segunda-feira, dezembro 10, 2007

Failing To Develop Properly

Sexta-feira, na casa de minha mãe, à noite, o papo rolava solto. Minha irmã, surpresa, contava da discussão que envolveu a garotada, no último final de semana, em sua casa na praia, Barra do Saí. Meninos e meninas, aguerridos, todos querendo se expressar ao mesmo tempo, queimados de sol, falavam sobre o aborto. Uns contra, outros favoráveis, argumentavam com muita propriedade e paixão sobre o tema. Mariana estava entusiasmada por vários motivos. Ver que de forma expontânea aquele debate brotara, despertando interesse naquela faixa etária, era no mínimo surpreendente. Verificar que cada um tinha opinião formada, até os mais novos, grata constatação. Perceber que todos, sem excessão, eram capazes de se situar, defendendo suas posições, com boa lógica e vocabulário apropriado, motivo de admiração. Aquela turminha subira no seu conceito.
Não causou espécie para mim saber que minhas duas sobrinhas, Joana e Manoela, tinham posições antagônicas. A primeira, mais velha, favorável e a segunda, caçula, contra. Normalmente irmãos buscam acomodar-se ocupando espaços separados.
Os adultos presentes ficaram tão entusiasmados que propuseram duas novas questões: pena de morte e eutanásia.
Achei bobagem. Tratava-se de repetição do assunto, variações sobre o mesmo tema. Pena de morte é uma espécie de aborto atrasado, deveria ter sido feito antes. E eutanásia é um aborto autorizado pelo próprio feto desenvolvido, cansado de sofrer.

46 comentários:

GUGA ALAYON disse...

Perfeita comparação entre aborto, pena de morte e eutanásia.
Perfeita mesmo.
Abração, caro nobre.
PS:Qual a média idade dos infantes?

Lord Broken Pottery disse...

Guga,
Na faixa entre dez e quatorze anos.
Grande abraço

Marcio Gaspar disse...

assunto difícil, hein lord? na minha opinião deve-se tirar qualquer conotação religiosa dessa discussão e analisar o tema sob o ponto de vista social e da saúde pública. sem seguir essas premissas, a discussão torna-se, a meu ver, inútil.

jayme disse...

Pô, Guga disse quase literalmente o que eu ia dizer. Márcio, é uma discussão dificílima de ir adiante com um mínimo de racionalidade neste país.

valter ferraz disse...

Lord, vou colocar pimenta na relação, ops! na discussão.
Lá na periferia de onde eu venho(e acho mesmo que de onde nunca saí) essa discussão dos infantes é descabida. Alto índice de gravidez indesejada e antecipada, aborto é quase uma falta de opção, vira única saída. E pena de morte, lá já é regra. Eutanásia, creio que não saberão dizer.
Grande abraço a todos

Lord Broken Pottery disse...

Márcio,
Concordo inteiramente. É uma questão ao meu ver, a do aborto, não falo sobre pena de morte ou eutanásia, onde a igreja mete os pés pelas mãos quando se mete.
Grande abraço

Jayme,
Concordo e acho que foi por isso que nos surpreendemos vendo os meninos interessados.
Grande abraço

Valter,
Concordo. Por isso mesmo sou à favor do aborto. E só para declarar o voto, contra, mas muito contra mesmo, à pena de morte, e também contra, embora menos apaixonadamente, à eutanásia.
Abração

james disse...

"Tratava-se de repetição do assunto, variações sobre o mesmo tema. Pena de morte é uma espécie de aborto atrasado, deveria ter sido feito antes. E eutanásia é um aborto autorizado pelo próprio feto desenvolvido, cansado de sofrer."


Reflexão memorável!

Um abraço.

Marcio Gaspar disse...

Lord: concordo com os seus votos, a favor do aborto, completamente contra à pena de morte e tb contra, com ressalvas, à eutanásia - qto a este último item, penso que a coisa deveria ser analisada caso-a-caso.

Cristiane disse...

Caro Lord,

Comparação perfeita, a que concluí esse texto...Assuntos polêmicos,e é de fato bom ver a garotada se conscientizando sobre temas desse tipo...

