sexta-feira, agosto 15, 2008

Water

Não sou um ser ecológico. Estou me lixando para o lixo. De maneira geral considero aqueles que se preocupam demais com a natureza uns chatos. Com relação à questão da água, tendo a pensar como Maria Antonieta. Se faltar pão, que se virem com brioches, bebam refrigerante, tomem banho de leite.
O mundo está no fim, e não há muito o que possamos fazer para salvá-lo. A destruição que causamos já é irreversível. Hipocrisia e, mais uma vez, arrogância, considerarmos que podemos corrigir o que mal feito foi. Não somos deuses. Até porque, se conseguíssemos voltar no tempo, tornaríamos a cometer os mesmos desatinos. A humanidade é cabeça dura, burra, tem muita dificuldade em tirar ensinamento das catástrofes que provoca. O nosso fim é virar passa. Terminaremos secos, esturricados. E o pior de tudo é que teremos muita dificuldade, será quase impossível chorar. Nosso pranto será desidratado.

58 comentários:

Eduardo P L disse...

Sabia que teríamos um texto preciso, saboroso, e no caso DESIDRATADO! Deixa que do resto cuido eu. Vou linka-lo na Central de Relacionamento, para avisar ao POVO que o LORD esta participando, sim! Como sempre um lord e amigo!

Forte abraço,

Lord Broken Pottery disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lord Broken Pottery disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lord Broken Pottery disse...

Eduardo,
Um pedido seu, será sempre uma ordem.
Grande abraço

peri s.c. disse...

Ótimo !

E que pelo menos sobre um barranco, para terminarmos sequinhos, porém encostados.

abraços úmidos, enquanto é tempo.

Só- Poesias e outros itens disse...

Texto de reflexão, onde os homems pecam pela sua ignorância em não saber preservar nosso líquido mais sagrado.
Concordo com você, e parabéns pelas palavras.

Ju Gioli

expressodalinha disse...

Para quem não é ecológico... Anime-se. As espécies duram em média 4 milhões de anos. Ainda só cá andamos há 200 mil! Abraço.

Lord Broken Pottery disse...

Peri,
Fique tranqüilo. Haverá, sem dúvida, algum barranco seco.
Grande abraço

Ju, querida,
É isso mesmo, pecam pela ignorÂncia.
Beijo

Expressodalinha,
Não deu pra reparar como estou animado?
Grande abraço

anna disse...

acho, caro lord, que ainda seria possível brecarmos esse processo de destruição.

o duro é todos toparem esse mega projeto.
e aí concordo contigo que a idiotice humana é que imprede a união de todos na mesma intenção.

Silvares disse...

Gazela do deserto mija pastilhinha.

As baratas e as ratazanas vão durar mais tempo mas nós ainda não desistimos, apesar de toda a incrível burrice!

Gostei de o "ver" Lord.

Lord Broken Pottery disse...

Anna,
Gostaria de ser otimista mas a realidade me impede.
Beijos

Silvares,
Eu é que fico feliz com sua visita.
Grande abraço

Ruvasa disse...

Viva, Lord!

A nossa capacidade de adaptação é infinita. Assim ou assado.

;-)

Abraço

Ruben

ery roberto disse...

Lord, diante de um texto como este não há nada a dizer antes de muito refletir. Sua visão é realista. E talvez todos a tenhamos dentro de nós, todavia o ímpeto natural de fugir dessa realidade nos dê a vasão, também tão sensível, de narrar o que vemos da forma apenas como gostaríamos que fosse. Criamos a ficção. Nobre amigo, guardarei seu texto, pela pertinência com a realidade.

Abração.
Ery Roberto

Lord Broken Pottery disse...

Ruben,
No caso acho que estamos mais para assado.
Grande abraço

Ery,
Você tem razão. A ficção que imaginamos, aquela na qual queremos acreditar, é bem mais tênue.
Grande abraço

Van disse...

