sexta-feira, julho 06, 2007

Vinicius de Moraes

"São demais os perigos desta vida
Pra quem tem paixão principalmente
Quando uma lua chega de repente
E se deixa no céu, como esquecida
E se ao luar que atua desvairado
Vem se unir uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher..."
*
Encontrar gente famosa às vezes me confunde. É difícil separar as lembranças. Aumenta com os anos a minha dificuldade em distingüir lendas da realidade, o prensenciado do ouvido, a memória pregando-me peças o tempo todo. Freqüentemente sou corrigido por pessoas afirmando não ter aquilo acontecido, provavelmente ciladas de uma vocação para ficcionista. Encanto-me com histórias muitas vezes irreais, altero-as de maneira tênue à cada repetição, acabo transformando-as em verdades convenientes à minha imaginação.
Tenho quase certeza de ter conhecido Vinicius de Moraes na casa de Jorge Amado, em Salvador, no verão de 1978. O poetinha era sujeito afável, mais para o gozador, forte sotaque carioca chamando-me a atenção. Aos quatorze anos, fã incondicional do artista, fui incapaz de falar muito. Fiquei observando de longe, basbaque. Percebi o carinho com meu pai, admirado. Conheciam-se?
As meninas do meu tempo gostavam de poesias. Cedo percebi que recitá-las poderia ser um diferencial. Sabia de cor, por exemplo, a parte falada do Samba da Bênção. Era comum, ao tocarem a música, pedirem para que eu dissesse as palavras. Conquistei, com Vininha ao meu lado, algumas mocinhas.
Mais tarde, um pouco mais velho, após sua morte, escrevi e dirigi um show em homenagem a ele. Coisa de menino apaixonado, inconsolável com a perda prematura. Ainda hoje recordo a emoção que senti, no clube Paineiras do Morumbi, ao ver meus amigos cantando no palco.
Certa vez papai esteve na casa do poeta. Quando tocou a campainha, foi recebido por um cão São Bernardo enorme, vindo lá de dentro latindo. Vinicius, atendendo, pediu ao bicho que se calasse:
- Quieto, Graciliano!
O velho estranhou:
- Puxa, Vinicius, você pôs o nome do meu pai no cachorro?
Rindo, ele respondeu:
- Você conhece melhor nome para um São Bernardo do que Graciliano?
No próximo dia 9 de julho não irei trabalhar, farei feriado. A maioria aqui em São Paulo estará comemorando o dia do Soldado Constitucionalista. Eu, um pouco rebelde, prestarei homenagem a Marcus Vinitius da Cruz e Mello Moraes que, aos nove anos de idade, pressentindo o poeta que seria, foi com a irmã Lygia ao cartório na Rua São José, centro do Rio, e alterou seu nome para Vinicius de Moraes.
*
Vinicius de Moraes: 19/10/1913 - 09/07/1980

45 comentários:

Meguita disse...

Milord querido Amigo,
Tô nessa e vou acompanhá-lo! Já tô avisando, certo?;-)
Se já estiver viva (quero dizer sem essa não-vida) farei posts e colocarei músicas.
Colocarei o lindo poema que ele fez para... ora ele fazia poemas... e sabe, Lord, o que me desepera em relação a Vinicius é que ele ficou com sua imagem e sua reputação de Poeta muito prejudicada pelos que o consideraram * o poeta menor* julgando-o pelas letras de músicas (que ainda sim são das mais belas que já se fez neste país, como prova esse excerto que o Lord colocou.
Vinicius foi um grande poeta que usava diminutuivos por ser um amador e amante irrecorrível. E mais usava diminutivos talvez em contraponto com o Poeta soberbo e admirável que ele´foi e ainda e será sempre.

E ele não era um só, peja só Vinicius de Moraes - prarece que é plutal, não é? Era sim. Imenso. Superb!
Vou invejar e acompanhá-lo.
Beijos
da ainda molinha e caidinha
Meguita, que se despede dizendo: What a bloody idea!

Lord Broken Pottery disse...

Meguita,
Como já disse o poeta: "É melhor ser alegre que ser triste...". Embora na maioria das vezes, para os sãos como somos, a alegria não seja assim tão opcional, é melhor cultivá-la na medida do possível. Também acho Vinicius um poeta maravilhoso, e considero essa a importância maior que ele tem. Quem fez sonetos melhor?
Beijo

Eduardo P.L. disse...