Um abraço carinhoso e uma semana iluminada, Cris

anna disse...

assunto espinhoso e de difícil conclusão prá mim.
não me sinto nada apta prá decidir se como mulher tenho direito sobre a vida de um feto, nem se o sofrimento de alguém deva ser terminado de maneira não natural, muito menos se aquele condenado merece a morte.

é que acredito em milagres, lord.

não creio em duendes, nem em papai noel, muito menos em vida fácil.

mas em milagres, eu acredito.

anna disse...

licença lord:

ô sibila manda teu e-mail (anna.riso@gmail.com). queria continuar nossas conversas.

alice disse...

Lord,
Na minha adolescência (lá se vão 15 anos) nós ainda não discutíamos esses assuntos com amigos,vez por outra com a família,legal ver essa galerinha com opiniões formadas.
Quando entra religião no meio e política a coisa engrossa.
PS;Adorei ver vcs nas fotos do lançamento do livro do Valter,chiquérrimos hein!
Beijão!

Sandra disse...

As crianças crescem tão rápido e assumem posições adultas tão cedo que dá medo. E orgulho... rsss

Beijos

peri s.c. disse...

Pela ordem de apresentação à favor, contra, à favor.

Ordisi Raluz disse...

Passando para conhecer agora o seu blog e, de cara, dou com essa fantástica definição de eutanásia, rs...ou choro?

Broken, hugs.

Magui disse...

Adolescente sabe mais do que muito adulto pensa que não.Ninguém é bobo.Em tempo: Adorei o último parágrafo.Concordo inteiramente .

Aninha Pontes disse...

Lord meu querido, o que vale neste caso, é o interesse das crianças, quase ou já adolescentes em discutir assunto sério, que pode envolver qualquer um deles.
Mas realmente a discussão torna-se inútil, quando sabe-se não vão chegar a um denominador comum.
Cada um tem seu ponto de vista, e vai defende-lo com garra, isso é legal.
A religião funciona como pais velhos, vai tentar sempre impor seu ponto de vista, mas acredito que nem a religião, assim como os pais velhos, não conseguirão sucesso.
Eu particularmente sou contra o aborto, a pena de morte e a eutanásia.
A Anna fez uma ótima análise, e eu como ela acredito em milagres, e sou totalmente a favor da vida, se é uma vida miserável, desgraçada mesmo, não compete a mim julgar. Penso assim, adoro viver, quero viver muito ainda, então que direito tenho de condenar alguém à morte.
É um assunto delicado, e dá muito que falar, mas acho que a discussão deveria ser que qualquer ser humano tem direito a exercer seu livre arbítrio.
Um beijo

Ricardo Rayol disse...

gostei muito de tuas definições sobre pena de morte e eutanásia.

Lord Broken Pottery disse...

James,
Obrigado pelo carinho de sempre. Também me surpreendi quando constatei o quanto assuntos tão polêmicos eram próximos.
Grande abraço

Márcio,
Sou contra à eutanásia por achar que ninguém tem direito de decidir sobre uma vida, nem o dono dela. Aceito até discutir alguns casos, mas em linha geral penso assim. Já com relação ao aborto, antes que digam alguma coisa, sou a favor por considerar que a vida do ser humano depende da percepção das coisas. Acho que só vivemos quando ganhamos consciência. Um feto de alguns dias, poucos meses, ainda não tem consciência de nada.
Grande abraço

Cris,
Adoro os assuntos polêmicos. Você já reparou como imediatamente todos querem opinar? A maioria faz questão de mostrar o que pensa quando tratamos de aborto, pena de morte, eutanásia, essas questões cabeludas.
Tenha també uma bela semana.
Grande beijo

Anna,
Acho ainda mais difícil quando se coloca a questão sobre o aspecto feminino, deixando-se de lado o masculino. Embora o feto seja gerado no corpo da mulher, o filho que dali sairá terá pai e mãe. A decisão sobre o aborto deverá ser discutida entre os dois, de comum acordo. Fica mais fácil para a mulher, na hora do veredicto. Se o casal decidir ter o filho ótimo, se decidirem abortar ótimo, também, já que foi uma decisão adulta e analisada à dois. Quando os dois discordam o homem fica em desvantagem. O feto está no corpo dela, a decisão final é dela. Já soube de pai que não queria o filho e foi obrigado a ter, ou queria ser pai e a mulher abortou.
Grande beijo

Alice,
É sempre bom ver a meninada tratando de questões importantes, amadurecendo, se desenvolvendo intelectualmente. Tendemos a achar que eles não são maduros, mas via de regra nos enganamos. Também gostei das fotos.