Pior mesmo seria ter o coração seco, o corpo sem fluídos, incapaz de escorrer suas paixões, ensopar seus desejos. Isso sim seria cruel. Isso sim seria morrer desidratado!
Beijucas Lord querido.

Aninha Pontes disse...

Mamãe já dizia:
"Quando a cabeça não pensa, o corpo padece".
É isso, tanto fizemos, que passamos a ver os resultados de nossas ações.
Embora, sinceramemte, posso te falar?
Acho que a maioria das pessoas que falam e falam, que dizem o que deve ser feito, não o faz.
É muito bonito discursar, mas que eu gostaria de ver as ações, ah! isso eu gostaria messssmo.
Beijos querido.

valter ferraz disse...

Caco,
tendo a discordar do mano.
A natureza tem dado mostra de que é capaz de se regenerar, se transformar.
Apesar de todo o mal que o homem tem causado.
O sertão virar mar e o mar virar sertão são exemplos dessa transformação.
Bom, são conjecturas não é mesmo?
Beijo, mano

adelaide amorim disse...

Indo mais longe (ainda!), recuso-me a tentar precisar o tempo de duração de nosso mundinho. Agora, que isso aqui está ficando irrespirável, com certeza, de Pequim a São Paulo. Pagando pra ver, Lord, acho que é melhor ir aproveitando o que ainda resta.
Beijo pra você.

Márcia(clarinha) disse...

Sem choro nem vela apenas corpo padecendo das burrices que a cabeça [dita] pensante realizou...
dá nisso, ignorante morre de sede e seca de choro.

Que textão maravilhoso meu querido, uau!!

lindo dia,
beijos

jayme disse...

Milord, tempos atrás li um texto que, de certa forma, corroborava o que vc coloca, mas fazia a ressalva: não será do planeta Terra que nossa sandice dará cabo, mas tão simplesmente da nossa espécie, talvez com mais algumas dezenas, na pior hipótese centenas, de espécies de mamíferos. O mundo sobreviverá aos 4 ou 5 graus de aumento de temperatura, aos vagalhões do mar desorientado, às estufas, glaciares e inundações. Nós não estaremos aqui para ver, mas nossas amigas baratas e formigas estarão por aí, rindo por último. Abração,

vitoria disse...

A Aninhas me falou do teu canto e me lembrei que já vim aqui antes.
Gostei do choro desidratado..kkkk.
è bom tentar salvar este planeta com qq coisinha à nossa mão,eu acho...modifiquei alguns hábitos...mas como tu dizes e bem...não somos deuses...bjj :)

Sibila disse...

exatamente, ou nada exatamente, não somos Deuses. Mas somos um ser, dentre tantos outros, com uma personlidade, digamos bem pessoal, criativa e tão destrutiva. E é, me parece, um ser que conquistou pela prória fragilidade. Assim como não resolvedores de tudo iluministas, tb não tão céticos do nada. Não fizemos nada, fizemos muito, e ao que parece inauguramos, em profundidade o que dor e o que amor. Tem chance. Por vontade do cursor, nada de fazer o que realmente queria deixar. Vou, meio na louca, fui.
Bjs.

james emanuel disse...

Belo texto.
Amargo pedido de socorro.

Um abraço.

Ashera disse...

Fantástico!
A verdade que muitos pensam e não têm coragem de falar!
Adorei este "grito"!
Feliz domingo
Beijos

Lord Broken Pottery disse...

Van, queridíssima,
Pois é assim que iremos acabar: desidratados.
Beijo grande

Aninha, minha mana,
Eu não digo o que deve ser feito e faço muito pouco. Para falar a verdade, sendo muito sincero e politicamente incorreto, o que irá ocorrer com o mundo após minha morte não me interessa. Acredito infimamente no juízo das pessoas e aprendi que uma andorinha não faz verão. Como a maioria das andorinhas insiste em destruir a natureza, e a maioria sempre vence, o mundo tem um futuro muito pouco promissor. Só que, felizmente, não estarei mais aqui.
Beijo grande

Valter, maninho,
A natureza terá que se superar, ser milagrosa, espero que você tenha razão.
Grande abraço