Lord, já sabendo que o Valter e o Adelino, mais a Sonia, vão pegar no meu pé, tenho que te contar que eu era muito amigo, de um grande amigo do Vinícius, e certo dia me convidou para conhece-lo. Era um domingo, e fomos num bar (onde mais poderia ser?) na Av. São Luiz, as 10 horas da manhã, e tomaram wisk. Eu que não bebo (não por mérito, mas pelas muitas malárias que liquidaram meu fígado) tive que ficar bebericando e fingindo estar apreciando aquela bebida, àquela hora da manhã. Nós três, numa mesa de bar. Foi genial conhecer tal figura, tão de perto. E de perto, o Caetano já disse, ninguém é normal....

Forte abraço.

marilia disse...

Lord, grande homenagem. "para uma menina com um flor", foi o meu primeiro presente do namorado adolescente..."porque vc é uma menina com uma flor...
peço vênia para deixar aqui um site onde se pode ler trechos desse grande poeta, como bem disse meguita, ai pracima, parece plural...(http://hps.infolink.com.br/daniela/textos/vinicius1.html )
até hoje, e isso é sério, tem gente babaca, metido a intelectual que ri quando digo que acho o vinicius um dos maiores poetas nossos..

eduardo, vc tem razão, de perto,ninguem é normal, pois quando fiquei cara a cara com o proprio caetano, quase morri de taquicardia... rss
Um baraço, |Lord, e bom fim de semana, por que amanhã é sábado..rssss
ps: adorei saber a curiosodade da troca do nome.

Lord Broken Pottery disse...

Eduardo,
Gostaria de tê-lo conhecido mais velho, na época em que bebia, hoje não bebo mais. Costumo dizer que já bebi minha cota nessa encarnação e na próxima. Acho que fui páreo para ele no copo. Tivesse continuado no rítmo que ia, provavelmente não estaria escrevendo "essas mal traçadas linhas". Você, provavelmente, é o único capaz de lembrar sobre o que falaram.
Grande abraço

Marilia,
Quem ri quando afirmamos que Vinicius é bom, deve ser intelectual de merda, com o perdão da má palavra. Está entre os nossos cinco melhores poetas: Drummond, Bandeira, João Cabral, Cecíclia Meireles e ele. Na minha "modesta" opinião, é claro.
Grande beijo

valter ferraz disse...

Lord,
grande idéia a sua de falar em Vinícius.
E não tem esse negócio de poetinha, poeta menor.
Essas etiquetas que ciscmam em colar nas pessoas.
Um cara que escreve como ele escrevia ser chamado de poeta menor é pura ignorância de quem assim chama. Tenho um site dele onde pode-se baixar as poesias, confeccionar um livro e mandar por e.mail. Já presenteei um monte de gente.//
Eduardo, o bar na Av.São Luiz seria aquele da Galeria Metrópole atrás da Biblioteca Mário de Andrade?
Tomei muitos gorós lá, eu e o Wilson Falchi amigo do peito. Com Vinicius não tive o privilégio.
Viu como não peguei no teu pé?

Grande abraço aos dois amigos

Ricardo Rayol disse...

Fez uma belissima e heterodoxa homenagem. No dia que ele morreu estava chegando no Rio vindo de Brasilia. Logo de manhã cedo ouvi na rádio. Seus escritos inspiram-me. Grande abraço.

anna disse...

adorei o nome do cão!

quanto ao chavecão, só mesmo vinícios prá fazer efeito.

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Vinicius era um poetão.
Abraços

Ricardo,
Acho interessante isso. Normalmente, quando admiramos muito uma pessoa, lembramos o que fazíamos no dia de sua morte, quando recebemos a notícia.
Grande abraço

O Meu Jeito de Ser disse...

Lord querido, linda sua homenagem.
Falar o quê de alguém tão bonito, e uma alma tão transparente como Vinícius?
Simplesmente tirar o chapéu.
Agora o bom humor, em colocar o nome de seu pai no cachorro, foi de muito bom gosto.
A comparação foi supimpa, dois fortes.
Parabéns pelo post, valeu a demora.
Um beijo

Lord Broken Pottery disse...

Aninha,
Essa demora me mata. Se pudesse, escrevia todo dia. É isso o que gosto de fazer.
Beijão

Eduardo P.L. disse...

