sexta-feira, julho 20, 2007

My Favourites!

Gosto desse tipo de brincadeira. O amigo Adelino, do Mais Ou Menos Nostalgia, pediu-me que revelasse os cinco livros que mais me agradaram. Depois deverei escolher cinco amigos que terão o mesmo trabalho. Para mim é diversão. Nada é capaz de mobilizar-me mais. Meu entusiasmo pela leitura só faz aumentar, virou espécie de febre. Mergulho no assunto sempre com prazer renovado. Vamos lá!
*
A Montanha Mágica - Thomas Mann
Li o livro em fase importante de minha vida, ainda jovem. Era momento de estabelecer valores, encontrar referências, crescer como indivíduo. A história de Hans Castorp, combatendo solitário nos Alpes suiços uma tuberculose, desligando-se gradativamente do tempo, da carreira e da família, misteriosamente atraído pela doença e morte, fascinou-me. A crescente introspecção do rapaz, fez-me compreender e aceitar que a solidão muitas vezes era necessária. Os ideais liberais e conservadores, evidenciados e discutidos na obra, ajudaram em meu posicionamento. É muito difícil explicar uma paixão, declarar de bate-pronto qual a melhor experiência, mas aqui não tenho dúvida, foi a leitura que mais me impressionou. Até por ser sempre a primeira que conscientizo quando me fazem essa pergunta.
*
Guerra e Paz - León Tolstói
Costumo recordar onde estava, o que fazia, o que senti ao ler um livro que me foi importante. Talvez pela força da emoção. Cresci ouvindo falar desse "tijolo". Meu pai sempre foi um entusiasta da literatura russa. A alegria dele, quando me viu interessado por essa história de duas famílias durante as guerras napoleônicas, encheu-me de coragem. Enfrentei a empreitada com muita disposição. Passava férias em Itanhaém, na praia, casa de amigos. A noitinha sempre me encontrava na varanda, esparramado em uma rede, o vento acalmando minha pele queimada de sol, virando o número interminável de páginas. Completamente apaixonado por Natasha Rostova, personagem maravilhosa, concluí o romance. Final das férias de fim de ano.M
*
Em Busca do Tempo Perdido - Marcel Proust
Encontrei em Proust o detalhe, a surpresa ante o bem escrito, o entendimento dos limites que o ato de escrever podia atingir. Nenhum outro escritor me fez prestar tanta atenção nos cenários, no entorno, na força que a descrição podia ter. Nele, a sofisticação e o evidente esnobismo, sempre me pareceram completamente adeqüados, inseridos em um contexto delicioso. Sempre que me imagino aposentado, podendo ficar tranqüilamente lendo, é a obra que tenho nas mãos. Imagino meu fim relendo Proust.
*
Orgulho e Preconceito - Jane Austen
Acho divertida a maneira como muitos se referem ao texto. Não é, tenho a mais forte convicção, apenas uma história de amor. São muitos os aspectos que poderiam ser discutidos. O livro mereceria uma leitura mais cuidadosa. Os afoitos, certamente, mudariam de opinião. Para mim, sempre interessado nos aspectos humanos e nas relações entre as pessoas, fica muito marcada a lição que Elizabeth, a heroína, uma das cinco filhas dos Bennet, nos ensina. Ao evidenciar que a primeira impressão nem sempre é a mais certa, amplia nossos horizontes. A pressa no julgamento pode nos levar a erros. Aqueles que num primeiro contato despertam nossa antipatia, nem sempre são o que achamos.
* E*
A Sombra do Vento - Carlos Ruiz Zafón
Não poderia deixar de falar sobre alguma coisa lida mais recentemente. Estrondoso sucesso de vendagem, ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, é ao mesmo tempo poético e irônico. Fiquei preso praticamente do início ao fim da leitura, interessadíssimo nas aventuras de Daniel, às voltas com o cemitério dos livros esquecidos. Recomendo!
*
Para completar a brincadeira indico os amigos:
A Vida Em Palavras - Alena Cairo
Sturm Und Drang! - Denise Rangel
Infinito Positivo - Ery Roberto
ontanha

63 comentários:

valter ferraz disse...

Lord,
uma delícia poder falar sobre livros, não? Acho que poderíamos passar um dia falando sem esgotar o assunto.
A Montanha Mágica foi um livro que marcou também para mim.Aquele tijolão onde residem as angústias de um homem em busca de sí mesmo, representa a nossa vida. As dúvidas e angústia dele são também as nossas. Uma lição de vida interior. Dei o meu exemplar ao amigo Wilson Falchi que o mantém até hoje, mais de trinta anos, não é necessário que eu diga mais nada.

Guerra e Paz não lí e também Proust. Lí muito sobre Proust, mas nenhuma obra completa. Ainda não lí, mas quero muito.

