domingo, novembro 22, 2009

Epílogos

Meu querido tio James Amado publicou, em 1965, as obras completas de Gregório de Matos. O grande poeta baiano nasceu em 1635. Dedico este poema ao meu amigo Jayme Serva, do Dito Assim, também ótimo versejador. Incrível como nosso país não muda, permanece ainda na época do Boca do Inferno.
.
Epílogos
.
Que falta nesta cidade?................Verdade
Que mais por sua desonra?...........Honra
Falta mais que se lhe ponha..........Vergonha.
.
O demo a viver se exponha,
Por mais que a fama a exalta,
numa cidade, onde falta
Verdade, Honra, Vergonha.
.
Quem a pôs neste socrócio?..........Negócio
Quem causa tal perdição?.............Ambição
E o maior desta loucura?...............Usura.
.
Notável desventura
de um povo néscio, e sandeu,
que não sabe, que o perdeu
Negócio, Ambição, Usura.
.
Quais são os seus doces objetos?....Pretos
Tem outros bens mais maciços?.....Mestiços
Quais destes lhe são mais gratos?...Mulatos.
.
Dou ao demo os insensatos,
dou ao demo a gente asnal,
que estima por cabedal
Pretos, Mestiços, Mulatos.
.
Quem faz os círios mesquinhos?...Meirinhos
Quem faz as farinhas tardas?.........Guardas
Quem as tem nos aposentos?.........Sargentos.
.
Os círios lá vêm aos centos,
e a terra fica esfaimando,
porque os vão atravessando
Meirinhos, Guardas, Sargentos.
.
E que justiça a resguarda?.............Bastarda
É grátis distribuída?......................Vendida
Que tem, que a todos assusta?.......Injusta.
.
Valha-nos Deus, o que custa,
o que El-Rei nos dá de graça,
que anda a justiça na praça
Bastarda, Vendida, Injusta.
.
Que vai pela clerezia?..................Simonia
E pelos membros da Igreja?..........Inveja
Cuidei, que mais se lhe punha?.....Unha.
.
Sazonada caramunha!
enfim que na Santa Sé
o que se pratica, é
Simonia, Inveja, Unha.
.
E nos frades há manqueiras?.........Freiras
Em que ocupam os serões?............Sermões
Não se ocupam em disputas?.........Putas.
.
Com palavras dissolutas
me concluís na verdade,
que as lidas todas de um Frade
são Freiras, Sermões, e Putas.
.
O açúcar já se acabou?..................Baixou
E o dinheiro se extinguiu?.............Subiu
Logo já convalesceu?.....................Morreu.
.
À Bahia aconteceu
o que a um doente acontece,
cai na cama, o mal lhe cresce,
Baixou, Subiu, e Morreu.
.
A Câmara não acode?...................Não pode
Pois não tem todo o poder?...........Não quer
É que o governo a convence?........Não vence.
.
Que haverá que tal pense,
que uma Câmara tão nobre
por ver-se mísera, e pobre
Não pode, não quer, não vence.

24 comentários:

Vivien Morgato : disse...

É realmente engraçado ver como algumas situações se repetem em verso e prosa.
Diferentemente de vc e do poeta, sou otimista.
Mas há quem diga que o otimista não passa de um pessimista mal informado, então...rs
Beijos.

Aninha Pontes disse...

Lord querido:
Tão atual os versos, como se tivessem sido escritos hoje, para a situação atual.
E, uma bela lembrança na dedicatória.
Jayme merece.
Um beijo à você e à ele também.

Lord Broken Pottery disse...

Vivien, querida,
estava com saudade de você. A questão do pessimismo e do otimismo me parece ser mais do que tudo temperamento. Eu alterno os dois momentos. Ultimamente a política tem me deixado muito infeliz e revoltado.
Beijos

Aninha, querida,
Bom falar com você, sinto falta de nossas conversas bloguísticas. Dê um beijão pra todo mundo em casa, tá?
Beijo grande

valter disse...