Sandra,
Exatamente nessa ordem: medo e orgulho.
Grande beijo

Ordisi,
Muito bom te ver por aqui. Você é um dos raros exemplos onde conheci a pessoa antes do blog. Estou te linkando e logo retribuirei a visita.
Grande abraço

Magui,
Estava com saudade de você. Muita gente tem birra com os adolescentes mas eu, particularmente, gosto muito deles.
Grande beijo

Aninha,
Acho que é bem por aí. Nem interessa muito qual é o assunto. O mais importante é ver as crianças e adolescentes antenados, preocupados com o mundo, tentando opinar e criar um padrão de comportamento adeqüado. Acho essa fase interessantíssima.
Grande beijo

Ricardo,
Sou obrigado a reconhecer que também me surpreendi com elas.
Grande abraço

claudio boczon disse...

nos áureos tempos do "Planeta Diário" havia uma campanha defendendo a tese de que o aborto deveria ser permitido até a cria ter dezessete anos - ainda deve estar tramitando em alguma sub-relatoria do Congreço.

falando nisso, lembrei dum aforisma que li no antigo Pasquim:

"se o homem engravidasse, o aborto seria um sacramento da Igreja"

abraço zappeano!

anna disse...

lord, com certeza há o lado masculino nessa história. absolutamente imprescindível.
mas acho que vai concordar que em 98% dos casos são as mulheres que carregam o piano. ops, os filhos.

Lord Broken Pottery disse...

Claudio,
Essa do sacramento da igreja é ótima. Muito bom relembrar Frank Zappa.
Abraços zappeanos

Anna,
Concordo com você, embora não resista ao trocadilho: o problema é-di-piano.
Grande beijo

Anônimo disse...

Lord Caco,

haja polêmica, hein?

Bom saber como anda a cabeça dessa meninada para a qual a gente tem a pretensão de escrever. Uma surpresa atrás da outra.

Sou contra a pena de morte, sempre fui. Quanto aos outros dois temas, apesar dos meus 67 anos, preciso pensar. Ainda que eu não seja uma metamorfose ambulante, não tenho, nunca tive opinião formada sobre tudo, ou sobre nada.(Coitado do Raul Seixas, ressuscitado em um dos piores momentos da história...)

Vou pensar, se concluir algo (o que será dificílimo, sou uma geminiano inveterada), se concluir, te conto. Daqui a uns dez anos, pode ser?

Beijo indeciso da

Vivina.

Lord Broken Pottery disse...

Vivina,
O Henrique me escreveu. Publicaremos na mesma coleção? Você tem, é claro, até mais de dez anos para pensar nos temas polêmicos.
Beijo

Lord Broken Pottery disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lylilyn@ (testando meu blog) disse...

Valeu!!Teu blog é original, a gente sabe que temos que atualizar nosso blog para que ele permaneça bem visitado, né ?!
Eu moro na França, aqui ta frio agora então na falta do que fazer criei o meu da uma olhada ! E espero que eu possa voltar no teu, pra gente trocar comentario, ok ?
Falo de tudo, e vc pode me criticar mesmo viu? Faz um comentario!
www.dateladolar.blogspot.com

Maria Helena disse...

Lord,
Há visões, e visões sobre os assuntos abordados, mas só o fato dos adolescentes debaterem, tomarem
posições e demonstrarem interesse nos temas, já é uma vitória adquirida. Meus netos tb gostam desses assuntos polêmicos,e eu fico surpresa com o conhecimento e argumentos que cada um deles justificam suas posições.
Bjs

Denise disse...

Ricardo, já me acostumei a estas discussões. Muitas vezes eles tomam partido movidos pela paixão do momento. Já que todos estão opinando, lá vai: sou a favor da vida. E creio também em milagres.
Bom este clima cordial aqui. Gente inteligente e @miga. Olha que isto aqui está bom demais!
abraço, garoto

sibila disse...

