sexta-feira, dezembro 21, 2007

Brainwork

Outro dia, conversando com a amiga Denise Rangel, do Sturm and Drang, falamos brevemente sobre questão que me fascina há tempos. Haveria inspiração quando escrevemos, estaríamos submissos à ela?
Não conseguimos levar a conversa até o fim, concluir nosso raciocínio. Lançava-se o livro do Valter Ferraz, do Perplexoinside: Capão, outras histórias, e precisávamos dar atenção aos presentes.
Escrever é trabalho. Requer método, disciplina, planejamento, vontade de se fazer bem feito. As palavras não brotam, longe de serem plantas. Escolhidas como em um quebra-cabeça, jamais caem do céu. A busca do melhor dizer precisa nortear o percurso criativo.
Devemos bater ponto diariamente, ter hora para sentar em frente ao texto. Só assim dominaremos completamente as idéias. Elas devem ser instigadas, cutucadas, provocadas até resolverem colaborar. E então, docilmente, felizes em surpreender, abrirão um leque de possibilidades ao escritor. Escolher é um ofício duro.
*
Inspiração é desculpa de quem tem preguiça.

47 comentários:

claudio boczon disse...

êpa! a carapuça me serviu direitinho, cumé que vossuncê sabia o número?

ho! ho! ho!

Gin com Bells a todos, no melhor do espírito naftalino!

Vivien Morgato : disse...

Lord Caco,penso como blogueira e vou falar como blogueira.;0)
Eu não tenho trabalho em escrever -um sacana pode dizer "por isso é que sai aquela bosta"...hahaha - e pode até ser. Não sei avaliar a qualidade dos meus textos,mas eles nunca me dão trabalho.Eu tenho vontade de escrever o tempo todo,sobre tudo,sobre todos.
Um grande beijo, feliz natal.;0)

Ricardo Rayol disse...

e esta complexidade por trás de um aparente processo simplista é que é de se espantar.

Saramar disse...

Que o amor do Deus-Menino, preencha seus dias
Com a paz e o carinho;
Com a paciência e a tranqüilidade.
Que você e os seus sejam felizes no Natal
E no novo ano que se aproxima.
Que todos os anos de sua vida sejam de amor, luz e saúde.
É o que lhe desejo sempre.
Feliz Natal
Feliz ano novo!

denise disse...

Esta questão me persegue há anos: percebo o talento nas pessoas, mesmo sem técnica. Refiro-me à esta incrível criatividade para compor histórias, poemas, enfim, interagir com palavras. É óbvio que quem pretende ser um escritor, um poeta, um romancista, precisa ter este comprometimento de esmerar-se tecnicamente. Não adiante, arte é dom. Aprendi a tocar piano, a fazer poemas, a pintar quadros, mas eram apenas reproduções e tentativas inúteis de algo inédito e literário. Acredito na inspiração. Há um mistério na arte, por isto, nem todos somos poetas, pintores, músicos. Há os pretensos artistas, mas talento, este nasce com a pessoa. Concordo quando você diz que há a necessidade de se trabalhar o verso, disciplinadamente, mas, se o gênio literário já está lá, esperando para ser 'cutucado'.
Ótimo final de semana
abraço, garoto

Ordisi Raluz disse...

Eu agora fiquei morrendo de medo de fazer um comentário inspirado, My Lord!

Abraços preguiçosos.

Aninha Pontes disse...

Vixe, a carapuça vai servir é prá muita gente.
Ainda bem que eu estou fora, não tenho talento, esse dom que a Denise fala, e que eu concordo plenamente.
Há de se ter o dom para ser cutucado, trabalhado, pois do contrário não sai mesmo nada.
E quando sai, as vezes o cheiro é desagradável.
Beijos querido.

valter ferraz disse...