Os outros que vc cita aqui também não. Passei um período grande sem outras leituras, venho tirando o atraso nos últimos dois anos. Mas a grana é curta e a gente lê aquilo que cai nas mãos.

Boas indicações, meu caro.
Grande abraço no dia do amigo.

ps: te mandei um e.mail hj, recebeu?

Alice disse...

OI Lord !
Antes de tudo feliz dia do amigo!1
São tantos os livroa que me marcaram....
Minha mãe sempre lia quando eu era pequena ''Uma casa na Campina'' de Laura Ingalls e me apixonei pela literatura de Laura ao ponto de meu irmão me chamar de Laura rs... coisas de irmãos.
Beijoss e bom fimde!

ery roberto disse...

Lord, uma sadia atividade. Terei imenso prazer em relacionar os livros marcantes da minha vida. Somente peço um prazo até ao início da próxima semana. Avisarei aqui quando o fizer. Preciso aproveitar o fim de semana para descansar um pouco de tanto peso que esta semana nos trouxe. Hoje ainda tive muitas decepções e suas origens estão registradas lá no meu post desta data. Buscarei uma saudavel "alienação" durante 48 horas para me refazer. Forte abraço neste dia especial do amigo, embora a mim todos eles sejam.

Vivien disse...

Lord, brigadim, tb gosto dessas blogbrincadeiras.;0)
Participarei sim. Tenho que pensar, porque fazer lista é sempre difícil, mas o primeiro da lista eu não tenho dúvidas: Cem anos de solidão.;0)

Claudia Lyra disse...

Ler é um grande prazer pra mim também. Mas leio muito menos do que gostaria. Gostei de sua lista, vou encará-la como indicação à boa leitura.

Meg (Sub Rosa) disse...

My dearest Lord!
Eis-me aqui, apresentando-me
(embora tenha certeza de que um dia milord fará o meu *dubbing*;-))))

Pronto, espero poder me desincumbir dessa sua ordem. Indicação de Lord é ordem.
E como serva fiel, farei, sim.
Um niquinhiosó de tempo, tal como o Ery.
Peço esse fim de semana e na terça-feira estarei com os livross.
Mas esses cinco podem ser seis ou sete?
Sou muito indecisa.
Bom, vamos ver.
Mas aviso logo
que leio muitas coisas anhnnn...er..pouco nobres.
Basta dizer que o livro da minha vida, o que mais li, reli, treli e sei parte de cor, é um romance sobre a Guerra da Secessão, da Guerra civil Americana, escrito por umamulher.
Vc já adivinhou, não é?
Pois é;-)))
Sou assim, sempre Gabrieeeela!
Beijos e saudade, Lord.
Com uma reverância despeço-me.
Meguita, agradecida ao Valter que me deixou saber dessa tarefa.

P.S...Embora eu ..etc etc etc; Feliz Dia do Amigo... o que mefaz lembrar quetrenho de ir buscar uma maiga que está muito distanciada; a Denise Rangel, mola que eu adoro.

Adelino disse...

Lord, sinto feliz por lhe indicado a partir da escolha da Marilia. A sua lista foi uma lista de boas recomendações. Senti vontade de ler alguns deles, sinceramente.
Grande abraço, e meus cumprimentos pelo DIA DO AMIGO.

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Querido irmão, falar de livros é, realmente, uma delícia. O melhor de tudo é saber que temos a vida inteira para ler o que ainda não lemos. As releituras fazem tabém parte do meu projeto pessoal. Existe muita coisa que preciso reler, sentir com olhos maduros, creio que será quase como uma nova visão. Não recebi seu e-mail, você poderia enviar novamente?
Grande abraço

Alice,
Você não imagina o quanto suas palavras me emocionaram. Laura Ingalls Wilder é, com certeza, minha maior paixão. Não coloquei entre meus livros preferidos por ter preferido citar livros adultos. Li e reli, dezenas de vezes, toda série Little House. Amo como se fossem de minha família: Mary, Laura, Carrie, Gracie, Pa e Ma. Os livros: Uma Pequena Casa na Floresta, Uma Pequena Casa na Campina, Às Margens da Lagoa Prateada, A Beira do Riacho, O Longo Inverno, Uma Pequena Cidade na Campina, O Jovem Fazendeiro, Anos Felizes e Os Quatro Primeiros Anos, foram responsáveis por muita coisa importante em minha vida: paixão pela leitura e vontade de escrever para crianças, principalmente. Gostaria muito, e me sentiria realizado, se conseguisse ser como escritor um pouquinho de que Laura Ingalls Wilder foi para mim. Em uma das vezes que estive nos EUA comprei uma caixa linda, com toda a coleção desses livros tão amados em inglês. Foi uma nova aventura relê-los, outras tantas vezes, no original. Pretendo um dia visitar o museu que fizeram, me parece que em Wisconsin, em homenagem a essa autora tão querida. Sou capaz de ficar horas falando sobre tudo o que se relaciona com a série Little House.
Grande beijo