Lord, e você sabe que não tenho a mais pálida idéia do que se falou, isto é, eles falaram, e eu ouvia com sofreguidão. Mas não recordo sobre o que. Uma pena.
Valter, era exatamente nesse bar. Bar da boemia da época!

valter ferraz disse...

Eduardo, eu tinha certeza!
Para mim e Wilson, alí era o Vinícius.
Tipo assim o Antonio!s no Rio era Tom Jobim.
Felizardo, você!
abração

Anunciação disse...

Belíssima idéia!E adorei o nome do são bernardo.

Vivien disse...

Lord, fico imaginando a quantidade de histórias incríveis vc tem pra contar, as pessoas que estavam rodeando sua infância, pessoas que nós, seus leitores, certamente admiramos e lemos com delicia.
Conta mais, vai.

Alena disse...

Lord, eu nem estava lá , mas pelas suas palavras consegui viver tudo com a poesia que só Vinicius soube viver.

Maravilha de lembrança.

Amo o Samba da bênção. Sabe que todos os sábados da minha vida eu ouço Vinicius? E não há melancolia que resista. Tenho três originais de um mesmo cd dele. Comprei-os idênticos porque um fica no carro, outro em casa no som eternamente e outro eu carrego se viajo.

Adriana disse...

Lord, adorei o texto, sempre gostei de Vinicius de Moraes, mas como poeta do que cantando...seus versos levam a imaginaçao a voar.
beijinhos carinhosos cheios de energia positiva do outro lado do oceano

av disse...

Saravá, amigos, tou com todos vocês nesta homenagem a Vinicius! Adoro os seus poemas porque são bons poemas, claro, as suas letras de canções)e também me associo a essa homenagem, aqui em Portugal. Também sou letrista, com muito orgulho, e acho esse preconceito completamente idiota: o que pode haver de mais nobre e belo do que vestir as palavras de música?
Vinicius era um amigo de Portugal, é inesquecível aquela noite (que felizmente ficou gravada, ou não teríamos acesso a essa pérola) em casa de Amália, com David Mourão-Ferreira, Natália Correia e Ary dos Santos, entre outros ilustres.
Ele é um dos responsáveis pela minha paixão pelo Brasil, e pelas Letras brasileiras.

Abraço a todos
Ana

james disse...

EU NÃO EXISTO SEM VOCÊ
(Vinícius de Moraes)

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você

(também farei feriado, um abraço.)

Saramar disse...

Lord, que bela homenagem.
Eu sou apaixonada por Vinícius, sempre fui. Seus livros são minha inspiração, suas músicas, meu dia-a-dia.
Você é um ser privilegiado, então, por tê-lo conhecido.
Quando ele morreu (no dia do meu aniversário), eu cancelei a festa que faria e chorei o dia inteiro.
Minha filha, pequenina, ao vê-lo na TV perguntou: "mas mamãe, você está chorando por este velhinho?". E eu nunca havia percebido que ele era um "velhinho". Sempre o vi como o Poeta maravilhoso, o homem apaixonado.
Vou também escrever sobre ele.

beijos, bom domingo.
P.S.1 Desculpe-me pelo jornal.
P.S.2 Coloquei seu link lá no Falares (http://flanarfalares.blogpot.com)

Lord Broken Pottery disse...

Eduardo,
Sei bem o que isso. A emoção às vezes nos faz esquecer.
Grande abraço

Valter,
Não é qualquer um que pode dizer que já bebeu com Vinicius.
Abração

Anunciação,
Também acho essa história do São Bernardo ótima.
Beijo

Vivien,
É verdade. Aos poucos, conforme for lembrando, irei contando. Prometo.
Beijão

Alena,
Acho que a relação de Vinicius com a Bahia foi muito especial. Embora ninguém tenha sido mais carioca do que ele, sentiu-se muito em casa em Salvador. Também ouço o Vininha bastante.
Beijão

Adriana,
O Vinicius, realmente, desafinava bastante. Só que cantava com tamanha verdade que a gente esquecia. Bom ler você do lado de cá do oceanao.
Grande beijo

Av,
Gostei do vestir as palavras de musica. Também ficaria bom vestira a musica com palavras. Gostei muito da sua visita. Colocarei um link para a Porta do Vento para poder visitá-la com mais freqüência.
Grande beijo

James,
Apenas esses versos já justificariam o feriado.
Abração

Saramar,
Irei visitá-la na segunda, no Falares, para desejar-lhe felicidades. Não o faço agora, adiantado, por não ser bom (a superstição manda não fazê-lo). Uma poeta como você tem mesmo que ter um carinho especial pelo poetinha. Bonita a sua história. Não tenho o que desculpar. Bom domingo.
Beijão

Silvares disse...