Caco, será que eu estou liberado do serviço árduo ao menos nessa época natalina?
Veja voce, o meu patrocinador se recusa a mandar o décimo-terceiro. Segundo ele, escritor ganha muito dinheiro e diz que daqui para a frente, sou eu quem deve lhe mandar a mesada. Fico preocupado, pois me incluo entre a turma do Boczon alí, nos quais a carapuça serve direitinho.
Creio que para quem tem o dom, a inspiração apenas se esconde e aí basta trancar-se frente ao papel ou à tela e ela resolve aparecer. Não é o meu caso. Passo dias e mais dias tentando, buscando. Às vezes me vem a inspiração. Corro lançá-las ao vento. Normalmente o que se obtém é aquele odor mal-cheiroso que a Aninha relata. Ela é a vítima mais próxima.
Espero que tenhas um restinho de dezembrite bem suave.
Beijo, mano

Neil Son disse...

encontrar as palavras cetas, exprimir o máximo de significado a partir de um mínimo de palavras, é sempre um desafio hercúleo, é um processo de intenso sofrimento. é um trabalho muito cansativo, sem dúvida; mas uma vez alcançado o resultado satisfatório, a recompensa espiritual é também imensa.

Anunciação disse...

Feliz Natal!

Só- Poesias e outros itens disse...

Lord,
para quem gosta de escrever, é como tomar água todo dia, se vai morrer de sêde aí é uma outra coisa. Como ofício, têm que ser alimento: água, pão, leite. Mas têm os que se aprimoram sempre: geléia, croissant, e novas e outras iguarias que se experimenta e gosta. Como uma descoberta do paladar.

Coisas boas, mesmo que um simples pão com manteiga, deve ser bem saboreado e digerido.

"Analogias digestivas para um ato complexo de escrever". (daria um ensaio).

bjs.


Ju gioli

JU gioli

Lord Broken Pottery disse...

Cláudio,
Gin com Bells só poderia mesmo sair de sua cabeça privilegiada. Privilégio, aliás, que tenho em recebê-lo aqui. Feliz Natal!
Grande abraço, amigo
Vivian,
Escrever em blog é diferente, não existe o mesmo compromisso que temos quando escrevemos, digamos, profissionalmente. Feliz Natal e um beijo carinhoso pra você.
Ricardo,
Concordo. Tudo aquilo que aparentemente é simples, às vezes, revela-se complicado.
Bom Natal e grande abraço!
Saramar,
Você é das boas amigas que fiz na blogosfera. É sempre uma alegria para mim te receber. Bom Natal e Feliz Ano Novo!
Beijo grande
Denise,
Não discuto talento. É claro que uns tem mais, outros menos. O que discuto é trabalho. Os grandes escritores trabalham muito. Esmeram-se em seus textos gastando, às vezes, dias em um único parágrafo. Não é, sem dúvida, a inspiração que os norteia.
Grande beijo e Feliz Natal!
Ordisi,
Devia ter feito, risos.
Grande abraço e Feliz Natal
Aninha,
Você trabalha, isso é tudo.
Grande beijo e Feliz Natal.
Valter,
Hoje estou muito feliz. Depois de árduo trabalho concluí o livro infantil que estava escrevendo. Agora é só ficar um tempo burilando as palavras, cortando excessos, dando uma guaribada no texto. É sempre uma alegria grande essa fase. Diga ao seu patrocinador que escritor ganha pouco. Somos um país que quase não lê. Seu irmão aqui está liberando o amigo até o ano novo, ta bom?
Grande abraço e Feliz Natal!
Neil (ou devo chamá-lo de Márcio?),
É exatamente o que quis dizer. Encontro-me, nesse momento, nesse estado feliz.
Grande abraço e Feliz Natal
Anunciação,
Feliz Natal pra você também!
Beijo
Ju,
Acho que é bem por aí. Escrever é difícil. Não tem inspiração capaz de tornar esse ofício fácil. Bom Natal pra você!
Beijo

Vivendo deixando a vida me levar... disse...

Ei Lordddd!!!! FEliz Natal pra vc e maravilhoso ano de 2008!!!! Que todos seus objetivos se realizem com imenso sucesso.... bjos =^.^=

Meg (Sub Rosa) disse...