Ery,
Não tinha reparado que era dia do amigo, celebro a data, atrasado, abraçando-o fraternalmente. Tenho pensado muito no que minha postagem anterior provocou. Cheguei a uma conclusão que divido com você, para mim bastante curiosa. Política anda muito fora da razão. Não há como tentarmos discutir de forma isenta, sem paixão. Como conseqüência pergunto se vale à pena o desgaste. As pessoas, e me incluo entre elas, colocam muito sentimento na defesa de suas idéias e representantes. Fica difícil, debaixo dessa ótica tão passional, chegar à alguma conclusão. Os lados opostos acabam brigando, se emputecendo, perdendo completamente a possibilidade de fazerem-se entender. Tem muita gente que ama o Lula de forma quase que irracional, da mesma maneira que muitos, também sem muito sentido, o detestam. Vira um tipo de discussão futebolística, cada um com a camisa de seu clube, batendo-se sem fim. Sinto-me muitas vezes, no meio dessa confusão, bastante criança, teimando por teimar, sem conseguir ser convincente. Mesmo porque, se olharmos atentamente, em política tanto a direita, como a esquerda, estão o tempo todo voltados para o seu próprio umbigo, construindo sua estratégia de sobrevivência, sonhando com o poder, sem preocupar-se com mais nada.
Grande abraço

Vivien,
Bela escolha para começar. Não coloquei Gabriel Garcia Marques pela simples razão de que teria que por dois livros: Cem Anos de Solidão e O Amor Nos Tempos Do Cólera. Esgotaria boa parte da lista com ele.
Bejão

Claudia,
São livros para a vida inteira. Valem cada palavra lida.
Grande beijo

Meguita, querida,
Estava com saudades. Tenho bastante curiosidade em saber quais são os 5 livros que fizeram sua cabeça. Limito a 5 para ver se você consegue citar apenas esse número. Sei que é difícil, mas se ampliamos um pouco os horizontes, corremos o risco de não terminar a incumbência. Esse da Guerra de Secessão americana me deixou curioso.
Beijão

Adelino, querido amigo,
Feliz dia também pra você, é muito bom ter o seu carinho. Creia que os livros valem à pena.
Grande Abraço

Anônimo disse...

prá começar, teria maior crise para escolher os melhores livros, ou músicas, ou lugares, ou tempos da minha vida.
e vc faz isso com facilidade, além de ter uma super memória remota e recente.

invejável,lord, invejável.

anna

Silvares disse...

Da lista que propões apenas li "A Sombra do Vento", recentemente, muito recentemente mesmo. Os restantes são livros que andam (ou andaram) por prateleiras em casa dos meus pais, do meu irmão, do meu avô, mas que nunca cheguei a atrever-me na leitura (Em Busca do Tempo Perdido é "assustador"!). Sou um leitor preguiçoso e grandes volumes fazem-me fingir que não estou interessado. "A Sombra do Vento" foi como referes... uma leitura imparável, como um vento forte...
Abraço.

Lord Broken Pottery disse...

Anna,
Acho que você tem razão. Sou preso demais ao passado. Dos três tempos é onde mais vivo. Não deveria ser assim. O presente para mim, muitas vezes, é pouco vivido. Ou estou lembrando, comparando, querendo que alguma coisa volte, o que é impossível, ou imaginando como será no futuro. O presente é real demais para o meu gosto.
Beijão

Silvares,
Não é a impressão que me passas. Sempre pareceu-me que o amigo era leitor voraz, até pela qualidade do que escreves. Quanto ao livro do Zafón, achei a imagem ótima. É mesmo um vento fortíssimo.
Abração

Anônimo disse...

Querido Lord Caco,

sem pensar muito, pra não perder o rumo, meus cinco livros inesquecíveis são seis:
1-Os Meninos da Rua Paulo (Ferenc Molnar), na infância;
2- Wnnetou (Karl May), na adolescência;
3, 4, 5, 6- São Bernardo (Graciliano Ramos), Judas, o Obscuro (Thomas Hardy), Crime e Castigo (Dostoievski), e Cem anos de Solidão (Garcia Marquez), na idade adulta.
Há alguns meses, reli "Os Meninos da Rua Paulo", que a Cosac Naify reeditou, e a emoção não foi menor que a experimentada há mais de cinquenta anos. Comovente.

Beijo da
Vivina.

marilia disse...

