quarta-feira, outubro 15, 2008

Flying

Tem gente que nasce sabendo tocar um instrumento. No jargão mais popular, acompanham a música de orelha, sem nenhuma formação anterior. Nada conhecem de sifras, solfejos, jamais viram uma clave de sol. Eu sou assim, escrevo de ouvido. Cometo, por isto mesmo, erros que depois me encabulam. Minha gramática é fraquíssima. Perco-me em meio a vírgulas, crases, careço de um conteúdo formal que sustente o que escrevo. Já houve época em que ficava muito incomodado com a minha falta de substância acadêmica, chegava a desistir de alinhavar algumas palavras. Depois perdi os bloqueios, o que significa dizer que me tornei um escritor sem vergonha. E a razão é muito simples, escrever é a maneira que encontrei de voar.

36 comentários:

Eduardo P L disse...

Meu escritor predileto, dizer que você não sabe escrever, é tão provavel como um elefante de asas voar!
Sabia que poderia contar com seus voos! Que não nos deixaria nesta revoada! Obrigado por estar sempre ao nosso lado, em terra ou no ar!

Forte abraço.

PS A única coisa que faltou foi linkar seu blog na Central de Relacionamento da TERTULIA VIRTUAL, mas eu cuido disso, para você!

sonia a. mascaro disse...

Como gostei desse seu texto!!!
Abraços.

Francisco Castelo Branco disse...

Escrever é uma maneira avida de voar

concordo

Adelino disse...

Lord, eu gostaria de saber voar um pouco apenas como você voa.
Modéstia sua, o que o torna melhor ainda escritor.
Grande abraço. Falar do texto é algo prescindível.

Ordisi Raluz disse...

Aprendi tarde na vida a pilotar aviões - uma delícia vencer o desafio.

Aprendi igualmente tarde na vida a rabiscar na blogosfera e até imprimir um modesto livreco.

Aprendi que de qualquer forma - nunca é tarde para voar.

"Tamos aí, caro colega". Abraços voadores.

jayme disse...

Eu diria que, apesar da falta de letramento em partituras, as colcheias, as semifusas, os bemóis e as harmonias compõem uma bela aeronave. Abração,

Silvares disse...

E voas tu muito bem. Voa, voa que é para isso que tens essas asas, para voar. Bem alto e sempre para mais longe.
Fica bem.

Silvares disse...

E voas tu muito bem. Voa, voa que é para isso que tens essas asas, para voar. Bem alto e sempre para mais longe.
Fica bem.

Só- Poesias e outros itens disse...

Adorei a sua sensibilidade em nos mostrar, que afinal temos falhas, e que elas apesar de serem essa parte de nós que por vezes tentamos ofuscar com intelectualismo vazios, podem ser um lado mais criativo, quando paramos de brigar com elas ( as falhas).

Ops: que forma linda de voar!!!

bjs.

JU Gioli.

Milouska disse...

Para quem diz que não sabe escrever, este texto desmente-o completamente.
Parabéns pela forma como tratou o tema. Gostei muito.
Um abraço,

Milouska

Anônimo disse...

Bem, como amiga, diria que acabas de confirmar que a intuição é o seu vôo, hehe. Como professora, vou fazê-lo copiar cem vezes cada virgula que errar, hehe.
abraço, garoto

denise rangel disse...

Ops, esqueci de assinar aí em cima...

Lizete Vicari disse...

Teu texto é maravilhoso!
Não sentí falta de nada.
Continue a voar.
Um abraço. lili

peri s.c. disse...

Caro Lord
Como já aprendeu a se manter no ar com elegância, que tal um próximo passo, umas acrobacias ?

james emanuel disse...

Um condor modesto...

Forte abraço.

valter ferraz disse...

Voa, passarinho, voa!
Abraço, mano

Ruvasa disse...

Viva, Lord!

Quer saber uma coisa?

O seu sonho realizou-se: você é mesmo um escritor. Serm opu com vergonha, pouco importa. O que conta é que o é.

Abraço

Ruben

claire disse...

Nunca tinha cá passado, fui mais abaixo e eriçaram-se me os pelos.
Water: não é o mundo que esta no fim, é a humanidade."Caga nessa merda toda que a era humana acabou!!!!"
Vou pelos paliativos.

Janaina Amado disse...

Lord, o texto tá lindo!
Vôos cada vez mais altos pra você.

disse...

Se não saber escrever é isto..por favor me ensine...lindíssimo.

ana v. disse...

Sou exactamente igual, milord: escrevo de ouvido e oriento-me por aquilo que me soa bem ou mal. E sabe uma coisa? Não me tenho dado mal com a sem-vergonhice, o meu passaporte para o voo...

Beijão, amigo.

Claudia Lyra disse...

Coisa boa é estar aqui pra presenciar seus vôos!!! Beijos, Lord!

Sibila disse...

Lord,
adoro quando posso fazer essas viagens pelo ar com você. Bom demais. E talvez o bom escritor seja o desavergonhado, que fala com sinceridade a partir do lugar que habita e aí é que nos transporta, revela e comove.
Bjs.

Ery Roberto Corrêa disse...

Lord, caríssimo, se tua escrita te faz voar, és o comandante da mais admirável nave da prosa e da literatura infantil. E como é bom viajar contigo, em primeira classe de qualidade e competência de conteúdo.

Dora Vilela andou dizendo que eu fiz uma boa metáfora no meu texto "tertúlico" e acho que eu acreditei nela (rsrsrsrs).

Mas, pra ti são metáforas que dão gosto de escrevê-las.

Forte abraço, bom fim de semana.

Jorge C. Reis disse...