Adelaide,
É exatamente o que estou fazendo, aproveitando a brisa fresca que resta.
Beijo grande

Márcia,
Uma das coisas que a humanidade ainda não conseguiu destruir é a força das boas amizades. Obrigado!
Beijo grande

Jayme, caro amigo,
O mundo estará em melhores mãos, ou patas, pra dizer com mais exatidão.
Grande abraço

Vitoria,
Meus hábitos são muito pouco perto do que fazem as indústrias, os governos, potências como China e Estados Unidos. Eu nunca plantei uma árvore, também nunca cortei uma fora. Tomo meus banhos mais prolongados, esqueço eventualmente de apagar a luz, faço a barba com a torneira ligada, não tomo muito cuidado com o lixo, até por ter nojo de lixo. Sou um cara humilde, agente poluidor dos mais modestos. Não carrego culpa pelos deslizes que cometo, até por saber que o buraco é mais em baixo. O que sei fazer melhor é reclamar. Às vezes boto a boca no trombone, mas sem ilusões.
Beijo grande

Sibila,
Será que não fizemos nada? Acho que estamos nos esforçando, para fazer o nada. Depois que nossa fragilidade tiver acabado de ser posta à prova, sobrará o nada.
Beijo grande

James,
O pior é que não há quem escute esse tipo de pedido verdadeiramente. A maior parte das pessoas joga para a torcida.
Grande abraço

Ashera,
Feliz domingo pra você também. Por enquanto ainda temos os domingos, não é mesmo?
Beijos

Patty Diphusa disse...

Olá, Lorde, posso entrar? Te vejo sempre no blog do Marcinho e resolvi vir te visitar.

Sobre o texto, direto no ponto. Ainda acho que há coisas que possam ser feitas antes que lavemos as mãos (enquanto podemos). Mas é mesmo difícil.

Eu tenho uma amiga que diz que como todos vamos arder no inferno, tanto faz se vai ser mais cedo ou não.

Gostei muito do seu espaço.

Um abraço

Patty Diphusa disse...

Olá, Lorde, posso entrar? Te vejo sempre no blog do Marcinho e resolvi vir te visitar.

Sobre o texto, direto no ponto. Ainda acho que há coisas que possam ser feitas antes que lavemos as mãos (enquanto podemos). Mas é mesmo difícil.

Eu tenho uma amiga que diz que como todos vamos arder no inferno, tanto faz se vai ser mais cedo ou não.

Gostei muito do seu espaço.

Um abraço

carol disse...

hehe
Esse tipo de humor lhe caiu bem, Lord. Ficou muito charmoso (com todo o respeito);¬)

Bj

Lord Broken Pottery disse...

Oi, Patty,
Esteja em casa, fique à vontade. Eu certamente irei arder no inferno, até por uma qustão de opção. Sempre considerei que a imagem que criaram do céu não me convém. Tudo muito limpinho, bem arrumado, broxante.
Beijos

Carol,
Obrigado, viu? Mas esqueça essa coisa de respeito, não há necessidade.
Beijos

Anunciação disse...

Essa vai ser a minha esperança de enfim,ficar seca(rs).Guardadas as devidas proporções da boa educação como não jogar lixo na rua,etc,o resto me dá uma canseira até de pensar.Mesmo porque tenho certeza que não fomos nós pequeninos,que fizemos essa esculhambação toda.Um abraço.

Marcio Gaspar disse...

me lembro daquele filme tão esculhambado pela crítica, 'waterworld', que parece ter levado o kevin costner ao ocaso do qual nunca mais saiu. sou um dos poucos que gosta do filme. premonitório, solar/sombrio a um só tempo, impressionante.

Lord Broken Pottery disse...

Anunciação,
Essa parte da boa educação aprendemos em um tempo em que o problema nem existia. É questão de berço. Também não jogo papel na rua. Concordo com você. Somos ínfimos ante a ignorância ecológica generalizada.
Beijos

Marcio,
Concordo com você. Também gosto do filme, embora não seja exemplo. Gosto tanto de cinema que dificilmente algum filme me desagrada completamente.
Grande abraço

www.palerms.zip.net disse...