Lord querido
Não resisti:
Estou com prescrição de repouso absoluto mas terminar um livro é gostoso demais.
Vencer ou cumprir um deadline, puxa vida!
Eta que vc merece esa felicidade!
PARABÉNS! PARABÉNS!
Quero mesmo é ler esse livro.
Milord, eu adoro você, que me dá alimento pra reflexão, que me faz rir, com essa verve privilegiadíssima e principalmente com *cara-dura* que lhe é peculiar hohoho.
Faz rir , ficando e falando sério.
Estava explicando isso aqui em casa: "mas como é que esse rapaz consegue *ESCREVENDO* dar a idéia de uma coisa que só se consegue falando e ao vico?
Ah! Lord, estou quase tísica, então fica só esse trecho, agora, aqui.

Sobre inspiração, escrevi um texto ao Valter, se ele ainda tiver espero que lhe mostre e diga se concorda ou não.
Mas eu volto.
Agora, vim aqui só para agradecer a felicidade de ter entrado em contato com uma pessoa como você que desde logo se revelou como alguém muito importante no meu afeto, no meu carinho e no meu respeito e admiração pessoal e profissional.

E REPAREM TODOS: ISSO MUITO ANTES DE EU SABER DA NOBRE ASCENDÊNCIA LITERÀRIA DO LORD< hein?
(Aliás temos comemorações gracilianas no próximo ano, certo? (É , Lord, nós, os que vivemos do talento de vocês escritores, temos que estar sempre atentos e respeitosos, trabalhamos.)
Bom adoro você , já disse.

E Lord, a Lady Cordélia é que é uma felizarda.
Eu ainda vou é perguntar pra ela isso pessoalmente. E lembrar a história dos cobertores térmicos hahahah
hohoho
Um beijinho no rostinho dela, e um beijão para você.

P.S. Eu a-do-ro a Denise e ela faz mesmo essas perguntas inquietantes, que parecem já estar respondidas mas sempre merecem reflexão.
felizes os alunos dela.

O Claudio Boczon, este é um danado!

beijos, de novo, porque as felicidades desejo sempre, vc sabe não é?
Saúde, isso , é fundamental

av disse...

Querido milord, inteiramente de acordo! Talento preguiçoso não produz nada por muito tempo, o trabalho de fundo é fundamental. Não sei qual a percentagem certa das duas, mas inspiração e transpiração são essenciais.

Obrigada pela sua amizade, que muito me honra. É bom ter amigos do outro lado do oceano, como se fosse aqui ao lado.
Um grande beijo e um óptimo Natal em família, como ele é melhor saboreado.

Ana

Silvares disse...

Quando entrei para a Escola de Belas Artes tive um professor de Desenho, um homenzinho verdadeiramente detestável, que me disse "A Arte é 95% de transpiração e 5% de inspiração." Nunca gostei nada dele, demo-nos mesmo muito mal e, naquela época, não o levei a sério. Anos mais tarde tive de reconhecer que o homenzinho tinha razão. Mas não foi por isso que deixei de (quase) o odiar.

claudio boczon disse...

o comentário do Silvares sobre professor de Desenho me lembrou de um que tive, de desenho técnico, cuja aula começava impreterivelmente às sete e meia da matina.

sempre tive as mãos algo trêmulas, e logo nas primeiras aulas ele chegou pra mim e aconselhou: "acho que você tem que tomar umas antes de vir prá cá, sabe, para firmar o pulso."

o cara era uma figuraça, da geração que achava que normógrafo era coisa de viado - nêgo bom escrevia à mão livre

isto sem falar que ele foi o único em toda minha trajetória acadêmica que acertou a pronúncia do meu sobrenome, talvez porque já vinha com a língua engrolada de casa.

Lord Broken Pottery disse...

Polly,
Só agora vi sua mensagem. Espero que seu Natal tenha sido uma festa de paz. Que o ano que entra traga muitas realizações.
Beijo

Meg, querida,
Terminar um livro é uma sensação diferente, estranha. Ao mesmo tempo que dá um certo alívio, principalmente no meu caso, já que me cobro demais, fica um certo travo, nostalgia. É o momento de nos afastarmos das personagens. Como filhos, elas lançam-se no mundo, com vida própria, já não dependem de nós.
Quanto às comemorações graciliânicas elas são sempre benvindas. O mais importante, com relação a ele, será a renovação, ou não, do contrato editorial.
Não sei se lady Cordélia é assim tão felizarda. Reconheço ser um sujeito um pouco difícil.
Vê se se cuida, tá? Cuida dessa saúde pois você faz muita falta aqui com a gente.
Quanto ao tema do post, qualquer hora dessas quero ver sua opinião.
Beijo grande

