sexta-feira, agosto 03, 2007

Magic Words

Recebi recentemente da amiga MEG, do Sub Rosa (flabbergasted), um cumprimento diferente. Mandou-me, ao final de um comentário, "beijos temperados". Aquilo me fez voltar no tempo e tenho, desde então, viajado um pouco. O contexto dizia respeito à minha capacidade de ferver sobre cobertas muito quentes.
Sou um apaixonado pelas palavras e pelos sentidos que elas podem ter. Nesse momento escrevo olhando o passado. Transformo-me. Volto a ser menino em férias no Rio de Janeiro. Minha tia Helena e meu bisavô Américo me recebiam com festa. Em poucos lugares me senti tão querido. O desejum era especial. Faziam o que eu pedia. Adorava ovos quentes, moles. Molhava o pão fresquinho no creme dourado e me fartava, com delícia. Se o café com leite estava muito quente, a fumaça denunciando o excesso de calor, minha tia sempre sorrindo, com um carinho na voz que não mais ouvi repetido depois de adulto, oferecia:
- Quer que tempere?
Nunca mais ouvi essa expressão. Embora comum em Maceió, nordeste, terra desses meus tão queridos parentes que já partiram, é rara aqui no sul. A assepção que guarda o significado de abrandar, amornando aquele líquido, é pouco comum por nossas plagas.
Quando li "beijos temperados", gradativamente fui recuperando esse sentido distante, quase perdido em minha memória afetiva. As palavras são mágicas.

49 comentários:

O Meu Jeito de Ser disse...

É verdade Lord, as palavras são mágicas.
Já te disse que muitas vezes ao chegar aqui e ler algumas palavras ditas por você, me transporto também à minha infância.
Uma série delas só vejo aqui, nunca mais tinha ouvido falar.
Temperar o café é uma delas, assim como escolher a salada, era o ato de retirar as folhas de verduras boa para o consumo e lavá-las, deixar pronta para serem ingeridas.
Entre outras que agora não me ocorre, mas como você disse, e eu concordei lá no início, é que as palavras tem o poder de nos transportar.
Isso as vezes acontece com uma música também, basta ouvi-la, para viajarmnos e voltarmos a viver sensações já vividas.

Obrigada pelo prêmio.
Vou postar. Talvez amanhã.
Um beijo

Lord Broken Pottery disse...

Aninha,
Bom que você tenha gostado. O prêmio foi merecido.
Beijo

Anônimo disse...

lord, pelos seus textos só posso concluir que as palavras são suas amigas.

anna

Lord Broken Pottery disse...

Anna,
Se retribuirem um pouco do carinho que tenho por elas já estarei bem.
Beijão

Ricardo Rayol disse...

Como sou um bicho tosco eu teria um outro entendimento. :-)

Van disse...

Lord...
Sim! "As palavras são mágicas"
As tuas então...... Mais ainda!

Biajoni disse...

tipo CRAVO TEMPERADO?
:>)
e aí, leu?
:>*

Eliana disse...

palavras são mágicas e nunca se perdem, imagens são representações e envelhecem, morrem ou mudam de endereço

Lord Broken Pottery disse...

Ricardo,
Como já disse antes, você se subestima.
Abração

Van,
Estou em falta com você, na correria.
Grande beijo

Biajoni,
Pretendo ler nesse fim de semana. Comentarei na segunda lá no seu blog, prometo.
Abração

Eliana,
Assino em baixo.
Beijo

valter ferraz disse...

Lord,
Palavras têm textura, gosto e cheiro. São palpáveis também. Sinto-as assim, como coisas vivas. E, para espanto meu vejo que essa sensação táctil também te acompanha. Por vezes perco o sono e para não acordar a Aninha que precisa descansar, fico alí na cama, imóvel e o passatempo preferido nessas horas é brincar de sentir as palavras. Escolho uma que me venha à cabeça e fico construindo frases possíveis com ela. Viajo, procuro um sinônimo, faço um esboço. Pela manhã levo-a comigo e guardo num "arquivo" especial.
Beleza de texto.
Abraço temperado, mano

Eduardo P.L. disse...

Lord, palavras são palavras, MÁGICO é você! Faz delas essas crônicas deliciosas.

Parabéns, e bom fim de semana!

Abraços

Adelino disse...