Puxa...estou adorando o adelino ter lhe indicado ...parece ue despertou lembranças boas...
tb indiquei os meus,mas queria indicar 10, vinte se possivel...
da sua lista, já li dois..proust e guerra e paz....
não são os meus prediletos, mas são livros que ainda pretendo reler...
mas, a forma com vc falou da montanha mágica, me faz querer voltar ao shopping ( acabei de pegar o livro do harry para a Mali...é em ingles... frustei... só ela mesmo, (a mamy aqui só vai mal e porcamente no portugues e no frances...)e comprar...
acredite, fiquei com agua na boca para ler...
bjos e bom fim de semana!
ps: valeu a força hoje lá no meu post...
(fiquei meio tristinha mesmo, pq quem me mandou email é gente boa e fera no portugues...rssss)

Lord Broken Pottery disse...

Vivina, querida,
Também gosto demais de Os Meninos da Rua Paulo. Só que já faz tanto tempo que li... Preciso reler, ver como sinto hoje. Falando em Cosac Naify, não sei se já comentei com você, mas eles vão publicar o "Graciliano, Retrado Fragmentado", do velho. O Rogério está conversando com eles. Pretendem fazer uma edição bastante bem cuidada, com fotos inclusive. Estamos muito contentes.
Beijo

Marília,
Você me fez lebrar que preciso ir buscar o meu Harry. Não vejo a hora de ler. Com relação ao cara que te chateou, pode ser gente boa, mas não prima pela boa educação.
Grande beijo

Silvares disse...

Eu adoro escrever Lord. É quase uma urgência incontrolável. É como desenhar. E adoro ler mas leio muito devagar, saboreando a leitura. Por isso prefiro ler em português. As traduções, por vezes, deixam-me embaraçado. Leio muitos jornais o que me retira algum tempo para a literatura.

Serbão disse...

putz, mas só tem calhamaço aí!!! é tarefa prum bom tempo ler estes cinco...

Lord Broken Pottery disse...

Silvares,
Tenho o mesmo problema com os jornais. São uma leitura quase que obrigatória, mas tomam espaço demais.
Grande abraço

Serbão,
Concordo. Coisa para aumentar os músculos do braço após a leitura.
Grande abraço

Eduardo P.L. disse...

Lord, desde ontem estou pensando se vou confessar que não li nenhum desses autores, e não tenho intenção. Literatura por literatura, não me diz nada.Leio só o que me diverte ou interessa.
Sei que vem críticas pesadas com essa heresia, mas é a verdade.

marilia disse...

lord...não fiquei com livro do harry... a mali comprou lá na argentina e vendi o meu pra vizinha9 a filha dela)..
logo, estu morrendo de curiosodade? será que ele morre no fim???
rsss me conte depois..
O cara é gente boa, já comentei lá no meu post, mas acho que tem mil maneiras de se ensinar...
mas eu estou super bem, e não quero problemas...rsss
a minha vida é meio bipolar,mas eu sou do bem e da paz...
acho que não mudo nunca,mas...gosto de mim pra caramba... bjos e bom fim de domingo!

Maria Helena disse...

Lord,
Escolher apenas 5, entre tão bons escritores, deve ter sido dificil.
Seu avô deveria estar nesta lista, sentí falta.
Gostei da escolha dos blogs, por questões óbvias, né???
Uma vez quando passamos, eu e a Vivinha, pela biblioteca municipal
aqui em Campinas, ela fez o sinal da cruz, quando percebeu rimos muito do gesto.
Bjs

Ricardo Rayol disse...

Agora entendo a enorme capacidade narrativa daqui, uma absorção de boas leituras inigualável.

Claudio Costa disse...

Sem muito rigor, deixando-me levar apenas pela livre associação, enumero livros que me fizeram pensar, crescer, ficar perplexo, etc. e tal: 1. Cem anos de solidão; 2. Crime e Castigo; 3. Obras completas de Carlos Drummond de Andrade; 4. Obras Completas de Monteiro Lobato; 5. Dom Quichote de la Mancha. Tem mais, tem mais...

valter ferraz disse...

Caco,
reenviei o e.mail.
É o texto que a Meg fez para as "orelhas" do livrim.
Confirme para mim o recebto?
O gmail anda aprontando comigo aqui.
Um abraço grande

peri s.c. disse...

Lord,
Lavro meu protesto, só 5 ? As regras, ora as regras, aproveita e coloca logo uns 20, 30. Os 5 prediletos, mais outros 25 ... um milímetro menos prediletos.
Você é um fino artesão da escrita e da leitura, queremos mais.

Alice disse...