Belo texto ... de ficção claro.
Mas se isso fosse verdade, sempre lhe diria, meu amigo, que não se preocupasse muito.
O único Prémio Nobel de Literatura de língua portuguesa é exactamente como descreve.
Um abraço
Jorge

Aninha Pontes disse...

Querido, acho que todos nós nos sentimos então, pássaros de asas quebradas.
Você voa, com uma leveza espantosa.
Beijos e um lindo final de semana.

Lord Broken Pottery disse...

Eduardo, meu amigo,
Você sempre poderá contar comigo. É um privilégio estar ao seu lado.
Grande abraço

Sonia,
Sinto-me muito feliz com o seu comentário.
Beijo

Francisco,
Muito criativo, excelente maneira de se colocar.
Abração

Adelino,
Você sabe, ou se não sabe que sabe voar, e muito bem, deveria saber.
Grande abraço, meu amigo

Ordisi,
É bem por aí, vamos “avoando pelai!”.
Grande abraço

Jayme,
Acho que dá pro gasto.
Grande abraço

Silvares,
Sempre bom receber a visita do amigo.
Grande abraço

Ju,
Suas palavras são sempre de muito carinho. OBRIGADO!
Beijo grande

Milouska,
Eu é que preciso agradecer o carinho e a visita.
Outro abraço

Denise,
Não faça isso comigo. Vou ter que passar a vida copiando.
Beijo, querida

Lili,
Adorei a sua visita. Bom que tenha gostado do texto.
Beijo

Peri,
Fiquei imaginando o que seriam acrobacias na hora de escrevermos.
Grande abraço, irmão

James,
Um com dor modesto .
Grande abraço

Valter,
Tamos avoando!
Abraço, mano

Ruben,
Só falta agora identificar a qualidade do sonho: bom ou ruim?
Grande abraço

Claire,
É bem por aí, concordo!
Abraço

Jana, querida,
Bom que você gostou.
Beijo

Ví,
Você já sabe.
Beijo

Ana,
Sabes bem mais do que sei.
Beijo, querida

Claudia,
Bom mesmo é poder receber você.
Beijo grande

Sibila,
Você sabe, eu já disse várias vezes, do prazer que sinto ao receber suas visitas, ler o que você escreve. OBRIGADO!
Beijo grande

Ery,
Escrever é também lidar com a sensibilidade. Por isto gosto tanto do que você escreve.
Grane abraço, irmão

Jorge,
Será que é mesmo? Os famosos têm cada história...
Grande abraço

Aninha,
De vê ser devido ao regime (risos).
Beijo, querida

Huckleberry Friend disse...

Lord, deixei-te uma surpresa aqui. Abraço

Blog do Beagle disse...

Amei seu post. Ele me incentiva a excrever o que quero com minhas limitações, sem técnica e sem respeito ao ordenamento. Vc nem imagina o quanto me ajudou. Bjkª especial. Elza

anna disse...

demais, lord, onde a literatura te leva! prôs ares!

Lord Broken Pottery disse...

Huck,
Já fui ver, agradeço.
Abraço

Elza,
Só por isto, pelo incentivo dado a você, valeu escrever o texto.
Beijo

Anna,
Leva mesmo, lá em cima.
Beijão

Maria Helena disse...

Lord,
Vc costura e borda as palavras. Elas tem acabamento, som e movimento, nos textos perfeitos que escreve. Talento impregnado no DNA.
Eu, ahhh...Alinhavo,e é um alinhavo
de carregação, como dizia a minha tia costureira. rsrss.
A clave de sol,de fá, os acorde e
arpejos são velhos conhecidos meus,
mas tb, para pianista tem uma longa estrada. Em suma...eu apenas me divirto!!!!! rsrsrsr
Bjs

Anunciação disse...

Nossa,e que vôos!Que viagens!Que crases,que vírgulas,que erros?Bobagem.Grande comandante!Ou belo pássaro?Um grande abraço.

Meg (sub rosa) disse...

Oh Lord, milord
A esses textos é que se deve responder categoricamente com um Nãããããããããooooo! Que modéstia etceterrá:-)
Que talvez a expressão "escrever de ouvido" possa ser substituída pela outra expressão, "by heart", com todos os significados que essa expressão possa ter inclusive o literal, para além do idiomático.

Lord, sou suspeita para falar pois estou escrevendo algo, baseado em um texto seu.
E que lindo texto.
Por esses dias você verá/lerá:-)

Agora, sem dialogar com o texto, só na posição de leitora: que prosa articulada você tem. Que concisão!
Não à toa a lição mais preciosa vc aprendeu em casa, muito bem ou nasceu com ela: "...A palavra foi feita para dizer."

Agora, vou dizer uma coisa, eu lendo seus textos lembro de algo que o Jayme Serva sabe muuuuuito melhor que eu. Alguns sonetos trazem no último terceto um verso lapidar... E a isso se chamava ou se chama "chave de ouro" - expressão que perdeu o efeito pois entrou para o vocabulário geral.
Pois é assim que vejo certos finais da grande naioria de seus textos breves:
""...escrever é a maneira que encontrei de voar. ".
Ai!
Um beijo, milord. Outro pra milady, for sure!

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
Você acertou, acho que é bem por aí, nós dois nos divertimos escrevendo.
Beijo grande

Anunciação,
Tenho-lhe um enorme carinho, obrigado por estas palavras tão generosas.
Beijão

Meg, Meguíssima,
Você atiça, maldosamente, um de meus maiores defeitos, o da curiosidade. Com que diabo de texto meu estará perdendo tempo? Coisa de amiga, muito querida.
Beijo enorme

Anônimo disse...

E voa com certeza, levando-nos a todos neste festival de pipas colorindo o céu da nossa imaginação.
Grande abraço meu querido.
J.Fernandes