Lord e Valter, um cronista/escritor que adora jogar com as palavras é o Artur da Távola, não sei se conhece os livros dele. São excelentes.

Lord, eu me lembromuito do uso da expressão "água temperada" para um banho, ou seja, "quebrada a frieza" (lembra desta?)

Grande abraço

Vivien disse...

Quando ouvi que alguem estava temperando o banho, achei engraçado...imaginei uma banheira cheia sde temperos...hehehe
Gostei da expressão.

Meg (Sub Rosa) disse...

OMG!!!
Oh milord!
What a de-lovely post, adorable text
I'm speechless.
Touched and speechless.
Really speechless.
Thank you so so very much.
yours
Meguita.

Marion disse...

As palavras temperam nossa vida. A palavra escrita é especial porque é de certa forma eternizada. A palavra falada pode por vezes emocionar mais, mas se perde no mesmo instante que foi dita...
Adorei as expressão beijos temperados , como gostei do seu canto... cheguei aqui através do blog da Vivien, chegou em meu blog através do blg de uma amiga em comum.
Voltarei mais vezes! :)

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Talvez iso seja mania de escritor.
Abração

Eduardo,
Elas é que são mágicas. Nos tomam pela mão e nos ajudam demais.
Abraços

Adelino,
Conheço pouco o Artur da Távola. Apenas alguns ecos na memória. Lembro de ouivir minha avó perguntando se queria que temperasse a água do banho. Bons tempos...
Grande abraço

Vivien,
Também me pego, freqüentemente, com essas idéias. Mesmo com relação aos beijos temperados, não pude me furtar de imaginá-los um pouco mais apimentados do que o comum.
Beijão

Meg,
My dearest Meg, You're always lovely!
Kisses

Marion,
Já fui visitá-la no Marion E Sua Vida, coloquei um link aqui do lado, voltarei mais vezes. Obrigado pela visita. Também acho que a palavra escrita se eterniza.
Beijos

Clélia Riquino disse...

(...) “Se o café com leite estava muito quente, a fumaça denunciando o excesso de calor, minha tia sempre sorrindo, com um carinho na voz que não mais ouvi repetido depois de adulto, oferecia:
_ Quer que tempere?
Nunca mais ouvi essa expressão. (...)”


Caro Lord,

Como você, também sou apaixonada pelas palavras, seus significados e sua magia! Adorei este post, nostálgico, recuperado por sua memória afetiva (as tais histórias, que você teme perder, como disse em meu blog).

Grata pelo link. Voltarei mais vezes pra te ler...

beijo temperado (se a Meg me permitir também o uso da expressão),
Clélia

Lord Broken Pottery disse...

Clélia,
Sua visita me faz feliz. Seguiremos trocando o que temos de melhor: palavras.
Beijo carinhos

marilia disse...

Lord, dizem que os mineiros adram encurtar as palavras ou mesmo inventa-las...aqui , a gente diz : -" deixa a mãe assoprar'..., que fica bom.."
assoprar, que dizer soprar o cafe pr'ele ficar menos quente.....
quanto a magia da palavras...ah, quem nunca recebeu bilhees ou recados com palavras magicas é porque nunca viveu...
quanto as suas eu as acho mais realistas, nos mostram a magica da vida... ainda estou marcada pelo texto do seu pai...
rsss bjos e bom fim de semana!

Cristiane disse...

Caro amigo Lord,
Ler-te é sempre um agradável presente sabia?
Esse texto de hoje me fez lembrar de uma grande pessoinha que hoje tem 98 anos...minha tia avó materna, Tia Carmelita...é viva e ágil demais para toda sua idade e usa frequentemente essa expresão, ela mora aqui pertinho, em Volta Redonda (cidade vizinha, colada), e sempre que vamos lá vê-la é uma festa, ela adora ver a sobrinhada em volta dela...boas lembranças, ela é um pedacinho do passado que está conosco, um pedaço raro e tão único...

Quanto a Mário Quintana, o que vale é que mesmo depois da morte dele você vem conhecendo-o, é o que verdadeiramente importa, e não pare, mergulhará em uma obra belíssima, e sem igual em sua simplicidade e ternura...
Fiz o encerramento da semana ontem à noite, quando der passa lá e confira, ficou legal...
Um bom fim de semana amigo, beijo, Cris
P.S.: Parabéns pelo prêmio, sem dúvidas você o merece!

