sexta-feira, março 02, 2007

I Don't Have An Inkling!

Escrevi outro dia sobre o assunto mas não me aprofundei. Tendo vivido em um meio onde a literatura esteve cotidianamente presente, e convivido desde cedo com escritores, estranho o fato de só muito recentemente ter ouvido falar em Tolkien.
Meu pai, sempre ágil em indicar-nos as primeiras leituras, aparentemente ignorava o criador de The Lord of the Rings. A questão é se propositalmente.
Vivemos anos ditatoriais no país. Houve época em que a esquerda era muito mais sectária do que hoje. O ressentimento por tudo o que acontecia revelava-se em um julgamento muitas vezes precário, onde a posição política do autor interferia na visão que tínhamos sobre sua obra. Escritores maravilhosos como Jorge Luis Borges e João Guimarães Rosa, considerados de direita, foram, pelo menos em minha casa, observados com certa má vontade.
John Ronald Reuel Tolkien viveu de 1892 a 1973 e era tido como o pai da moderna literatura fantástica. Muito amigo de C.S. Lewis, criador das Crônicas de Nárnia, fundou com ele o grupo literário The Inklings, em Oxford. Desse movimento anti-modernista, e com fortes características míticas, faziam parte outros escritores como: Charles Williams, Owen Barfield e John Wein.
E então, o que teria feito Tolkien ser ignorado por tanto tempo, questões políticas, estéticas, preconceito religioso? Nasci em 1954. No final da segunda guerra a obra do escritor britânico já estava pronta. Qual a razão de não ter tido o prazer, em minha juventude, de travar conhecimento com os hobbits? Adoraria se alguém me ajudasse a desvendar esse mistério.

12 comentários:

jayme disse...

Tolkien parece mesmo ter sido uma dassas descobertas tardias (ou resgate?). Talvez a explicação esteja justamente no tipo de filiação político-ideológica que ele tinha ou lhe era atribuída.

Lord Broken Pottery disse...

Jayme,
É também a minha impressão. Incrível como toda a espécie de preconceito pode ser perniciosa.
Abraço

valter ferraz disse...

Lord, talvez tenha tido uma dose de preconceito por parte dos editores quem sabe, ou a crítica da época também não se interessou muito. Somos contemporâneos, praticamente tivemos acesso às mesmas fontes, também não lí Tolkien naquela época, não me veio às mãos. Agora tardiamente também não me interessou. Perco?
(Me deculpe uma observação: nos teus comentários não há um link para o teu blog. É proposital? A primeira vez que estive aqui, precisei procurá-lo nos blogues amigos).Abraço forte

peri s.c. disse...

Mas Tolkien foi muito lido nos States,pela geração dos hippies, não?
Éramos impermeáveis à época. Assistir Woodstock no cinema foi um impacto.
( quanto ao link, é fato, só descobri
seu endereço, acidentalmente, via sitemeter. Um longo soft-opening ? )

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Com relação à sua pergunta, boa por sinal, não acho assim tão fácil de responder. Perde-se não lendo Tolkien? Para quem gosta de literatura fantástica, está envolvido com livros infantis e juvenis, com eu, é referência importante. Seria literatura? Não, acho que não.

Peri,
É fato. Foi muito lido pelos hippies americanos. Li uma entrevista dele certa vez, onde reclamava de ligações interurbanas feitas por caras completamente drogados, na maior viagem, no meio da madrugada, sem que se dessem conta da diferença de fusos.

Quanto a observação dos dois, considero-me o maior ignorante nas artimanhas que devem ser conhecidas por um blogueiro. Um amigo, casado com uma prima, blogueiro dos bons (blog do Branco Leone), produziu a maior parte do meu blog. Eu só sei entrar e escrever.

valter ferraz disse...

Então Lord vamos lá: quando vc responder ao comentário ou fizer um comentário no blog de alguém, basta completar o campo: URL, começa sempre por "http",etc,etc.
Bom, daqui prá frente é contigo.
Grande abraço

Anônimo disse...

Lord,
Sabe porque Tolkien não foi lido na época que você achava que deveria ter sido lido. Não é porque o editor era de esquerda, centro ou direita não. É porque Tolkien , o Senhor dos Anéis, por exemplo, é muito chaaaatoooo!
Sorry and kisses, Lady Madonna

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Espero ter conseguido criar o link. Vejamos...

Lady,
Discordo veementemente!
Kisses

Ticcia disse...

Tenho adorado suas visitas. Espero que Timbuktu te diga tanto (faça sentir tanto) quanto fez/disse a mim. É o livro do Auster de que mais gosto. Beijos.

Lord Broken Pottery disse...

Ticcia,
É o que mais quero nos livros: que me façam sentir.
Kisses

valter ferraz disse...

Lord, o link está direcionando para teu perfil que não está disponível. Duas opções: ou torna o perfil disponível para todos(é só marcar na guia editar perfil) ou direciona o link para o blog, direto. Acho que na guia Definições tem essa opção.
Abraço

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Acho que tirei o perfil.
Abraço (e obrigado!)