Ana,
Eu é que me sinto honrado com sua amizade. Você foi pessoa que me cativou de cara. Pelo bom gosto, inteligência, gosto muito do que você escreve.
Com relação às porcentagens, proporção entre inspiração e trabalho, sou um pouco radical. Não acredito em inspiração. Tudo é trabalho.
Beijo grande

Silvares,
Acho que agora, finalmente, descobri o que tanto me incomoda com relação à inspiração. Veja o verbete que está no dicionário do Antonio Houaiss:
Espécie de alento, sopro criador que, emanado de um ser sobrenatural, levaria aos homens conselhos, sugestões; iluminação, revelação.
Definitivamente não acredito em inspiração. Acho que 100% é trabalho. O professorzinho estava errado.
Grande abraço, amigo

Claudio,
Essa coisa de regular a marcha lenta, pela manhã, antes de assistir aula, era um recurso que por mim foi bastante utilizado no tempo de faculdade. Só tinha um problema, como meu curso era noturno, geralmente eu chegava calibrado demais.
Grande abraço

adelaide amorim disse...

Lord, nada neste mundo pode dar certo sem trabalho e algum tipo de disciplina (que não precisa ser militar). No caso da escrita, como da arte em geral, supõe-se que um autor sinta muito prazer no que faz - e então será sempre um exercício gostoso. Mesmo em casos como o do Valter - o famoso "branco" - sempre valem a pena a concentração, a tentativa, a elaboração. E se não dá prazer, acredito que será um trabalho inútil.
Beijo pra você.

valter ferraz disse...

Lord, acho que sua tática está funcionando. Tenho trabalhado feito um mouro. E aos pouquinhos vai saindo. Não digo que seja a inspiração. Mas a transpiração, com certeza.
Abraço, mano

Lord Broken Pottery disse...

Adelaide,
Tenho uma relação um pouco conflituosa com o ato de escrever. Às vezes me revolto, grito contra esse fardo que me faz trabalhar nas horas de descanso, que me consome o tempo de lazer, que me faz sentir remorso quando quero fazer coisas mais prosaicas. É difícil ser escritor nas horas vagas, quando o trabalho remunerado permite. Nesse sentido preferia não ter buscado esse caminho difícil. E então, quando termino um texto que me agrada, percebendo que aquilo que precisava ser dito o foi da melhor maneira possível, fico extremamente feliz e grato por ser o que sou.
Grande beijo

Valter,
Eu tenho certeza. Além de escritor você é capricorniano.
Grande abraço

Flavinha disse...

hohoho, feliz natal atrasado!!

Desculpe o sumiço, moço bonito. Não, eu não caí de pára-quedas no Chá da Anne, mas pra chacoalhar um pouco a rotina resolvi pegar meningite e passar o Natal de cama. Ainda bem que passa. E que não deixou sequelas, porque dessas eu tenho uma gaveta cheia até o talo.

Saudades e felicidades.

Beijos!!

Lord Broken Pottery disse...

Flavinha,
Também estava saudoso. Bom ver você por aqui, saudável, "deseqüelada". Tudibom procê!
Beijo

Márcia(clarinha) disse...

Bem, aqui vos fala uma preguiçosa imensamente inspirada,hehehe, que me diga: ora, mas você nem escreve, apenas brinca....está bom aceito, mas para mim a mola mestra é mesmo a inspiração, não tenho escola, nem rima, nem métrica, não sou letrada mas sei brincar.
FELIZ ANO NOVO meu amigo, felizes sejam seus dias com quem ama.
beijos

Lord Broken Pottery disse...

Márcia, querida,
Tudo de bom pra você também. Mantenho minha opinião, garanto que você se esforça para escrever.
Beijo

denise disse...