Claudio Costa disse...

Cada palavra reverbera de forma especial e única dentro de cada um. Eis o mistério: como posso dizer a você o que sinto se as palavras escolhidas têm um "tempero" especial para mim, que será - necessáriamente - diferente do seu? Ah! eis o mistério da arte poética (e seus posts, caro Lord, muitas vezes são poesia em prosa). Para mim, "ovos quentes e moles" remeteram-me igualmente à infância, minha avó...
Taí o efeito poético: estabelece-se um espaço transicional entre sua vivência e a minha. Comungamos por um momento.

Clélia Riquino disse...

Lord,

Gostaria que você lesse & ouvisse uma poesia do Paulo César Pinheiro, lá no meu blog.

bjo,
Clélia

Anônimo disse...

As palavras são caixinhas de surpresas. Não tenho facilidade para bincar com elas, mas admiro que tem essa habilidade.Lembrei-me do banho temperado também, que minha mãe usa até hoje.
abraço, garoto

denise disse...

O anônimo sou eu, Ricardo,
denise

Lord Broken Pottery disse...

Marilia,
Gosto de jeito que os mineiros têm de falar. Cada lugar, com sua característica, música. Gaúchos, paranaenses, paraenses, cariocas e paulistas, todos com seu jeito, despertando-me um grande carinho. As palavras soando diferente, significados diversos. Somos assim.
Beijo

Cris,
Achei muito bem colocado, e me interessou profundamente, essa coisa de pessoas guardando o passado, sendo parte viva dele. Mereceria até um post. Viajei nessas palavras.
Grande beijo

Claudio,
Gostei do uso da palavra comungar. É precisamente o que fazemos quando nos identificamos, quando sentimos a emoção que o autor quer passar. Comungamos com ele. Às vezes, como no caso dos "ovos moles quentes", a transposição é quase que imediata, conseguimos sentir melhor a sena, em perfeita comunhão. Por isso ler pode ser tão especial.
Grande abraço

Clélia,
Estou indo lá. Gosto muito dele.
Beijo

Denise,
Você ensina, possibilita que brinquemos com as palavras.
Beijão

lulu disse...

Minha mãe temperava a água do meu banho...

saudades também.

cõllybry disse...

Ummmmmm, sempre bom temperar com um pedaço de amizade....

Deixo o meu num doce beijo

Maria Helena disse...

Lord,
minha mãe e minhas tias( cariocas)
usavam muito essa expressão, temperar o café, temperar o banho.
Trabalhar as palavras é uma arte, e vc é mestre.
Beijão

Claudia Lyra disse...

Tem palavras que são uma delícia de ler, ouvir, falar... me lembra algumas crônicas do Veríssimo, ele fala bastante disso.

Lord Broken Pottery disse...

Lulu,
Curioso. Atribuí o uso do termo temperar ao regionalismo, parece-me agora ser mais uma questão de tempo. Talvez seja uma palavra que esteja caindo em desuso no sul.
Beijo

Cõllybry,
Outro beijo doce pra você.

Maria Helena,
Obrigado, você é minha amiga.
Beijão

Claudia,
Bem lembrado, o Veríssimo aborda mesmo o tema freqüentemente.
Beijo

fermarpin disse...

Tem também "O cravo bem temperado", de João Sebastião Bach (48 prelúdios e fugas em todos os tons maiores e menores)
Fernando

fermarpin disse...

Já todo o mundo esqueceu ?
"Donde vais você ?...
"Vou navegando...
"Vou temperando...
"Pra baixo todo o santo ajuda,
"Pra cima a coisa toda muda !"
---
Já ninguém canta isso aí ?
Não ?
(Brasil !... BRASIL ! Meu Brasil brasileiro !)
---
Fernando

Van disse...

Em falta comigo? Tá não, querido!
"O correr da vida embrulha tudo" mesmo!
Estou e sempre estarei por aqui.
Quando puder, apareça.
Beijuca

claudio boczon disse...

Muito bem lembrada a obra do João Sebastião, mas não podemos olvidar das Spice Girls que, se não me engano, também são da preferência do estimado Lord.

Lord Broken Pottery disse...