Oi Lord,
Vi sim e adorei,pra variar!
Mostrei para minha mãe que é da sua geração e falei que vc ama a Laura Ingalls,ela achou o máximo!
Na mesma hora eu fuçei no google e descobri um site da Laura Ingalls nuito legal,vende coisinhas como post cards,réplicas de roupas que a laura usava,nessa parte eu me diverti bastante com minha maa~e dizendo que ia comprar um chapéu de sol e um avental que Laura usava,tem camisetas e casacos tb.
Bem,como vc me contou um segredo vou contar um pra vc também.
Eu AMO escrever!Modéstias a parte eu mando muito bem em redação!rs.. Meu sonho é escrever um livro,mais tenho muita dificuldade de organizar meus pensamentos e sei que isso é uma das coisas mais importantes para escrever.
Desde pequena eu tenho uma vontade louca de escrever,o que não me falta é imaginação,não é à toa que brincamm dizendo que vivo no ''País das Maravilhas'' rs...
Desculpas pelo texto longo !!
Beijos!!

valter ferraz disse...

Alice,
desculpe intrometer-me na conversa de vocês dois, sou um abelhudo mesmo, mas escreva, escreva sim. Sei o que é isso. A técnica vem depois. Sei que o Lord não te dará opinião diferente.
Um grande abraço

valter ferraz disse...

Lord, e o Peri tem razão. Poderias falar dos seus vinte ou trinta. Leríamos com o maior prazer a lista e as considerações.
Um abraço, mano

Eduardo P.L. disse...

Lord, boa idéia. Apoiado , Peri e Valter. O Lord poderia postar constantemente essas resenhas. Assim os que eu não li, teria uma idéia, e daria como lidos....hahaha

Abçs e boa semana!

Lord Broken Pottery disse...

Eduardo,
Jamais criticaria o amigo. O objetivo maior da literatura para mim, além de alimentar o prazer daqueles que amam ler, é tornar as pessoas sensíveis. Quem quiser conhecer a sensibilidade enorme que você tem, basta dar uma passadinha no Varal de Idéias, cujo link está do lado.
Abração

Maria Helena,
Você tem razão, livros para mim têm alguma coisa de divino. Não citei Graciliano por ter deixado os brasileiros de fora. Se fosse colocar os brasileiros, faria uma lista só com eles:
Machado de Assis (obra completa)
Angústia - Graciliano
Menino de Engenho - José Lins do Rêgo
Jubiabá - Jorge Amado
O Cortiço - Aluízio de Azevedo
Grande beijo

Ricardo,
Concordo. Não dá para escrever sem ler bastante.
Abração

Claudio,
Uma de minhas vergonhas é não ter lido o Dom Quichote ainda. Está entre minhas próximas leituras. Quanto ao Monteiro Lobato, para mim, foi o começo de tudo. O primeiro livro que li foi Reinações de Narizinho.
Abração

Valter,
Recebi e li. Perfeito como tudo o que a Meg escreve.
Abração

Peri,
Vamos lá, meio fora de ordem, conforme fui crescendo:
Monteiro Lobato (tudo), Laura Ingalls Wilder (tudo), A Ilha do Tesouro, Mob Dick, Robison Crusoé, Caninos Brancos, Coração, Mark Twain (tudo), Os Thibault, David Coperfield, Cem Anos de Solidão, O Amor nos Tempos do Cólera, O Velho e o Mar, Paris é Uma Festa, Por Quem Os Sinos Dobram, O Grande Gatsby, Pais e Filhos, Doidinho, Banguê, Moleque Ricardo, O Quinze, Vidas Secas, São Bernardo, Caetés, Gabriela, Dona Flor, Um Copo de Cólera, Avalovara, Raymond Chandler (tudo), P.D.James (tudo), Georges Simenon (tudo), Agatha Christie (tudo), Rex Stout (sou fã do Nero Wolfe), Dashiel Hammet (tudo), Manuel Bandeira (tudo), Fernando Pessoa (tudo), e vai por aí, cansei.
Abração

Alice,
Leia bastante, muito, depois escreva. Comece fazendo períodos curtos, sintéticos, não se alongue demais. Depois mostra pra gente. Você vai conseguir. Já tem o principal: o sonho e a vontade.
Beijo

Valter e Eduardo,
Por enquanto só enfileirei alguns, os que me vieram rapidinho na memória, fica registrado como proposta de postagens.
Grande abraço

Anônimo disse...

Lord Caco,

ótima a notícia da nova edição de "Graciliano, Retrato Fragmentado", de seu pai. Eu me lembro muito bem de quando ele o escreveu. A pesquisa, as lembranças, as vivências, o cuidado de não se envolver, por ser filho. Depois, certo de que isso seria impossível, o extremo cuidado para que o envolvimento inevitável não "danificasse" a obra.
Não danificou, claro. O livro, muito bonito, merece a edição que a Cosac Naify prepara. Esperemos, então.
Beijo da
Vivina.

Lord Broken Pottery disse...

Vivina,
Esperemos. Vamos ver se a Cosac dá o tratamento que a Siciliano não deu.
Beijo

Márcia(clarinha) disse...