É assim mesmo, a memória é uma bela forma de viver a vida e a literatura é uma forma melhorada de memória.
:-)

Maria Helena disse...

Lord,
Nossa...???!!! Que infância??!!Conviver com pessoas marcantes da nossa literatura e nossa música,
deve ter sido maravilhoso demais.
Falar em Graciliano Ramos...!!!!! inatingível, irreal.
Bjs

marilia disse...

Concordo com vc,na lista dos 5 maiores,mas mudo a ordem, e acrescento mais um...
bandeira, meu manoel...
drumond, eterno na mineirice
thiago de mello ( num tá na sua...)
vinícius, posto que não é chama...
Cecília meireles....
dentre muitos que eu gosto.
abraços...

Lord Broken Pottery disse...

Silvares,
Bela definição. Concordo que a literatura seja uma forma melhorada de memória.
Grande abraço

Maria Helena,
Foi bacana. Conheci e convivi com muita gente. Graciliano foi também para mim inatingível. Morreu antes que eu nascesse.
Grande beijo

Marilia,
Citei os 5 por serem os que mais gosto. Não deveria ter deixado o Quintana fora da lista. Na sua, por exemplo, João Cabral foi excluído. Isso tudo é muito particular. Se tivesse que escolher um único nome, o meu favorito seria Bandeira. Na língua portuguêsa: Fernando Pessoa.
Beijão

valter ferraz disse...

Lord, esse negócio de lista é fogo. Sempre entra um e não o outro. Ou esqueceço do outro e lembro do um. Detesto listas.
Falar nisso, hoje é nove de julho. Vinicius, então!
Abraço forte

peri s.c. disse...

Um raro e exemplar ser humano que se livrou da sebosa diplomacia oficial e foi praticar a sublime diplomacia, a da vida. Principalmente com os amigos e com as mulheres.
E sempre acompanhado do melhor amigo do homem , o cachorro, engarrafado e escocês.

Maria Helena disse...

Lord,
Bem sei que não o conheceu, mas acredito que ele deveria estar 24 horas presente na vida da família, né??? Que respoooonsa??!!!
Bjs

Cristiane disse...

Caro amigo Lord,

Que lindo post!!!
Divino Lord...Vinícius foi é ainda é único...e como você mesmo me disse uma vez em um comentário:

" Ele partiu, sem ter partido"...

Também fiz um post sobre ele, durante essa madrugada, a empolgação foi tanta que quando vi lá estava enorme...rs não tive coragem de apagar, ficou enorme mesmo se der passa lá, tá?

Um beijo carinhoso, e uma boa semana,

Cris

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Estou em falta com você. Agoniadíssimo querendo encontrar tempo para ir ao Perplexo e botar a leitura em dia. Desculpe-me.
Abraço

Peri,
Sem dúvida. O melhor amigo dele era escocês.
Abração

Maria Helena,
Estava sim. Principalmente quando estava com minha avó, viúva dele 24 horas por dia.
Beijão

Cris,
Estou indo lá me deliciar com o que você escreveu.
Beijão

Alena disse...

Lord, faz poucos dias fiz uma lista dos poetas de que mais gosto e deu: "Drummond, Bandeira, João Cabral, Cecíclia Meireles e ele". Coincidência ou afinidade?

Amei a idéia de falar de Vinicius, preciso mandar um recado enviesado e vai ser através do post! (ahahaha)

Amo Vinicius e eu o ouço todos os sábados! tenho três cds originais idênticos: um para o carro, outro para meu quarto e outro que fica móvel para lá e para cá. Fora um minidisc gravado, claro.

Lord Broken Pottery disse...

Alena,
A escolha dos poetas é afinidade mesmo. Tenho certeza de que se você fosse escolher um sexto, escolheria o Mário Quintana. Acertei? Acho interessante a idéia de ouví-lo aos sábados (3 cd's iguais é ótimo!). Tem alguma razão especial? Seria o clima propício de início de fim de semana, ou apenas "porque hoje é sábado", qual o motivo? Também ouço muito o poetinha. Ainda hoje gosto de decorar seus poemas. Bom exercício para o coração.
Grande beijo

Claudia Lyra disse...

