa popular no reino britânico, na BBC, canal 59. O tema era a guerra no Iraque. Presentes políticos, ex-governantes, secretários de estado, delegados da oposição, autoridades estrangeiras, representantes religiosos, estudantes, gente de todo o tipo e credo. Um mediador e o microfone circulando pelo auditório. Perguntas, respostas, debate.
Algumas coisas me chamam a atenção freqüentemente nesse programa. É semanal, há sempre um assunto a ser discutido e isso desperta a atenção, tem audiência. O interesse faz com que esteja na grade da emissora há séculos. O primeiro escalão do governo comparece obrigatoriamente junto com seus shadows. Aí está o que acho mais incrível. Após as eleições são formados os gabinetes com seus secretários (nível de ministro). Governo e oposição ocupam suas respectivas funções. Existe, por exemplo, um secretário da defesa e o correspondente secretário de defesa shadow, que é o encarregado de criticar os erros dessa pasta. É como se para cada ministro do Lula, houvesse um do Alckmin encarregado de fazer oposição. Dá para imaginar isso aqui?
Lá é assim. Os governantes são obrigados a dar entrevista, respondem à população, à imprensa, discutem em público suas atribuições. Tony Blair, semanalmente, é sabatinado no parlamento. Deverá, em setembro de 2007, ser substituído por Gordon Brown, já que o povo se cansou de suas mentiras.
As vezes eu tenho muita inveja do primeiro mundo.

8 comentários:

valter ferraz disse...

Caro Lord, para vc ver como ão as coisas. Quando morava no Capão Redondo eu tinha NET na minha casa. Quando aluguei a casa já tinha um cat/net instalado. A Rua toda tinha, aliás o bairro todo. A operadora deixou de desligar pois não adiantava. No máximo bloqueava o sinal dos canais de sexo, um ou outro premium. No total eu tinha em casa uns cinquenta canais. Às vezes um filme, ou programas de entrevistas na GNT me salvavam da programção ruím da TV aberta.
Aqui que posso pagar a NET não vem.
Bom, mas o assunto era outro. Acho que isso que vc mostra de lá, dificilmente chegará até aqui, porque nosso nivel de envolvimento político não chega a tanto. Nem a experiência do parlamentarismo aqui acho que daria certo. Gostaria de estar enganado mas essa vocação para terceiro mundo está arraigado na gente e parece não sair tão fácil. Uma pena, pois vamos arrastando indefinidamente o peso de nossas escolhas.
Tem horas que desanima, procurar a saída e não encontrar. Ver coisas que dão certo em outros lugares e aqui não.
Um abraço

ery roberto disse...

Lord, Collor já está treinando para ser o "shadow" de Lula, com a permissão deste. Aqui não cabe o primeiro mundo meu caro.

peri s.c. disse...

Lord, aqui o conceito de shadow é um pouco diferente : os detentores do poder e seus aspirantes operam nas sombras.....
Precisaríamos algo com outro nome e função, talvez " spot light", fosse mais apropriado.

O Meu Jeito de Ser disse...

Lord, entre sentar diante de uma televisão, prefiro uma boa caminha à beira mar, nas tardes de domingo.
Agora, primeiro mundo, não faremos parte mesmo,porque o brasileiro quer que seja assim. Quando tem a chance de mudar alguma coisa, não está preparado prá isso, faz "caca". É mais fácil, olhar e desejar o modelo do vizinho, a casa do vizinho é sempre melhor que a nossa né?
Vamos continuar esperando que "eles" mudem alguma coisa?
Pois então vamos esperar muito, e com certeza não veremos o resultado que queremos ver.
Um beijo

Eduardo P.L. disse...

Lord, esta longe e chegar lá requer EDUCAÇÃO. Já falamos sobre isso. Mas não custa repetir!

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
O pior desânimo é quando volto de lá. Dá vontade de sair correndo. Um dia escrevo sobre isso.
Abração

Ery,
Muito bem observado. A única diferença é que o Collor é amigo do Lula, faz parte da base aliada, não dava para ser shadow. Até que se sairia bem pois fez um governo de sombras. É que poucos lembram nesse nosso país sem memória.
Grande abraço

Peri,
Já nem sei se operam nas sombras. O descaramento é tão grande, as falcatruas tão feitas às claras, que shadow fica supérfluo.
Abraço

Aninha,
Também prefiro a caminhada, infelizmente sem mar. Aos domingos saio de manhã para caminhar, correr, fazer meus exercícios. Depois, é o dia que libero para comer tudo o que gosto, sem restrições, fico modorrando em frente à televisão. Nem sempre estou disposto para futebol, zapeio procurando alguma coisa diferente. É difícil achar. O bom é que dá para esperar sentado.
Beijão

Eduardo,
É incrível como acabamos voltando sempre ao mesmo assunto. Educação é nosso principal problema.
Abraço

Mani disse...

Eu tenho a mesma sensação, às vezes. Noutras vezes, suspiro, e mudo de canal...

Lord Broken Pottery disse...

Mani,
Haja suspiro...
Beijo