Belo exemplo de leitura,parabéns.
Eu me restrinjo a poesia, ultimamente é só nela que penso e me delicio lendo,rss
semana de luz,
beijos

Lord Broken Pottery disse...

Márcia,
Poesia é todo um universo mais do que suficiente.
Beijo

james disse...

Muito interessante.
Brincando é que se brinca!
Não é mesmo?

Um abraço.

valter ferraz disse...

Caco,
esse do "velho" não perco de jeito nenhum. Será que demora?
Abraço, mano

(viu o atrevimento?)

Lord Broken Pottery disse...

James,
E se brinca, brincando.
Abraço

Valter,
Não sei. Meu irmão estará com os editores essa semana. Vamos ver o que dizem.
Abração

cõllybry disse...

Belissimos livros, aqui presentes...

A leitura é estrada do conhecimento...

Gostei muito...

Bjca doce e meu rastoooooooooooooo

Mário disse...

Dicas perfeitas. Livros que muito auxiliam na arte de escrever. Abraços.

Sandra disse...

Você estava no "Canto" e não nos apresentaram?? Magoei. Ou o apresentaram pelo nome e esqueceram de dizer que você era Lorde Broken?

ery roberto disse...

Lord, sei que você já sabe, até comentou, mas só para avisar seus leitores que hoje postei meu texto sobre este assunto delicioso. Ainda bem que a literatura nos oferece ótima trégua de todas as coisas inaceitáveis. Forte abraço e grato pelo convite.

marilia disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário... vindo de vc, sinto-me mui...honrada!
um abraço e ( já sei o final do harry potter...rsss) (a meire me contou...)
Um abrço e boa semana

Wilian disse...

Meu caro Lord, p/nós amantes da leitura, falar de livros é sempre um programa agradável. Gostei de suas indicações, p/mim ainda desconhecidas, porém vou procurar ter acesso a tais obras.
Grande abraço.

Tiago Ferraz disse...

Caro Lord,
Minha lista tem, necessariamente, de incluir os brasileiros.
Mais ou menos pela ordem cronológica das leituras que fiz:
1 - Macunaíma (Mario de Andrade);
2 - O Tempo e o Vento (Érico Verissimo), a obra completa;
3 - O Cortiço (Aluísio de Azevedo);
4 - O espião que saiu do frio (John Le Carré);
5 - Os Reis Malditos (Maurice Druon), tb todos os 7 volumes.

Acho que com exceção do Druon, os outros já valem a pena uma releitura...Matei todos antes dos 10 anos...rs

denise disse...

Ricardo, como disse a Meg, ando meio afastada. Estou curtindo o recesso um pouquinho, mas volto devagarinho. Tem dever de casa nas férias, fessô? Fala sério! Posso entregar no fim de semana?
Vou lá ver os outros indicados.
abraço, garoto

valter ferraz disse...

Caco,
você viu a listinha do moleque?
Esse meu menino. Começou aos seis/sete anos e não parou mais.
Vou parar de babar que aqui não é lugar para isso.
Grande abraço

Lord Broken Pottery disse...

Cõllybry,
Obrigado pelas gentis palavras. Já fui bisbilhotar no Olhar Indiscreto, gostei muito, coloquei um link para facilitar minhas futuras voltas.
Grande beijo

Mário,
Você tem razão. Tudo o que lemos reforça nossa capacitadade de escrever, melhorando nossa lida com as palavras.
Abração

Sandra,
Não devemos ter nos encontrado. Não sou muito de noitadas, nem de bares. Cheguei cedo, abracei os autores, beijei minha prima Fernanda, mulher do Albano (Branco Leone), peguei os livros e autógrafos, e fui embora. Pena. Teria sido legal conhecer você. Desvantagens de quem gosta de dormir cedo. Estou colocando um link aí do lado pra visitar você com mais freqüência.
Beijo

Ery,
E suas indicações, todas elas, provam o que eu sempre soube, o cara de bom gosto que você é.
Grande abraço

Marília,
Psiiiiiiiiiiiiu! Não conta pra ninguém.
Beijão

Wilian,
Tenho certeza de que você gostará.
Grande abraço

Tiago,
Se leu antes dos dez, a releitura será outra leitura, com olhos diferentes. Gosto muito do Érico, praticamente toda obra dele é boa. Também sou fã do “Tempo e o Vento”, acho Ana Terra e o Capitão Rodrigo, duas das melhores personagens brasileiras que já foram criadas.
Grande abraço.

Denise,
É apenas uma brincadeira, nada de dever de casa. Você faz quando e se quiser. O mais importante de tudo é que você esteja bem.
Grande beijo

Valter,
Esse espaço aqui é democrático, você pode babar quando quiser, tem porque.
Grande abraço

Blogue da Magui disse...

Bela lista. Para quem sabe ler mesmo.

