quarta-feira, abril 18, 2007

National Anthem

O assunto é polêmico. Provavelmente muitos irão discordar. Ótimo, discutir é uma das melhores coisas para a nossa saúde. Desde que respeitemos certos limites, sem excessos que prejudiquem o coração, exercitar a argumentação faz bem. Tenho forte convicção de que acalorados debates combatem o mal de Alzeimer. Chequei a imaginar academias onde fôssemos para fortalecer o cérebro. Ao invés de esteiras, pesos, bicicletas e espelhos (principal aparelho de fortalecimento muscular), existiriam salas de pelejas. É claro que seriam mantidos os espelhos. Deve ser interessante nos analisarmos enquanto defendemos arduamente opiniões.
Entrando propriamente no assunto dessa postagem, declaro minha paixão por futebol. Peço àqueles que me visitam um pouquinho de paciência. Juro que não irei discorrer sobre o nobre esporte bretão.
Acompanhei atentamente a maioria dos jogos do campeonato paulista. Por determinação da Federação Paulista, não sei se por lei ou apenas média da entidade, o Hino Nacional tem antecedido os embates. É claro que não tocam inteiro, ninguém agüentaria ouvir a canção toda. Os importantes compositores Francisco Manoel da Silva e Joaquim Osório Duque Estrada que me perdoem, mas o hinozinho que fizeram é danado de ruim. Por definição, a maioria dos dicionários contempla, hino é um canto solene em honra da pátria. Onde está a solenidade da marcha Ouviram do Ipiranga? Como honrar a pátria se a maioria não entende o sentido das palavras? É curioso ver os jogadores perfilados, mão no peito, repetindo de olhos fechados, cheios de amor cívico, os versos que ignoram. Alguém aí sabe o que é "florão da América"?

23 comentários:

Vivien disse...

Eu tenho muitas ressalvas quanto ao patriotismo. Dependendo do nível e do tom, cai em um xenofobismo perigoso, inspiração de muitas guerras.
Talvez uma vertente interessante para o patriotismo fosse compreendê-lo como um sentimento que ligasse os cidadãos, algo que unisse culturalmente, sei lá.
Para isso, compreender as palavras é fundamental: caso contrário fica isso que vc descreveu, um ritual praticamente vazio.

Lord Broken Pottery disse...

Vivien,
Bem descrito: um ritual praticamente vazio.
Beijo

valter ferraz disse...

Lord, a origem dos hinos nacionais nos jogos creio que vem lá da terra que tanto amas, sim a Inglaterra. Para dar um sentimento de peleja, embate criaram o costume de colocar o jogadores perfilados(quase em posição de sentido!) mão ao peito e cantando heroicamente o hino de guerra.
Algo que soa meio demodée nos dias de hoje em que cada um luta por sua sobrevivência e dane-se o mundo, que não me chamo raimundo!
Os jogadores hoje não têm nenhum amor ao país, pátria etc, estão interessados em visibilidade, isto sim.
Bem, florão da América soa para mim comoi se fosse um distintivo, sei lá. Algo que destacasse a América no mundo.
Os criadores do Hino Nacional rezavam pela cartilhas do positivismo, não?
Um abraço grande

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
A diferença é que o hino deles é hino. Música simples, palavras que envolvem, nada de verborrágico e mau gosto como o nosso. Positivismo? Talvez esteja aí o começo inadequado de tudo.
Grande abraço

Helga disse...

Lord, vai me perdoar, mas eu amo o nosso Hino Nacional.
Numa fase da escola fizemos uma análise do texto, justamente para entender a letra, e até hoje eu a sei inteira e me orgulho do nosso hino, coonsidero-o um dos mais belos do mundo.
De verdade.
Ahhh, florão da América quer dizer que o Brasil é o enfeite do continente, rsrsrsrs.
beijos

O Meu Jeito de Ser disse...

Lord meu amigo, acho que eles cantam o hino nacional com a mão no peito, assim como um condenado à morte reza o pai nosso, se lhe derem tempo prá isso, e mandarem que o façam.
Um beijo

peri s.c. disse...

"Uvirum du" . Pronto, ferrô.

valter ferraz disse...

Peri, muito bem lembrado. Os virunduns!

Eduardo P.L. disse...

Lord, o nosso hino e bandeira, que me desculpe a Helga, são um desastre!Não conheço letra e musica dos outros países, mas não podem ser tão cafonas como os nossos!E se forem, são cafonas também! Não era isso que você queria?

Mani disse...

Meu Lord,
estudei em escola pública, e nas sextas a gente ficava no pátio, vendo a bandeira ser hasteada e cantando hino nacional, com a mão no peito, ou colocadas respeitosamente atrás...Ainda hoje, ao ouvir o hino, me sinto emocionada

Sibila disse...

Sabe q durante a copa de 2006 fizeram, quem não sei (daria uma ótima jornalista!), mas fizeram uma enquete e o hino do Brasil foi considerado o mais bonito, inclusive à frenre do francês!
Pra mim, o melhor: "Agora quem dá bola é o Santos! (...)" Eu sei inteirinho q não é tão gde assim tb não é? Então: SAAAAAAANTOS!

GUGA ALAYON disse...

"florão da América"?

sempre pensei que fosse:

" Coitado eternamente de bruço esplênico,
Ao som do bar e à cruz do fel profundo,
Falcatruas, ó Brasil, bobão da América,
Fulminado ao som do Fim Imundo! ".