Mas por que você não contribui ao menos um pouquinho? Acha muito difícil jogar o lixo no lugar certo? Entendo... só pessoas muito inteligentes mesmo conseguem controlar suas ações para economizarem um pouco de água. Mas continue assim, pois realmente pode te custar um braço se você tentar.
Sempre quis entender essa massa que "acha bonito ser feio", como diria o Batoré.

Lord Broken Pottery disse...

Oi, Mariana,
Fui visitar você antes de responder. Gostei do que encontrei. Adoro gente inteligente. Também me amarro em Tomates Verdes Fritos e sou apaixonado por Harry Potter. Quem disse que não jogo o lixo no lugar certo? Sou incapaz de sujar o chão com um mero papelzinho de bala. Eu não acho bonito ser feio. Se reler o que escrevi, perceberá o tom ácido, a raiva pelo que considero destruído. A diferença entre nós dois é apenas uma questão de fé. Não acredito que o que foi feito tenha volta. Acho mesmo hipocrisia, além de arrogância, considerar que podemos corrigir o mal que causamos. Mais uma vez achamos que podemos ser deuses, fazendo e desfazendo. A única coisa que você escreveu e que me chateou um pouco foi me chamar de massa. Não sou massa. Deus me livre e guarde!
Beijos

Mário disse...

Caraca, Lord! Tú foi direto no ponto...rs. Pois é, a situação é preocupante. Não sei quanto tempo resta, se é que resta algum, espero que pelo menos dê tempo da minha filha se casar.

Abraços,

Mário.

denise rangel disse...

Se retirar meu comentário vais ficar seco, hehehe.
Acredito que o mundo caminha para a destruição, mas que ainda assim, temos de fazer nossa parte para que as coisas não se tornem piores do que já estão. Seria o mesmo que deixar um doente terminal sem tratamento algum porque ele vai morrer mesmo. E o sofrimento, não conta? Quero sim, que minha Princesinha tenha um mundo mais limpo, mais saudável, com qualidade de vida. Utopia? Talvez, mas ficar de braços cruzados e nada fazer me incomoda.
Tem email para ti.
abraço, garoto

Sandra disse...

Desidratados, famintos, na miséria...
Será o fim MERECIDO da humanidade que sempre pensou em seu umbigo primeiro. Humanidade que guerreou por deuses, por ouro, terra, poder. E ainda continua nas mãos dos "grandes homens" de nossa ínfima existência e que deturparam o conceito de respeito, cooperação. Ao povo, os incautos, jogam-se pequenos nacos de carne podre e eles que se fartem. E nós, os pequenos, que sempre nos calamos, pagaremos.

Temos uma linha de idéias parecidas, não é só (ou era) a profissão.

Pefeito seu texto.

Beijos

Magui disse...

Eu já vi gente catastrófica ( meu filho é um deles) mas como este texto tá difícl...

Norival R. Duarte disse...

Caro Lord:

É o maior fracasso do homem, o maior e o último fracasso de todos, que só tenhamos conseguido destruir o nosso rico planetinha!

Abraços, Norival.

Gabia disse...

Oi, Ricardo.
Obrigada pela visita lá no Alho&Óleo!

Um beijo!

Adelino disse...

Grande Lord. Gostei do seu texto um tanto catastrófico, mas verdadeiro, sincero. Também sou cético com relação à preservação da espécie dita humana aqui no nosso planeta TERRA. É o fim, ou melhor, caminhamos para o fim. No mais, são apenas tentativas de retardar aquilo que nos parece iminente: a autodestruição.
Grande abraço, e ótima semana.

ana v. disse...

Ah, milord, que belíssimo e corrosivo texto! É tudo verdade, mas como eu sou mais optimista, acho que as espécies se vão adaptando às mudanças. A humana também, o que é uma pena... assim vamos continuar a destruir alegremente tudo o que houver à nossa volta. Seja com braços e pernas ou com guelras e barbatanas, se for o caso.