Cristiane disse...

Lord,
Me junto ao Valter ao dizer que acho delicioso falar sobre livros...´´e um assunto infinito e híper interessante, sempre!
Dos seus indicados não conheço nenhum, mas anotei e em uma oportunidade, lerei, com certeza!
Quanto à Saramago, acontece...tb tenho escritores que sei ser boms, admiro-os, mas não leio, só não me pergunte porque, pois como vc tb eu não sei dizer o porque...srsrs...
Obrigada pelas visitas Lord, sempre tão agradáveis! Um beijo e uma boa semana, Cris

Milton Ribeiro disse...

Cada um, cada um. Veja como é curioso:

Adorei A Montanha Mágica, mas ficaria com o Doutor Fausto.

Adorei Guerra e Paz, mas ficaria com o Ana Karênina.

Fechamos no Em Busca do Tempo Perdido e no Orgulho e Preconceito, um livro admirável e certamente mal lido.

A Sombra do quê? Nem conheço.

Grande abraço.

Lord Broken Pottery disse...

Magui,
Pra quem gosta muito de ler.
Grande beijo

Cris,
Percebo que a reação é generalizada. Todo mundo que Lê muito, gosta de falar sobre suas leituras.
Boa semana pra você também.
Beijo

Milton,
Também gosto muito de Dr. Fausto e Ana Karênina. A Sombra do Vento, deixa eu explicar direitinho, não é um livro para ser comparado a nenhum dos que citei. Não é alta literatura. Apenas um livro que li recentemente, bom, muito bem humorado, desses que você não consegue parar de ler, recomendo fortemente.
Abraço

valter ferraz disse...

Lord,
fiz as correções por lá. Acho que agora o segurança não vai barrar o "elemento".
Grande abraço

Lord Broken Pottery disse...

Valter,
Vê se desculpa esse seu amigo tão chato.
Abraço

Meg (Sub Rosa) disse...

Lord , my anglofilíssimo Lord, first of all, a warning:
Avise Lady Cordelia que estou apaixonada por mylord.
E razões não me faltam, so so, deeply sorry , querida Lady!
=-=-=-=-
Bom depois desse inaudito assanhamento, devo lhe dizer que fiquei felicíssima pelo comment.
Então o seu anglofilismo chega ao ponto de ver filme das Spice Girls?
(como vê, eu sim, sei guardar segredos, hohoho)
=-=--=
Queria lhe dizer duas coisas mais:
1- O Lord se lembrar de como se sentiu, qual era a ambiência de quando leu um livro importante para você... é o máximo!
By the way, eu guardei um comment-post seu sobre como era a sua *estétca da recepção* dos discos dos Beatles. Que texto maravilhoso!

2- Você sabe, não sabe?, que o livro de Jane Austen só recebeu esse título Pride and Prejudice - if memory serves me well- depois de alguma considerável discussão com Fay Weldon, a publisher, pois o título originalmente concebido por Austen era mesmo First Impressions. E Weldon fincou pé dizendo que "First.. era um tanto quanto, "misleading". Mas isso tenho certeza de que vc sabe.

No mais renovo a intenção de, claro, fazer eses terrivel meme, como escolher cinco livros meu desinhodocoração, se o meu livro de formação foi escrito por uma mulher americana sulista, e virou filme em 1939, época em que a minha mãe se era, era apenas um brilho no olhar do meu Pai, for sure.;-)
---
E pra finalizar, diz a lenda que a Carmen Mayrink Veiga quando teve seus primeiro affairs com dívidas (do marido, por certo) e seu nome foi parar no SPC... ela *vendeu* uma entrevista para Veja, e o jornalista lhe perguntou:
- É verdade que o seu nome está no SPC?
Ela jogou os negros cabelos para o lado e perguntou, com o aplomb de quem sempre foi legitimamente *posh* -e respondeu:
-E o que é SPC?
O repórter explicou pra ela e ela perdeu a pose (parece que foi a única vez na vida, dizem e desceu do salto:
- Olhe, meu rapaz! isso é injusto, muito injusto, pois eu trabalho *como uma negra.... etc eteceterrá.

--
Por uma entrevista assim devem ter pago o dobro.
E eu citei a entrevista para dizer que estou trabalhando como uma moura, o que deve ser tão racista e politicamente-incorretíssimo quanto a declaração de Teres(z)a.
Um beijo e como todo mundo vem aqui, peço perdão a todos por não estar indo visitá-los, e outras coisas faladas no gerúndio.
Não tô podendo:-o((
Mas já teve gente me retaliando que não vai lá...oh Lord, que coisa:-))
beijos perdão , peço, a todos.
beijos,e obrigada pela compreensão, mylord. Oh my Lord, como diria George Harrison.
Meguita

Lord Broken Pottery disse...