Vir vendo e apre endendo, como diria o caro boczon.

GUGA ALAYON disse...

sibila, é que o hino do Santos é tão feio que fizeram essa musiquinha bunitinha no lugar.

lord, antes de mais nada acho o hino do meu time, são paulo, mais feio ainda. Quase esqueci q vc é santista, se não me engano.

anna disse...

qdo garota, época da ditadura e colégio público, fui suspensa 3 dias porque tava dançando, bem de levinho, durante o hasteamento da bandeira acompanhado do hino nacional.

ô lord, eu gosto do hino. acho bonito. fico emocionada quando cantado no campo antes do futebol.

Sibila disse...

Em termos de hino nós aqui de São Paulo tamo mal. O Rio, sempre o Rio. Então, do Lamartine Babo, os do Flamengo, "Uma vez, Flamengo, sempre Flamengo..."; e do Flu, "Sou tricolor do coração, sou do clube tantas vezes campeão". Desse gosto demais! Mta gente acha q é injúria torcer pra 2 times, pois eu sou aqui Santos e no Rio Flu. No embate entre ambos, ambos. É mentira, Saaaaantos!

denise disse...

Duvido que você queira saber o que é "florão da América", mas uma idéia me ocorreu: Seria possível um plesbicito pra se mudar o Hino Nacional? Vou pra fogueira?....
O pior é que colocam questões de interpretação do Hino no Vestibular...
abraço, garoto

claudio boczon disse...

Denise, no gobierno del mariachi Sarney começaram um movimento para mudar letra e música do hino, teve um maestro de Brasília, Jorge Antunes (pioneiro da música eletro-acústica no Brasil) que, juntamente com Reynaldo Jardim toparam a empreita e venceram o concurso, mas o quê saiu era algo tão enfadonho e fake que, benzadeus, ninguém de bom senso levou adiante.

Discordo de quem não gosta de nossa bandeira e hino, afinal, são parte de nossa história e quando foram feitos expressavam o contexto de sua época, tanto da estética visual e simbólica quanto musical e poética. Por mais estranhos que nos pareçam agora, temos que respeitar e valorizar nosso passado, não tem tantos por aí que choramingam o Brasil ser um país sem memória?

A propósito, aqui em Curitiba tem um templo positivista, com reuniões semanais onde ainda professam o credo deles. É tacanho, mas e daí?

Poderia dizer que a gente acha a grama do vizinho sempre mais verde, mas o caso aqui seria mais com listas brancas e vermelhas sobre fundo azul que o nosso.

"Anauê, Pindorama!"

valter ferraz disse...

Lord, viu como o assunto é interessante? Gostei do que o Cláudio Boczon disse. Às vezes nossa mente colonizada fala mais alto e só ficamos vendo a grama do vizinho. Nestes assuntos culturais por exemplo, somos mestres.
Acho que aquestão do Hino Nacional, representava um pensamento da época e agora fica um negócio meio esquisito querer mudar. Depois, mudar para o quê por exemplo. Acho que tudo soaria fake no final das contas.
Abraço

peri s.c. disse...

É o Boczon tem razão para mudar o hino seria interessante refundar o país...sempre uma idéia.

Pensando bem, a compreensão da letra é relativa, o povo pode cantá-la alegremente ( incorporando o espírito patriótico ) e sem entender picas, assim como canta e curte, também sem entender picas, as músicas importadas de sucesso.

Lord Broken Pottery disse...

Helga,
Benvinda! Desculpe-me discordar, acho nosso hino o fim.
Beijão

Aninha,
Concordo. Condenados a viver aqui e a ouvir o Ouviram...
Beijão

Peri,
Já nasceu ferrado...
Abraço

Valter,
Bem lembradíssimo!

Eduardo,
Exatamente. Não critiquei a bandeira para não acharem que era questão de mau humor.
Abraço

Mani,
Isso era reflexo da ditadura. Hino, bandeira asteada, mão no peito, aula de Moral e Cívica, só faltava o Mussolini. Acho que sentimos saudade da época, não dos símbolos.
Beijão

Sibila,
O hino do Santos é muito mais bonito e significativo. Quem achou o nosso mais bonito que a Marselhesa é louco.
Beijão

Guga,
Belíssima versão!
Abraço

Guga,
Feio é o hino do São Paulo.
Abraço

Anna,
Sentimos saudade da infância, nos emocionamos por amarmos nossa terra, e esquecemos da falta de gosto do hino.
Beijão

Sibila,
Você tem razão. Os do Rio são lindos. "Uma vez Flamengo, sempre Flamengo..."
Beijo

Claudio Boczon,
Seja benvindo! Tambvém acho complicado mudar o hino. Não foi essa a minha proposta embora, em princípio, eu a apoiasse. Respeitar a nossa história é fundamental. Acho, porém, que temos hinos melhores e com letra mais significativa e simples. O da Independência, com letra do Olavo Bilac, por exemplo:
...
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil...

Grande abraço

Valter,
Rebati aí em cima.
Abraço

Peri,
Não deixa de ser uma idéia.
Abraço

Serbão disse...

ninguem cantou Virunduns ainda???

Guga, também sou tricolor. o hino é feio mas o time só dá alegria pra gente...

Lord Broken Pottery disse...

Serbão,
Tá quase na hora do jogo logo cantarão o Virunduns.
Abração

GUGA ALAYON disse...

serbon, dava...