Lord,
concordo com vc, o Márcio e o Peri qto à aborto, pena de morte e eutanásia. Ã definição ligando eutanásia e feto desenvolvido cansado de sofrer é ótima. Qto a correspondência da definição anterior a essa, não sei bem.
Foi muito bom te conhecer ao vivo!
Beijo.
Anna, vamos sim! Não agora, mas amanhã, certeza, mando com o e-mail, um alôzinho. Beijão.

Sibila disse...

E, genntemm, a criançada tá muito esperta mesmo, eu fico boba!
Beijão again pra vc, Lord.

Meg - Sub Rosa disse...

Ah! Lord, querido
Já vim aqui e já voltei, e tornei a voltar em várias outras horas.

A grande questão para mim é que são duas linhas de opinião:
a dos adolescentes, seus sobrinhos, diferenciadas, opostas e como seria bom saber (meu defeito ou deformação) não só as repostas mas os argumentos deles.
Isso seria muito importantes, para esta velha e inveterada viciada em salas de aulas cada vez mais amplas:o(.

E no final, a outra linha de reflexão que é a sua.
Claro que aí a coisa muda, nada menos que perfeita. Irretocável.
E creio que foi a isso que se referiu (e eu concordo totalmente) o Guga quando deu a opinião dele.
Bela construção do pensamento=belo resultado lógico e reflexivo.
******
Um abraço apertado, querido Lord.
Quanto mais eu o leio, mais eu gosto de você, e me sinto "descansada" ou seja mais tranqüila, como disse a querida Vivina, quanto às crianças/jovens que lerão o que escrevem.
Ainda que não tratem tão diretamente do assunto.
Mas uma forma de pensar é importante para servir de base a outros vários aspectos.

Toda a minha especial admiração, milord.
E certamente voltarei comentando ou não.
Meguita - Sub Rosa

Lord Broken Pottery disse...

Lylilyn,
É claro que irei colocar um link pra te visitar. É esse contato o que mais me faz bem. Agora, chegar aqui e dizer que mora na França já é sacanagem. Quer me matar de inveja? Uma das coisas que mais me agradam é o inverno europeu.
Grande beijo

Maria Helena,
É isso mesmo. Surpreendente quando vemos aqueles que ainda há pouco mal sabiam falar, dando opiniões. Sérios, compenetrados, discutindo feito gente grande. Isso faz com que tenhamos mais fé no futuro.
Beijão

Denise,
Embora seja ateu, também acredito um pouco no inusitado, não esperado, totalmente fora de propósito (seria milagre?), por isso tenho um pouco de dificuldade em aceitar a eutanásia. E também, claro, por ser a favor da vida. Quanto ao aborto acho que o caso é diferente. Engravida-se, muitas vezes, sem querer, infelizmente. Não acho que uma criança indesejada, sem condições de ser criada com amor, que é o principal, precise nascer.
Grande abraço

Sibila,
Você captou bem a brincadeira. Quando digo que pena de morte é um aborto atrasado, que deveria ter sido feito antes, dou uma declaração dúbia. Na realidade o que estou querendo dizer é que, em muitos casos, falamos de pessoas que nasceram sem condições de serem criadas com amor, tornando-se violentas, criminosas. Talvez, se tivessem sido abortadas, não chegassem ao ponto que chegaram. Por isso a expressão aborto atrasado.
Também gostei muito de conhecer você.
Grande beijo

Meg,
Também gostaria de ter ouvido a argumentação dos meninos. Segundo minha irmã a Manoela, minha sobrinha caçula, que tem apenas oito anos, argumentou lindamente contra a irmã de doze, a Joana, defendendo idéia contrária ao aborto. Essas discussões me dão material para quando escrevo minhas hitorinhas infantis.
Quanto à minha posição, e o colocar tudo como aborto, fui uma brincadeira com a lógica.
Ter você por aqui é sempre uma alegria para mim.
Beijo grande

Fernando disse...

Oi, Lord,
salutar, saber que jovens conseguem abordar esse tema, com opiniões próprias e argumentos válidos. Principalmente, quando as opiniões podem ser divergentes.
Nem tudo está perdido! Ou, devemos acreditar mais nessa molecada!
abraços
fernando cals

Lord Broken Pottery disse...