Delícia de história! Minha mente também confunde fato e ficção, mas nada envolvendo pessoas tão ilustres assim, hehehehe...

Meg disse...

Milord! Ahá!!!
Pensava que eu tinha m'isquecido:-)?
Pois vpa lá ver.
beijos
M.

Mário disse...

Lord, esse seu universo pessoal é mesmo fascinante. E Vinicius sempre será o amado poeta de todos os tempos. Aliás, o meu pai (74 anos)também já é fã dos seus textos. Quando venho a casa dele, onde estou neste momento, abrimos o micro e, depois dele passar os olhos no meu bloguinho, pergunta: "E aquele seu amigo que escreve tão bem... aquele tal de "lorde"? Onde é mesmo?"...rs. Então abro a sua página e leio o post para ele. Bom, sozinho ele não visita nem o meu blog...rs.
Um grande abraço, meu caro.

Mauro Castro disse...

Escrever poemas é para poucos. BONS POEMAS.
Há braços!!

Anunciação disse...

Hoje conheci a Olivia.Fiquei apaixonada.

Lord Broken Pottery disse...

Claudia,
O pior é que cada vez mais as dúvidas quanto a ficção e realidade têm aumentado.
Beijo

Meg,
Conheço você um pouquinho. Sabia que você não ia esquecer. Estou indo lá ver.
Beijão

Mário,
É por cauda de gente igual ao seu pai que acho tão importante escrever, sempre. Diga a ele que a partir de hoje estarei escrevendo também para ele, lembrarei desse compromisso com a qualidade. A responsabilidade de agradar pessoas tão bacanas nos faz escrever melhor.
Grande abraço

Mauro,
Também acho. É incrível como encontro jovens escrevendo poesia sem ter lido poesia.
Grande abraço

Anunciação,
Tenho um carinho todo especial pela Olívia. Acho que é uma personagem infantil que criei direitinho. Obrigado.
Beijo

marilia disse...

ainda vinicius...
me lembro de um show que assisti dele com o toquinho no Palácio das Artes, há tempos, e ele cantou a musica que sempre me vem na cabeça quando estou em duvidas se faço ou não alguma coisa: -por cima uma lage...embaixo a escuridão ..é fogo irmão...
ah...quando me lembro desse refrão, nada me segura, e lá vou vida afora...
abraço

Sibila disse...

Lord,
tudo isso q vc viveu em fantasia ou na real ( dá mesmo pra separar?) é de uma delícia...!!!
Gente - inclusive um tal de Ricardo Ramos - que sabe ver, curtir e falar da vida. Beijo.
A do São Bernardo-Graciliano é um achado, que bom humor e carinho do Vinícius ao genial, me permite (?), vovô!
Beijão.

Lord Broken Pottery disse...

Marília,
Essa coisa de por cima uma lage, em baixo a escuridão, me provoca arrepios, fico com medo, melhor esquecer.
Beijão

Sibila,
Como se diz por aí recordar é viver. Como já escrevram, a minha arma é o que a memória guarda. Assim me defendo do que o tempo leva, toma, sem me perguntar se eu empresto. Obrigado pelo seu carinho.
Beijão

Alena disse...

Fiz uma homenagem ao poeta e meu blog fez o favor de matá-la. Deletou... arght! Fiquei passada aqui, em frente ao pc.

* * *

"ouvi-lo todos os sábados... "

Ouço Vinicius aos sábados sempre porque não há como não ser feliz ou não me embriagar de sua poesia...então o dia fica lindo, mesmo eu me sabendo mulher (com toda aquela tristeza lírica que o poeta soube cantar).

Lord Broken Pottery disse...

Alena,
Se eu fosse você, ouvia na segunda. Seria uma boa maneira de transformar as segundas em um dia lindo. O sábado, para mim, é naturalmente bonito. Quanto às segundas, acho que o Garfield está coberto de razão.
Beijão

Serbão disse...

DE NOVO O SÃO BERNARDO!!!!
foi uma bela homenagem ao Velho Graça.

Lord Broken Pottery disse...

Serbão,
Também achei. Além de muito bem sacada, é claro.
Abração