Fernando,
Muito bem lembrado. Tentei achar o endereço do seu blog (você tem?) e não consegui. Gostaria de retribuir a visita.
Abraço

Van,
É por isso que você é tão especial.
Beijo

Claudio,
Não espalha!
Abração

fermarpin disse...

Resposta a
LORD BROKEN POTTERY :
Não tem segredo, fermarpin é Fernando Marques Pinheiro (não era dificil adivinhar...) e o cara não tem blog mas pode ser econtrado em fmarquespinheiro@gmail.com
Cuidado ! Quando se lhe estende a mão ele agarra no pé também.

Lord Broken Pottery disse...

Fernado,
Abração!

marilia disse...

Lord...boa tarde...rsss
vc não esta velho não....
eu é que sou muito irreverente...
ficante + aquele bom amigo e comapnheiro, com quem a gente vai ao cinema, toma vinho, ler jornal sabado a tarde ou durante o dia no bar de sempre, com que a gente conversa, chora e ri.
é o cara com quem se mantem tb uma boa relação social/sexual...
replicante, pq, sem que a gente more junto, tenha qualquer obrigação junto, è aquele que implica com a gente, meio que toma satisfação de vez em quando,mas ...
é o amigo queido, e que as vezes sou tomada de amores pelo carinho dele...mas a palavra namorado , mesmo após os 50 anos e dois casamentos...rss
ainda assuta alguns homens com mais de 50 anos e dois ex casamentos...rss
entendeu???
ps: amanhã,passe no meu blog. vai ter um texto da tina Oiticica, (ela me autorizou), genial sobre esses movimentos, lulas, SP, classe média ,etc...
abração!

Lord Broken Pottery disse...

Marília,
Para mim, queiram ou não, gostem ou batam o pé, fujam o quanto quiserem, isso é namoro. Não aceito, já que estamos falando de palavras, que façam uma desfeita dessas com namorada, namorar, namorado. São termos tão bonitos e românticos... Substituir por ficar é tapar o sol com a peneira. Não é por mudarmos a maneira de chamar o ato que transformamos o ato em outra coisa. Namorar é namorar. Ficar é estar em algum lugar, parado, sem fazer nada. Coragem, namore!
Beijão

valter ferraz disse...

Lord,
completamente fora do contexto:
postei um treco lá no Capão... queria tua opinião, pode ser ou tá difícil?
Abraço, mano

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Estou indo ler.
Abraço

Sibila disse...

Lord,
A Meg faz misturas mágicas, sobrenaturais, caldeirão repleto de vivências humanas, questionando os possíveis e os impossíveis da história. Tb gosto desse termo temperado e acho q combina com vc. Comentei seu post MY OLD FLAME como o visualizar de um incêndio, seu blog como incendiário, mas, ao mesmo tempo, tão bem temperado que é sempre alimento gostoso pra alma (mesmo q vez em qdo sentimos doer nos pés os efeitos de brasas). Aliás, esses sabores e temperaturas, atributos de ambos, da Meg e seu. Bjs.

Clélia Riquino disse...

Caro Lord,

Perdoe(m) a intromissão, mas estou de acordo com você. Há tantas graduações de relacionamento, hoje em dia: ficar; + que ficar, mas não namorar; namorar; namorar sério; morar junto; casar... (acho que o noivado foi abolido!) Enfim, não importa, realmente, o rótulo. Namorar é sempre muito bom! Namore, Marília, namore! Sem medo...!

Bjos,
Clélia

namorar [Var. aferética de enamorar]
Verbo transitivo direto
1. Procurar inspirar amor a; requestar, cortejar: “Uma velhota metida a faceira, .... que tinha a mania de namorar os rapazes elegantes da cidade.” (Viriato Correia, Novelas Doidas, p. 24.) [Sinônimo: arrastar a asa a, fazer pé-de-alferes a, azeitar e (bras., S.) tourear.]
2. Inspirar amor a; apaixonar; cativar; atrair, seduzir: “Sete anos e nove meses tinha ele de casado com a Luzia ..... Namorara-o o seu lindo cabelo preto, o seu rosto de nazarena” (Trindade Coelho, Os Meus Amores, p. 228).
3. Manter relação de namoro com; ser namorado de: Namora a moça há muitos anos, e nada de casamento.
4. Desejar ardentemente; cobiçar.
5. Empregar todos os esforços por obter.
6. Fitar (alguma coisa) de maneira insistente e com vontade de possuí-la.
7. Atrair, chamar: A mesa de jogo namorava-o.