Fernando,
Gosto sempre muito de receber sua visita. Também me entusiasmo com a visão da molecada.
Grande abraço,

adelaide amorim disse...

Super-interessante seu ponto de vista sobre o tema matar dentro da lei... // Enchantée, Lord! Proust é fortíssimo, muita bondade sua ;)//Beijos meio tontos.

Meg disse...

Lord:
Não pensei em posição sua. Para esse grandes teas é quase impossível *cunhar* uma posição.
A mim, encantou-me o jogo das palavras, a definição metafórica, o que se pode dizer do que irremediavelmente é.
Nunca o que deve ser.
E pensei que foi isso, o exercício da escrit.
E tal como o Guga falou: *comparação*.

Não me fiz entender, certamente, q

Meg disse...

sono, sono, sono ;-)

Um beijo, querido Lord.
M

Lord Broken Pottery disse...

Adelaide,
Achei, realmente, a descrição do entorno maravilhosa. A comparação não ficou forçada.
Grande beijo

Meg,
Você sempre se faz entender divinamente. Eu é que às vezes me complico. De qualquer maneiro foi, sim, como na maioria das vezes, um jogo de palavras. Gosto de brincar com elas.
Grande beijo

anna disse...

lord, seu troca e-letra doeu!

Ery Roberto Corrêa disse...

Lord, captei uma coisa interessante aqui, um pouquinho a partir de cada um, um tanto maior a partir de você próprio. Sei que é difícil um pensamento kardecista para os ateus. Mas, veja, é o seguinte: se por um lado não se aceita a eutanásia porque seja "antecipar" o fim (suposto), pelo menos desta vida, seria justo, ou explicável, ser a favor do aborto - na concepção espiritualista - o (re)ínicio de um (novo)ciclo? Desculpe, é só uma masturbação de quem anda doido para não cair naquela de "ter uma velha opinião formada sobre tudo". Vivina hein!? Sim senhor! Isso é hora de ressuscitarem Raul Seixas? Adorei.

PS: vou mandar fazer um "carimbo" para me identificar neste Blogger.com (Adelino iria gostar desta idéia). Os caras alteram sem perguntar nada a ninguém. Mudam pra pior.

Ery Roberto Corrêa
www.infinitopositivo.blogger.com.br

Lord Broken Pottery disse...

Anna,
Não pude resistir. Vai perdoando, tá?
Beijão

Ery,
Tive uma avó, mãe de minha mãe, que era espírita. Convivi por muitos anos com as idéias kardecistas. Talvez seja por isso que, mesmo não acreditando, eu me borre de medo dos espíritos. Não tinha pensado ainda no aborto como um re-início de um novo ciclo. Achei interessante o raciocínio. Acho que depois que a gente vive um pouco mais acaba, inevitavelmente, tendo um velha opinião formada sobre quase tudo. O Raul Seixas que nos perdoe.
Grande abraço

Eduardo P.L. disse...

Ótima crônica. Flui como só você sabe fazer um texto fluir, mas o tema da conversa!!!!! Para essa idade? Sei, não!

PS( Toda vez que uso ! lembro da história que contou do seu pai!)

(;-))

Lord Broken Pottery disse...

Eduardo,
Eu também me lembro, sempre que preciso exclamar.
Abraço

Vivien Morgato : disse...

Contei no meu blog, ha alum tmepo, que havia saido com meu filho e sobrinhos e esses papos tinham vindo a baila, com posições conflitantes entre eles.
No meu caso: sou a favor da legalização do aborto, sou radicalmente contra a pena de morte e acho que a eutanásia é uma questão pra ser discutida caso a caso.
beijos.

Meglyn disse...

Lord não quero deixar tristea por aqui, mas Natal, depois que algumas pessoas se foram... sabe, não tô mais nessa.
Um beijo e estou com tantas saudades suas que a tristeza me sai líquida pelos olhos.
Lord mau com Meg boazinha e dodói. sniff!:-))))
beijos
MEG-SUBROSA

Lord Broken Pottery disse...

Vivien,
Pelo visto estamos fechados. Concordamos, temos a mesma opinião com relaçã a todos os pontos discutidos.
Beijo

Meg,
Um beijo carinhoso pra você.