quinta-feira, julho 30, 2009

Bullying

O menino ficou nu na frente do espelho. Fechado em seu quarto, procurou em cada pedaço da carne exposta. Olhou debaixo dos arranhões, apalpou os vergões, seguiu com o dedo a ferida purulenta mais antiga, a casca começando a se formar. Sentiu na boca o gosto amargo do coração machucado de morrer. Limpou do rosto, com a palma da mão cortada, o sangue diluído nas lágrimas. Engoliu um soluço que teimou em subir, invadindo a garganta rouca de gritos. E antes que o corpo se desfizesse, insistiu em buscar onde desligar a dor. Nada encontrou. Solitário, resolveu desistir. Abriu a janela e voou para longe dali, arrepiado de frio.

25 comentários:

Eduardo P.L disse...

Crise da idade!

Janaina Amado disse...

Lindo texto, primo. Ao lê-lo, constato mais uma vez que sua herança não se resume à calvície e à miopia, he he. Beijo!

Marcio Gaspar disse...

arrepiado o personagem e arrepiados os leitores. potencial roteiro para um curta a ser dirigido por david cronenberg e musicado por leonard cohen...

dade amorim disse...

Concordo com o Marcio Gaspar. Um texto curto, fortíssimo e cheio de talento. Um beijo, Lord.

Anônimo disse...

Lord:

Um Kafka.Parabéns!

Abração

Günther.

Aninha Pontes disse...

E começou cedo a conviver com o sofrimento, a aceitar a vida como ela é, cheia de percalços.
Lindo texto.
Beijos querido.

Sibila disse...

Lindeza seus escritos, acho sempre.

Sem chapéu, como fazer com o vermelhão que vem?

Beijos

Sibila disse...

Eu ando taõ devagar, sou, e ainda mais, distraída. O comment era do post anterior, como pode ver.
Vermelhos duplos!
Descupa.

Já, já, volto.
Beijo! TÉ!

Anônimo disse...

Lord:

Ainda Günther...

Você já leu "A Cuba",de Kafka?

Outro abraço.

Isabella disse...

Muito bom! Sou leitora do Terapia Zero.
=)

Anônimo disse...

Querido Lord Caco,

comovente.

Beijo

Vivina

denise rangel disse...

Quando a arte imita a vida, a gente aplaude. O difícil é perceber que a vida alimenta a arte.
abraço, garoto

Maria Helena disse...

Lord
Sentí a necessidade de uma virada do avesso, de uma metamorfose.
Entretanto eu não tenho facilidades
literárias, é análise intuitiva.
Bjs

Lord Broken Pottery disse...

Eduardo,
Não entendi direito o que você quis dizer. Qual idade, de quem?
Grande abraço

Jana,
Neste caso específico, parece título de filme faroeste: herança sangrenta.
Beijo grande

Marcio,
Seu bom gosto (é claro que não estou falando de política, rs, rs)mais uma vez presente. O roteiro ficaria em muito boa companhia.
Grande abraço

Dade,
Ser elogiado por que conhece, escreve tão bem, é sempre muito gostoso.
Beijo grande

Günter,
Poucos repararam no título. Falo de bullying, violência comum nas escolas, entre os meninos. Você tem razão. Alguns dos que sofrem este martírio, devem viver situações "kafkianas".
Grande abraço

Aninha,
No caso de bullying, não dá pra aceitar. Precisamos de políticas públicas que combatam este tipo de violência. O Brasil, pra variar, está atrasado. Na Europa alguns países já perceberam que precisam fazer alguma coisa, e estão tentando.
Beijo grande

Sibila,
É sempre com carinho grande, e muita alegria, que recebo suas visitas. Não se preocupe. A ordem dos comentários não altera o resultado.
Beijo grande

Günter,
Não li. Vale a pena?
Abraço

Isabella,
Seja benvinda (agora é tudo junto). Logo irei visitá-la.
Beijo

Vivina,
Bom que você gostou.
Beijo carinhoso

Denise,
Bem colocado. O pior é que muitas vezes alimenta de sangue.
Beijo grande

Maria Helena,
Talvez você tenha razão, não deixa de ser bem sacado.
Beijo grande

claudia lyra disse...

Oh, Lord! Lindo texto. Conciso, mas falou tudo o que se precisava. Saudade de você, meu Lord. Beijos!

Anônimo disse...

Querido Lord:

O conto de Kafka vale à pena(Sic).
Um rapaz(a personagem),busca carvão em meio à uma nevasca e frio absurdos,batendo porta a porta dos vizinhos na aldeia.Ninguém o atende,até que êle se senta na cuba que o sustenta em seus pedidos,e esta,ao final,o leva voando ao infinito.

É a metáfora do poder oculto diante da impotência da situação
cotidiana.
Vale a pena,ou,vale à pena.
Abraços

Günther.

Lord Broken Pottery disse...

Cláudia,
Muito legal "revê-la", também estava com saudades.
Beijo grande

Günther,
Vou rocurar ler. Obrigado pela dica.
Abração

Mário e Cris disse...

Magistral. Em poucas palavras você criou uma cadeia de emoções complexas a irromperem num ápice completamente inesperado.

Vivendo deixando a vida me levar... disse...

Ahh os textos de Lord são sempre inspiradores e tentadores.. não há quem não os leia e goste!!

Bjos Lord!!
=^.^=

Ilana disse...

Quanta intensidade em um único parágrafo.

Parabéns pelo texto

googala.opsblog.org disse...

voou pra longe? Então era a gripe aviária. UFA!
ahahahabraços, nobilíssimo

Lord Broken Pottery disse...

Cris e Mário,
O carinho de vocês, a presença aqui, a opinião, tudo isso me faz muito bem. Obrigado!
Beijo e abraço

Polly,
Bom ter você com leitora.
Beijo

Ilana,
Agradeço a sua visita. A idéia foi fazer isso mesmo, dizer muito com pouco. Retribuirei a visita.
Beijo grande

Guga,
Podia ser, podia ser...
Grande abraço

Ilana

Meg (sub Rosa) disse...

Lord querido
Tenho que ir comentando de acordo com minhas (parcas) forças e recuperando o tempo perdido. Mas semperder nenhum.

Estou paraliszada, aturdida. Que força deste texto, que me deixa com sperança de que osque as minhas amigas, mães de flhos em idade escolar onde se os *bullies* se acham inatingíveis e acima de qualquer denúncia.
As vítimas, espero, não tenham essa mesma dor sempre que os obriga a desisitr a a fugir da crueldade da vida chegando tão cedo e tão perto.

Um beijo, e um orgulho dentro da tristeza: vc usa mesmo o texto curto como uma arma do escritor que expõe a ferida que agora até mata.
Valeu, muito.
Meg

P.S. Até amanhã, aos pouquinhos.

Blog do Beagle disse...

Conheço um jovem que precisou ser mudado de escola por causa das perseguições da direção e de alguns colegas. O pior voou pela janela e o melhor desse jovem está cada vez melhor. Elza

Lord Broken Pottery disse...

Elza,
Ele, sem dúvida, é um sobrevivente. Quando se sobrevive, se cresce.
Beijo grande