É, Lord, esta discussão vai longe. Mas continuo duvidando que alguém sem inspiração produza uma obra que nos encante. No máximo, uma obra meio 'paranasiana', muita técnica e pouca 'vida', o sangue do poeta, de que falava Bilac, parnasiano convicto , mas, que em momentos de inspiração produziu:"só quem ama é capaz de ouvir e entender estrelas".
Concordo com a Meg, é uma alegria conviver com alguém que alia a inspiração e a técnica, como você faz.
Um ano abençoado, com sua querida Cordélia.
abraço, garoto

denise disse...

digo, uma obra meio 'parnasiana'...
abraço, garoto

Saramar disse...

Oiii...
A preguiçosa assumidíssima aqui, sente falta dos seus textos.
Feliz ano novo.

beijos

Eduardo P.L. disse...

Propositadamente não li os comentários anteriores, e vou faze-lo depois do meu, para não me influenciar:
Concordo que só muito tabalho inspira, mas que tem dias que a tal da inspiração aparece mais fácil, isso tem! Ou não é?
Forte abraço, e um bom ANO NOVO para todos os seus!

james disse...

Obrigado pelos momentos de prazer que a leitura de seus textos me proporcionaram em 2007.

Um abraço e feliz ano novo.

Lord Broken Pottery disse...

Denise,
Concordo, a discussão é ampla, cabem muitas opiniões. De minha parte, porém, insisto que o ato criativo depende mesmo é de vontade, trabalho, esforço, disciplina, disposição e tempo para produzir arte. Inspiração me parece uma coisa mística demais.
Grande beijo

Saramar,
Essa época do ano é muito agitada. O compromisso com a rotina de trabalho, produção de textos, fica muito comprometido. É como eu venho dizendo, arte precisa de disciplina e trabalho. Assim que começar o ano voltarei a escrever com mais regularidade.
Beijo grande

Eduardo,
Tem sim, é claro, podemos até chamar isso de inspiração, mas não é a definição clássica. Para mim, quando nos propomos a trabalhar criando arte, estamos sujeitos a esses dias, em que instigamos tanto nosso lado criativo que a resposta vem com maior qualidade. O que não concordo, é com a definição de inspiração, que busca em fontes místicas, alguma coisa caída do céu, a razão para em determinados dias estarmos mais bem dispostos. Eu, por exemplo, que gosto de correr, corro melhor em alguns dias. Não significa que estou mais inspirado nesses dias mas sim, que fisicamente, estou mais bem disposto.
Grande abraço

James,
É recíproco. Também li coisas muito interessantes postadas por você. Espero que continuemos nesse ritmo em 2008.
Grande abraço

Ery Roberto disse...

Lord, meu caríssimo! Olha que coisa maravilhosa: acabou a dezembrite. Ouvi a Adriana Calcanhoto, minha doce e amada Adriana, cantando uma música nova que tem um sentido fantástico: "FELIZ ANO TODO!" Acho que isto é bem maior do que apenas Feliz Ano Novo, até porque algumas vezes antes do Carnaval muita gente já o deixou tão velho quanto o anterior. É assim que te desejo um 2007, com saúde, produtividade e muita alegria pelos 366 dias. Sou feliz por termos estado juntos até aqui. Forte abraço.

Lord Broken Pottery disse...

Ery, meu irmão,
É exatamente desse sentido que preciso, que o ano inteiro seja de felicidade, não custa nada desejar utopias. Corrijo apenas o 2007 para 2008. Que seja, como estão dizendo por aí, um ano olímpico no verdadeiro sentido da palavra. Temos mais essa coisa em comum, o amor pela Adriana Calcanhoto, aquela que aparece, por exemplo, em Senhas. Repare não beleza da letra, poesia muito bem feita. Para mim, a sua amizade, foi das coisas boas que tive em 2007. Grande abraço, amigo

Eduardo P.L. disse...

Meu colega e AMIGO, Lord!
Foi muito bom reencontra-lo este ano, e desejando muitos outros encontros, um BOM 2008 para você e toda família!

Forte abraço,

valter ferraz disse...

Caco, estava pensando numa coisa. O Ery deu a dica, vc completou.
Depois nos falamos.
Preciso ir alí na Fenac, volto já.
Beijo, mano

alice disse...