Verbo transitivo indireto
8. Manter relação de namoro; ser namorado: “O Promotor namorava com a filha do coronel Quincas” (Bernardo Élis, Caminhos e Descaminhos, p. 58); “Edílio está namorando com Mirna” (Dias da Costa, Canção do Beco, p. 19); “Por que você não poderia namorar com americanos?” (Carlos Castelo Branco, Continhos Brasileiros, p. 28). [O uso de namorar com esta regência é perfeitamente legítimo, moldado em casar com e noivar com.]

Verbo intransitivo
9. Andar em requestos ou galanteios: “poderia [Lima Barreto] dizer que só havia namorado uma única vez, aos 16 anos” (Francisco de Assis Barbosa, Lima Barreto, p. 217). [Sin. (bras., pop.) nesta acepção: derriçar, fazer cera, fazer tijolo, graxear, pegar uma ponta.]
10. Procurar conquistar. [Sin. (bras., gír.), nesta acepção: paquerar.]

Verbo pronominal
11. Ficar enamorado; possuir-se de amor; apaixonar-se, enamorar-se:
“porque a aventureira se namorou do redator de um jornal, que não tinha vintém” (Machado de Assis, Relíquias de Casa Velha, p. 26).
12. Andar em requestos ou galanteios recíprocos: “Doquinha tinha onze anos, Mário doze. Outros meninos e meninas da mesma idade se namoravam, conversavam com desenvoltura” (Oto Lara Resende, Boca do Inferno, p. 75).

13. Tomar-se mutuamente de amor: “O Teófilo olhou para cima; Helena sorriu. | Namoraram-se.” (Artur Azevedo, Contos Possíveis, p. 28.)
14. Agradar-se; encantar-se; enamorar-se: Namorou-se da cidadezinha, e por lá ficou. [Pres. ind.: namoro, etc.; pret. imperf. ind.: namorava, .... namoráveis, namoravam. Cf. namoro (ô) e namoráveis, pl. de namorável.]


namorado [Part. de namorar]
Adjetivo
1. Que se namorou ou enamorou: o mancebo namorado.
2. Galanteado, requestado.
3. Meigo, suave, doce, terno, amorável: “Vieram depois as namoradas recreações da fantasia, que o absorveram todo e acalentaram-lhe o sono” (José de Alencar, O Sertanejo, p. 72).

Substantivo masculino
4. Aquele que é requestado, galanteado; namoro. [Sinônimo (fam. ou pop.), nesta acepção: conversado, pequeno, derriço e (bras.) xodó, camote, grinfo.] [Fem.: namorada.]
5. Bras. Zool. Peixe teleósteo, perciforme, pinguipedídeo (Pseudopercis numida), do Atlântico, de coloração violáceo-escura, com pintas brancas esparsas pelo corpo, nadadeira dorsal contínua da nuca ao pedúnculo caudal, e comprimento de até 1m.

[Dicionário Eletrônico Aurélio]

Lord Broken Pottery disse...

Sibila,
Bom ver você por aqui, já estava com saudades, seus comentários são sempre muito oportunos. Legal você lemrar de My Old Flame, é um dos posts que escrevi que mais gosto.
Beijo temperado

Clélia,
Nada como um dicionário, verbetes e assepções, para provar o que dizemos. Namorar é muito mais completo que ficar.
Beijão

Clélia Riquino disse...

Pois é, Lord, e quando o significado de ficar pode ser "estacionar, pernoitar, permanecer por pouco tempo" é mais triste, ainda... relação relâmpago! (que já consta, inclusive, nos dicionários)

ficar [Do lat. vulg. *figicare, freq. de figere, ‘fixar’]
Verbo transitivo circunstancial
1. Estacionar (em algum lugar); não sair dele; permanecer: ficar em casa.
2. Estar situado: “Para o romano, o mundo dos prodígios ficava a Ocidente.” (Aquilino Ribeiro, Os Avós dos Nossos Avós, p. 39); Brasília fica no Planalto Central.
3. Albergar-se, pernoitar: Anoiteceu, e ficamos num rancho próximo.
4. Ser adiado, transferido, procrastinado: Este assunto fica para amanhã.
5. Ser adquirido pelo preço de; custar: Cada um dos livros ficou em 25 reais.
6. Permanecer por algum tempo: Casou-se e assim ficou por 15 anos.