Meg, querida,
Mais uma vez solicito sua discrição, não comente por aí, mas não sabia que Pride and Prejudice chamar-se-ia First Impressions. Sou obrigado a concordar com o editor, gosto mais do título famoso (talvez por estar mais acostumado a ele).Fui ver Spice Girls no Brasil, morto de saudade da Inglaterra, querendo ver um pouquinho do país na tela. Lady Cordélia compreende nosso amor, sabe que é metafísico. A tal da entrevista, conforme foi dada, não tem preço. Também tenho trabalhado como mouro, negro, ou brasileiro, que é uma mistura disso tudo.
Grande beijo

Sibila disse...

Por serem bons e caídos na mão-cabeça-corpo essa dimensão:

> Eça de Queiroz: Os Maias; A Relíquia e, muito, A cidade e as Serras. Tudo Ele.

> kafka. O Processo: acho q mais ou menos vivi e vivo o mesmo.

> Dostoiéviswki (erada a grafia?)
Crime e Castigo e Os irmãos Karamazov.

> Júlio Cortázar. Estórias de Cronópios e Famas e o Jogo da Amarelinha.

> Gramarâes Rosa. Primeiras Estórias e Grande Sertão: Veredas.

> Pirandello. Eu, Nenhum, Sem mil.

> Marcel Proust. Em Busca do Tempo Perdido (v. I e II.)

A Montanha mágica ficou no caminho 2/3 - não tenho explicação para tal fato aos pés dos tão lindos e do tão reconhecido Tomas Mannn. Alpes...
Dos alpes, pamorama a ver e profundeza a chegar, é o ensinamento contemplando todos os climas.
Bjs,

Sibila disse...

Lord,
acaso leia essas "destroçadas" linhas, por favor, retire esse comentário completamente maluco que deixei acima: ele não é digno dos autores citados e nem de um blog como o seu.
Vou dar um tempo se não enlouqueço de vez. Obrigada, beijos.

Lord Broken Pottery disse...

Sibila,
Achei asua lista muito boa, inteligente, de quem leu bem e bastante. Porque retirar o comentário? Tudo o que você disse foi tão importante... Reconsidere, por favor.
Beijo

Van disse...

Lord querido.....
Não só gostei da sua lista, como também acho que você me abriu, enfiou a mão lá dentro e pegou algumas das minhas coisas pra si! A tua lista poderia perfeitamente ter sido escolhida por mim.
....................................
Beatles dispensam qq comentário. Por aqui tb ouço direto. Originalmente o subtítulo do meu blog era "All you need is love". E amo tocar e cantar Blackbird. Me apaixono todas as vezes que ouço Eleanor Rigby. (inclusive tenho uma gravação fantástica dessa música que até gostaria de te mandar. Se quiser me mande um e-mail que te mando a música como resposta. Você não vai se arrepender. É uma versão lindíssima!) Entre todas as outras coisas.
....................................
Coincidentemente - e aqui eu preciso que você use toda a sua fé - acredite: eu estava ouvindo exatamente aquela música da DIDO quando li seu comentário. Here with me! Incrível! Onde você esconde a bola de cristal? Me ensina?
....................................
Adorei tudo!
Obrigada!
Beijuca.

Van disse...

Ai..... Que distraída!!! Esqueci de mandar o meu e-mail. Aí vai: vanluchi@gmail.com
Beijuca

Lord Broken Pottery disse...

Van,
Que bom que você gostou, estou mandando um e-mail para você.
Beijo

La Carmencita disse...

Não dar importância a sua percepção intuitiva pode ser uma grande falta. Se você percebe algo estranho em relação a alguém, seja no primeiro encontro ou em qualquer um dos próximos, é bom prestar atenção.

Quanto a Orgulho e Preconceito, é um livro do qual também gosto muito. Se a autora não nos quisesse dar uma lição, não teria optado pelo título que deu a ele. É meio óbvio.

Lord Broken Pottery disse...

Carmencita,
Você tem toda razão. Só hoje percebi o seu comentário. Agradeço a visita e retribuirei. Deixarei um link ao lado pra te visitar de maneira mais cômoda.
Beijo

Luiz Felipe disse...

Lord, my dear cousin,
As tr�s primeiras indica�es s�o exatamente as minhas. A Montanha M�gica � a mais perfeita dissec�o da(s) natureza(s) humana(s). Tolstoi eu li as obras completas, em papel b�blia, num julho dos meus quatorze anos, em f�rias. Guerra e Paz reli muitas vezes depois. Ana Karenina (que meu pai dizia Kari�nina)tamb�m. Proust � o retrato de uma �poca. Desde que o li fico � la recherche de mes temps perdues.
Beij�o do seu primo (que timidamente acompanha seu blog h� algum tempo),
M. Le Blon