Caco,
hey hey, cheguei.
Me avisou a Aninha que tinha post
Correndo, vim por suposto
Deixar de ler as linhas curtas, não posso
Se não as leio? Desgosto.
Beijo, mano

Lord Broken Pottery disse...

Valter, meu bom mano,
É sempre gostoso ler você. Como vão as coisas?
Grande abraço

jayme disse...

Caco, tempos atrás, mais precisamente quando do plebiscito sobre a posse de armas, tive um insight, que descrevi no Dito Assim, e que muito alívio me deu. Na verdade, concluí mais ou menos a mesma coisa que o Boca, quatrocentos anos antes: o problema do Brasil não são "as elite", a que todo mundo se refere, delas se excluindo. Não é culpa "das elite" o parlamento que temos. Não é mais culpa "das elite" o desmando de nossos prestadores de serviço. Não é mais culpa "das elite" a corrupção surda que adoece cronicamente esta terra. O Brasil já tem tempo suficiente de vida independente para que sua sociedade se afirme de modo autônomo. Mas o que ela faz de modo autônomo é tão-somente reclamar "das elite", "dos político" e "dos governo" para a pessoa ao lado no sofá e logo se dedicar ao próprio umbigo. É daí que vem o Lula. O Brasil precisa de muitos Lulas para continuar sem fazer porra nenhuma.

Lord Broken Pottery disse...

Jayme,
Concordo com você. O velho Nelson Rodrigues, odiado pelas esquerdas, é que tinha razão. Temos mesmo complexo de vira-latas. O Lula nos serve direitinho. Pra quem quer pouco, acha que ele representa o que somos, e fica feliz, que ele tem o jeito da gente, e é simples e descomplicado, até chora quando se emociona, ele é um prato cheio. O meu problema é que eu sou bem mais exigente. O Lula é muito pouco pra mim.
Grande abraço

hélio disse...

Olá Lord Caco, está mais tranqüilo?

Vou pegar uma carona na sua resposta para o Jayme,

Embora você não admita, o Lula é o brasileiro que deu certo. Primeiro, pelo o que o Brasil como país representa no mercado mundial, e somando-se a isso, ele Lula, demonstrou um carisma surpreendente até para ele mesmo.

Curiosamente, deu credibilidade ao Brasil. Como credibilidade e dinheiro andam juntos nos dias de hoje, vá lá.

O Lula não nos serve direitinho. O Lula é um produto nosso, como você, eu e o Caetano. Só que nasceu miserável pela “doce’ elite a que o Jayme se refere, foi à luta da forma como é no Brasil com a maioria da nossa população, pegando as oportunidades que aparecem pela frente e como se diz “segurando na mão de Deus”... Foi o que plantamos para nós, ou não? E demos sorte, poderia ser muito pior. Você já imaginou o produto que virá num futuro próximo?

Talvez o Lula não seja o que eu imagino como líder do meu país. Talvez o Lula seja pouco para mim... Talvez sim, talvez não. E o que importa o que eu acho. Nada. Mas não posso me fechar na minha ausência, na minha realidade e ignorar o que é o Brasil. E, não enxergar as qualidades que ele está demonstrando, me tornaria muito pior.

Prato cheio para todos, Lord! Ou não?

gde abs.

Lord Broken Pottery disse...

Oi, Hélio,
Feliz em ver você por aqui. Existem muitos brasileiros que deram certo, felizmente. Eu devo ser um cara péssimo, muito ruim mesmo, pois não consigo ver mínimas qualidades que sejam no Lula.
Grande abraço

Ery Roberto Correa disse...

Meu caro Lord, prazer renovado em te ler outra vez aqui. Havia deixado um abraço lá no Dito Assim, mas seu comentário me trouxe direto pra cá.

Que poema! Realmente a poesia também tem o dom de nos ensinar a ver. Tão atual, parece até que o tempo parou!

Mas, independente da piscina continuar cheia de ratos, "o tempo não para". E a reverberação deste e outros versos tem o poder de me conservar na esperança.