Lord queridíssimo,
A Dezembrite foi embora ,ainda bem!!rs
Te desejo um 2008 muito melhor que 2007 com muita saúde,paz e alegrias!!
Que venha 2008!!
Beijão!!!

aninha pontes disse...

Passando para deixar meu beijo prá você, prá Lia, e Mário.
Peço a Deus (eu creio), que lhes dê muita saúde, amor e alegria neste ano que se inicia.
Que possamos estar juntos por mais um ano.
Um beijo
Aninha

Adelino disse...

Lord, não sou muito credenciado para falar de inspiração no escrever, já que escrevo sem compromisso, na verdade apenas rabisco. Mesmo assim, acho que a inspiração é fundamental sim. Quantas vezes estamos concentrados escrevendo um texto bastante subjetivo, e um simples toque do telefone nos leva toda a "inspiração"? E a empregada que vem e coloca um balde no chão quase ao nosso lado, como que querendo dizer "Como é, preciso passar um pano no assoalho?" E assim vai. Grande abraço, Lord.
Feliz 2008

peri s.c. disse...

Caro Lord
Seria mais adequado estarmos uns vinte anos atrás para poder desejar, mais elegantemente, que "de sua finésima pena continuem ...".
Rendo-me ao tempo. Então que em 2008 de seu teclado continuem a brotar essas maravilhas de visões, pensamentos e textos que você coloca em nossas telinhas.
Em 2008, tudo de bom que a vida pode nos oferecer.
abraço

apoiofraterno disse...

Sem dúvida, meu amigo. Escrever é um ofício e deve ser encarado como tal. Horário, desenvolvimento de técnicas e ambiente acolhedor são ingredientes mais do que necessários para bem escrever.

Lord, um excelente 2008 para você e todos os seus familiares.

Bruna disse...

Verdadeiríssimo.
Feliz ano novo pra você.
Que seja um ano inspirado para sentar, planejar, disciplinar, fazer bem feito.
Abraço.

Lord Broken Pottery disse...

Eduardo,
Sem dúvida estaremos juntos.
Abração

Valter,
A FENAC é um belo endereço pra se visitar.
Abração

Alice,
A dezembrite foi embora, a vida volta ao normal, nada como um janeiro.
Beijo grande

Aninha,
Embora eu não creia, acho sempre bom estar nos pedidos de quem crê. Vai que existe alguma coisa, não é mesmo? Será sempre bom ter gente influente como amigo, capaz de nos representar, intercedendo por nós, declinando nosso currículo de pessoas do bem.
Agradeço, portanto, suas orações, de coração.
Beijo carinhoso

Adelino,
Nada atrapalha mais o processo criativo de que alguém querendo limpar alguma coisa perto da gente. Se houver inspiração, continuo desacreditando, seria a antítese dela.
Grande abraço

Peri,
Também prefiro o finésima pena ao robusto teclado. Ter nascido vinte anos antes teria lá suas vantagens.
Grande abraço, amigo

Mário,
É bem por aí, precisamos desse silêncio para poder criar. Desejo a você também um ano cheio de realizações.
Grande abraço, amigo

Bruna,
É o que mais desejo, pela ordem que você enfileirou, um ano para: sentar, planejar, disciplinar, fazer bem feito.
Grande beijo

Fernando disse...

Oi, Lord,
"surrupiei" trecho desse seu post, para alimentar meus escritos sobre nosso encontro e o que rolou nos papos. Obrigado!
No mais, Feliz 2008, muita Paz e Saúde.
abraços
fernando cals

Lord Broken Pottery disse...

Fernando,
Fique à vontade. Aparecer na sua casa para mim é uma honra.
Grande abraço

GUGA ALAYON disse...

Valeu pelo ano passado, Nobilíssimo Lord. Ia tb escrever mais, mas macunaimei-me.
abraços novos

Lord Broken Pottery disse...

Guga,
Valeu sim, foi muito bom ter estado com você, trocando comentários.
Grande abraço

Blog do Beagle disse...

Moço, eu vivo da palavra. Dê-me caneta e papel que crio o texto de tão treinada que sou. Claro que tenho limites pois, sou advogada e tenho grandes vícios de redação. Inspiração às vezes ajuda, mas não é elemento essencial. Bjkª. Elza