Verbo transitivo indireto
7. Restar, sobrar: Não lhe ficou um só livro.
8. Não dever ser conhecido senão por (uma ou mais pessoas): Isto fica entre nós.
9. Não dizer mais; não ir além de: Disse três palavras, e nisto ficou.
10. Provir, proceder, resultar: Da abundância de pau-brasil na Terra de Santa Cruz lhe ficou o nome de Brasil.
11. Caber por quinhão; tocar por sorte: Recebeu a parte da herança que lhe ficou.
12. Adquirir, comprar: Reclamou do preço, mas acabou ficando com a mercadoria.
13. Estar sob a responsabilidade (de alguém): Isto fica por sua conta.
14. Ser acometido; contrair: ficar com sarampo, com caxumba.
15. Estar, permanecer em companhia: Não quis vir, preferiu ficar com a mãe.
16. Bras. Pop. Namorar sem compromisso, durante um curto espaço de tempo (às vezes, por uma noite): Na festa de formatura, F. ficou com a sua melhor amiga.

Verbo transitivo direto e indireto
17. Afiançar, assegurar, prometer: Fiquei-lhe que faria o prometido.
Verbo predicativo.
18. Permanecer em determinada disposição de espírito ou situação: Durante dias ficou triste; Saí, e ele ficou acamado.
19. Continuar, permanecer: Isto não ficará assim; “‘Fica agora assim .... que a luz do entardecer está batendo nos seus cabelos e eu quero guardar .... esta imagem de você assim tão linda.’” (Caio Fernando Abreu, Estranhos Estrangeiros, p. 14).
20. Converter-se em; tornar-se: As tábuas, depois de batidas, ficam mesa.
21. Vir a estar em determinado estado ou situação; tornar-se, fazer-se: “Os campos ficaram tristes.” (Antônio Feliciano de Castilho, Amor e Melancolia, p. 25); “E assentado entre as formas incompletas / Para sempre fiquei pálido e triste.” (Antero de Quental, Sonetos, p. 159).
22. Ser nomeado ou escolhido para cargo: ficou para chefe.
23. Estar no lugar de; fazer as vezes de: Outro jogador ficou como o autor do gol.

Verbo intransitivo
24. Conservar-se através dos tempos; durar, perdurar, subsistir: Vão-se os homens, porém suas obras ficam; “A história das minas jaz na escuridão. Como fazer de uma vez um trabalho que fique?” (Capistrano de Abreu, Ensaios e Estudos, 1a série, p. 199).
25. Parar de repente; estacar: Ao ver-me, ficou.
26. Restar, sobrar: Trouxe o que pôde, porém muita coisa ficou.

Verbo pronominal
27. Não dar mais passo; parar: Seguiram todos e ele ficou-se.
28. Permanecer, conservar-se, demorar-se, deter-se, quedar-se: Vai à serra, e fica-te lá um mês; “E os olhos de azeviche, ardentes e tranqüilos, / Ficam-se horas a olhar as sombras do montado...” (Conde de Monsaraz, Musa Alentejana, p. 204).
29. Reter em seu poder: Na herança, ficou-se com a parte melhor.
30. Entregar-se à guarda e proteção de alguém.
31. Em alguns jogos, cessar de comprar cartas.
32. Fazer-se, tornar-se: “Mais te procuro, mais te ficas alto...” (Hermes-Fontes, Gênese, p. 63.)
33. Seguido da prep. por mais verbo no infinitivo, expressa que não se praticou a ação indicada por esse verbo: O trabalho ficou por fazer.
34. É us. tb. como auxiliar: Ficou sabendo de tudo.

[Dicionário Eletrônico Aurélio]

Clélia Riquino disse...

Perdoe a utilização do espaço...

Lord Broken Pottery disse...

Clélia,
O espaço é seu. Achei curioso já haver a nova assepção.
Grande beijo

GUGA ALAYON disse...

sim, Lord, elas são mágicas.
Mas é necessário saber tirá-las da cartola como vc o faz.
abç

Lord Broken Pottery disse...

Guga,
Você, como sempre, meu amigo.
Abração