Acredito que nosso povo tenha que cumprir este castigo atual, esta fase rasteira da política, para definitivamente aprender que o "nivelar-se por baixo" é como pagar pena de um crime não cometido. Infelizmente a maioria cometeu, não bem um crime, mas o engano imperdoável da sua opção pelo PT e sua sanha incontestável de "apenas poder".

Espanta-me nessa militância e "simpatizantes" a incapacidade de refletir, ao menos, que possa existir liberdade de pensamento, o direito de gostar e não gostar, de aceitar e criticar.

Mas tudo passa. O tempo não para.

Forte abraço.

Lord Broken Pottery disse...

Ery, meu bom amigo,
É sempre com muita alegria, e conformidade de opiniões, que leio o que você escreve. Fico imaginando o que o Cazuza, tantas vezes citado em seu texto, não diria da atual conjuntura. Não seria, certamente, alguma coisa muito leve.
Grande abraço

dade amorim disse...

É mesmo incrível, Lord, essa insistência no desairoso, como diria um amigo meu. Parece que somos mesmo incorrigíveis. Agora então, com tanta "autenticidade" entre os homens públicos, a moda é mesmo abrir o coração a todo excesso, cupidez e desvario.
Que coisa!
Um abraço pra você, viu?

Anônimo disse...

Quwerudi Lord Caco,

que alegria te reler!
Seu tio James sempre soube das coisas. Você também sabe, como o Gregório de Matos sabia, o Nelson Rodrigues, o Cazuza, ah, tanta gente.
Não estamos sozinhos, Caco. Além dos que se foram, há os que virão. Não estamos sozinhos.
Beijo carinhoso da amiga
Vivina.

Lord Broken Pottery disse...

Dade,
Você tem razão. Atualmente nada mais autêntico do que um balde de lágrimas. A gente presta atenção, verifica se tem alguma câmara nos focalizando, pega um lencinho e chora discretamente. O povo acha lindo.
Beijo grande

Vivina,
Com você do meu lado, estarei sempre bem acompanhado. O problema é que os que virão estão meio cegos e atrasados, influenciados pela choradeira geral que assola nossa pequena república.
Beijo carinhoso

Anônimo disse...

Caco,

voltei.
Se você acessar o www.primeiroprograma.com.br, acho que gostará da crônica dessa semana.
Beijo
Vivina.

Lord Broken Pottery disse...

Oi, Vivina,
Li o texto, deixei um comentário, espero que publiquem. Adorei!
Beijo grande

Anônimo disse...

Oi, Caco,

obrigada, o comentário tá lá, sim.Eu sentia que você iria gostar, te conheço um pouquinho, acho.

Beijo, carinho

Vivina.

Anônimo disse...

Caco, querido,

rapidinho... só pra te dizer que meu filho mais novo é "nosso" amigo Fabiano.

Beijo
Vivina.

Blog do Beagle disse...

Lord, dificil a leitura para essa ignorante. Estou deglutindo aos poucos. Volto depois. Bj. Elza

Lord Broken Pottery disse...

Vivina,
Desculpe a nossa falha. Sempre soube que o Fabiano é o mais novo. É que não sei porque, falha de leitura, não captei a informação passada logo no início, que o filho era o mais novo.
Beijo grande

Elza,
Vale a pena deglutir esta iguaria fina.
Beijo grande

Maria Helena disse...

Lord
Prazer em tê-lo de volta.
É sabido que eu penso diferente de vc,entretanto não vou entrar no mérito desta questão. Apenas esclarecer que não queremos pouco, conforme um comentário seu, esta é uma visão equivocada.Mas,democracia
é isso, cada um...com o seu cada um. Bjs

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
Você está certa, e é o que mais quero por aqui: liberdade de opinião.
Beijo grande

Sibila disse...

Lord,
o que escreve sempre toca aqui.
Concordes e discordes à parte,
e se é sensata essa ou aquela, não vem ao caso, só parece contradição, é a eloqüência que me pega.
Beijos

Lord Broken Pottery disse...

Sibila,
Sempre gostei de sua lúcida eloqüência. Continue assim.
Beijo grande