Beijo, nada ecológico...

Dora disse...

Caro Lord. Li seu texto e fiquei pensativa. Não sei sua idade, mas julgo que pertencemos à geração que ainda não tinha essa "loucura" ou mania pela ecologia.
Tenho tido sérias rusgas por entrar em discussões com os tais "ecologistas".
Não chego a dizer que "estou me lixando para o lixo"(rs), mas acho o cúmulo da "frescura" o caso das pessoas que perderam o sono por causa de uma baleia que encalhou numa praia do Rio de Janeiro...
Penso que o planeta está mesmo cobrando o preço do nosso desleixe e do nosso descaso, mas, não consigo ainda ficar eufórica com as campanhas de salvamento da Terra!
Talvez não tenha me expressado adequadamente. Não sou a favor de destruição... apenas acho exagero e um pouco de exibicionismo o que a bandeira da "ecologia" prega!
Gostei de ler esse texto...Não sei bem a razão, também...rs
Um abraço.
Dora Vilela

Aninha Pontes disse...

Vim só dar um beijo.
Mas lí o comentário do Adelino e da Dora.
Ri.
O comentário da Dora foi supimpa!!!!
Me preocupa um pouco esta febre.
Do Adelino? Digo, quando criança, minha mãe dizia que estávamos no fim do mundo, mas hoje sei que era o fim do mundo para quem estava na iminência da morte. Apenas isso.
Então agora o meu beijo prá vocês.
Bom final de semana.

valter ferraz disse...

Dora,
também não podemos nos esquecer que o "ecologismo" é um excelente negócio. Para eles, claro.
Beijo, menina

Blog do Beagle disse...

Esqueceu de dizer que a terra não tem meios de alimentar todo o povo que nela habita. Povo esse que está envelhecendo. No passado um velho tinha 30 anos. Hoje ... Elza

Lord Broken Pottery disse...

Mário,
Talvez de tempo de você ser avô. Estou torcendo pra isso.
Grande abraço

Denise,
Sabe aquela coisa de que uma andorinha não faz verão? Tem muita andorinha por aí, mas ainda assim acho que são poucas pra fazer um verão. Estamos fritos!
Beijos

Sandra,
Já disse uma vez e repito: você é das poucas cabeças pensantes da profissão.
Beijos

Magui,
Eu não sou catastrófico, apenas observo meu entorno com certa clareza.
Beijos

Norival, meu caro,
A gente consegue, somos muito inteligentes. Destruir é nossa praia.Grande abraço

Gabia,
Sou eu quem tem que agradecer.
Beijos

Adelino,
Perceber o óbvio é difícil, mas não nos resta outro caminho.
Grande abraço

Ana, querida,
Faltou em meu texto a alegria a que você se referiu. É isto! Continuaremos a nos destruir alegremente.
Beijos

Dora,
Bom tê-la por aqui. Demorei pra responder por estar viajando muito à trabalho. Em uma semana estive em Brasília e no Rio. Amanhã vou para Paraisópolis. Ainda sou jovem. Tenho cinqüenta e quatro anos em um corpinho de cinqüenta e três. Também acho ecologia demais um saco.
Beijos

Aninha, querida,
Eu gostaria, sinceramente, de ter o seu otimismo. Seria muito bom se eu estivesse errado.
Beijos

Valter, maninho,
Sábias palavras!
Abração

Elza,
Uma vez disseram pra Graciliano: “Do jeito que vão as coisas, acabaremos comendo merda.” E ele respondeu, com seu conhecido otimismo: “E o pior é que não vai dar pra todo mundo.”
Beijo grande

Maria Helena disse...

Lord,
Sou tão equilibradinha!!!!!heheheh
Sou o pêndulo da balança, mem muito nem tão pouco. Odeio os exageros.
Bjs

ery roberto disse...

Lord, manda uma fumaça aí mano!

ery roberto disse...

Lord, manda uma fumaça aí mano!

valter ferraz disse...

Ery, o mano não fuma!

Mauro Castro disse...

Estou escrevendo para um site de Portugal, o Pnethomem.pt . Eles me pediram para indicar alguns blogs legais do Brasil para colocarem link por lá...indiquei o seu.
Há braços!!

marilia disse...

Boa tarde, Lord!
Estou voltando devargarzinho, e me deparo com um texto, que, suponho, esteja integrando um movimento da blogosfera.
Independente de qualque coisa, adorei.
virar passa. uva passa, seca e desidratada.. é muita crueldade, rssss
Porém faz sentido, é uma boa analogia...
bom rever velhos amigos.
Um abração

marilia disse...

Boa tarde, Lord!
Estou voltando devargarzinho, e me deparo com um texto, que, suponho, esteja integrando um movimento da blogosfera.
Independente de qualque coisa, adorei.
virar passa. uva passa, seca e desidratada.. é muita crueldade, rssss
Porém faz sentido, é uma boa analogia...
bom rever velhos amigos.
Um abração

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
VocÊ faz bem. Em mundo tão pouco equilibrado, a ponderação acaba fazendo falta.
Beijo grande

Ery,
Fumaça tem saído de minha cabeça. O ritmo tem sido tão alucinante que já estou ficando com os parafusos meio quentes. Tenho viajado mais do que comissário de bordo. Escrito laudos e mais laudos. Não está fácil. O mais assustador é que gosto dessa vida. Nasci pra viver correndo. Assim que tiver um tempinho posto alguma coisa, prometo.
Grande abraço

Valter,
É verdade. Sou um cara saudável em alguns aspectos.
Grande abraço

Mauro,
Creia que é uma honra muito grande ser indicado por você. Agradeço e faço força pra não ficar envaidecido demais.
Grande abraço

Meg (sub Rosa) disse...

Queridíssimo Lord
Saí (estou saindo) de uma situação difícil, mas já estou aqui.
"Infelizmente", sou obrigada a concordar a com você. O que você escreve -será corroborado por qualquer pessoa real e lucidamente comprometida (porque sim os há) com a matéria, com o assunto que não é de fácil abordagem. E quer seja ou não seja eco-chato dirá que concorda com o que você diz.
Os danos que de um modo ou outro causamos a Natureza que é o mundo em que vivemos, mas que não é só nosso, já chegaram a um ponto sem volta.
A destruição é irreversível. O máximo que se pode fazer - sem arrogância e sem chatice é uma política de mitigação de efeitos.

Mas como se faz isso eu não sei.

A mim, querido Amigo, cabe dizer que no trecho "bebam refrigerante, tomem banho de leite", eu acrescentaria de cabra, preferentemente;-) lembrando Cleópatra.
E, mais ainda, que esse final de mais um texto seu -forte, incisivo e decidido tem um dos melhores finais que já me foi dado ler: o pranto desidratado.
Bravo! É assim que se expressa um grande, soberbo escritor!

Obrigada por nos presentear com idéias e a beleza triste da forma perfeita.
Um beijo
Meg

Meguita disse...

Lord, milord do coração.
Sei que anda muito ocupado, mas quando puder vá ao Branco Leone, de preferência pelo meu blog;-)))
Ele fala que chamaram certa vez pro Garciliano de Brasiliano.
Uma delícia!
Hahahahaha
Beijos, beijos, beijos
E todos para dividir com Lady Cordélia.

Lord Broken Pottery disse...

Meg, querida,
Fico sempre muito honrado e contente em ler você. Demorei a dar resposta pois meu computador, máquina infernal que nos vicia, resolveu parar de funcionar. Escrevo de um emprestado, enquanto o dito cujo não volta da estrebaria, digo da enfermaria técnica. Faz tempo que não visito o blog do Branco Leione, um dos melhores pseudônimos que já inventaram. O Albano tem sempre uma prosa divertida, das melhores. Vou correndo, pode deixar.
Beijo grande