domingo, março 09, 2008

News From The Wild

Tenho andado dolorosamente longe das postagens e das visitas aos blogs amigos. Isso me faz mal, deixa-me atarantado, sem ter onde por os pés, deitar raízes. Preciso desse contato para ter serenidade, alegria, equilíbrio. Escrever é talvez minha principal válvula de escape. Embora seja analisado por uma profissional, é através da palavra escrita que o trabalho de Freud torna-se quase dispensável.
O mundo corporativo é voraz. Quando menos esperamos o cotidiano nos engole. Preocupados em sair ilesos das armadilhas colocadas e devolver, na mesma moeda, o que nos aprontam, embrutecemos. Mergulhados nessa batalha diária e, infelizmente, apaixonados por esse jogo sórdido, acabamos perdendo a delicadeza.
Tenho tentado sobreviver, esticar o pescoço para fora da lama, respirar um pouco de ar puro, mas está difícil. Nessas horas ouço música, vou ao cinema, leio bastante. É como se quisesse afastar-me da raiva que sinto das pessoas que me provocam, desafiam-me. E por sentir-me violento, prefiro a introspecção e o silêncio. Fico na penumbra ouvindo a voz de Amy Winehouse cantanto Back to the black, obsessivamente, relembro passagens do filme Into the wild, dirigido por Sean Pean, considerando se é verdade que a felicidade, para ser real, precisa de compartilhamento. Queria poder me refugiar nas drogas, ou ir viver no Alaska. Bobagens adolescentes. Pena que eu goste tanto de uma boa briga.

80 comentários:

Maria Helena disse...

Lord,
Fico feliz com sua volta.
Não permita que uma depressão se instale.Vc é querido e conceituado, seus textos são esperados, tão grande o seu valor.
Abrir essa porta para a depressão, não vale a pena.
Há pouco tempo atrás eu tb gostava de uma boa "briga" (divergência de opiniões).Mas... era terrivelmente desgastante, e os resultados sempre devastadores e cansativos.
Para conviver pacificamente comigo mesma, consegui equilibrar, gentileza,delicadeza à arrogância e altivez. Sábia decisão.
Bjs


js

adelaide amorim disse...

Gostar de briga não é necessariamente tão ruim, Lord. Ruim seria partir pra agressão sem pensar duas vezes, coisa que você não faz.
Seus leitores sentem falta de você, mas a ausência é transitória, com certeza.
So, don´t worry!
Beijos e que a crise não demore a se resolver.

Anunciação disse...

Vixe,acho melhor não perguntar o que vinha perguntar.Rezo para que você encontre paz,tranquilidade de espírito e,se precisar mesmo,força e coragem para entrar a toda na briga pra ganhar.Um abraço.

av disse...

Querido Lord Caco, ainda bem que voltou. Desde que não brigue aqui connosco, tudo bem...
As convulsões existem dentro de nós, praticamente em permanência. Sei bem o que isso é. A arte de geri-las está em fazer com que nos empurrem para a frente e não para trás. Mas eu sei que você tem inteligência e tudo o resto que é preciso para isso, e muito mais!
Um grande beijo

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
Ainda não é a volta ideal mas a possível, estou atolado de serviço, mergulhado até os ossos na rotina corporativa. Vou tentar responder, visitar, fazer o que for necessário para não me afastar muito.
Grande beijo

Adelaide,
Acho que aí está o grande problema. Sinto falta de quando era menino e saía logo no braço. OS adultos precisam ser controlados e falsos demais.
Grande beijo

Anunciação,
Só entro em brigas para ganhar, detesto perder. O problema é que depois fica um certo travo, uma tristeza por esse gosto vulgar, esse prazer desnecessário.
Grande abraço

Ana,
Não brigaria com vocês, meu porto seguro. É aqui que encontro inteligência e sensibilidade. Posso até demorar para vir aqui, mas o pensamento está sempre dirigido para essa busca necessária de tempo.
Grande beijo

anna disse...

se você sente raiva, eu fico driblando o medo.

quanto ao filme, concordo com o garoto sobre a felicidade, que só é plenamente sentida se compartilhada.

sozinho, temos somente espasmos dela.

Ricardo Rayol disse...

estou começando a achar que você é um renomado político. rs.

Marcio Gaspar disse...

me identifico com suas palavras, caro lord - e é até engraçada a nossa coincidência de gostos em relação à música (amy winehouse) e ao cinema (into the wild), sobre o que até postei recentemente. do lamaçal corporativo também compartilho, infelizmente, e o blog, veja só, é também para mim uma terapia, uma válvula de escape. só falta agora você falar bem do lula, hehe... grande abraço!

peri s.c. disse...

Caro Lord
Ando com saudades de algumas de nossas bobagens adolescentes, hoje seriam magníficas soluções.

Do pó viemos, ao pó voltaremos, mas nesse trajeto poeirento seria perfeitamente dispensável o estágio intermediário do lamaçal em que estamos atolados e quase inertes.

Anônimo disse...

Querido Lord Caco,

bom te reencontrar, ainda que você esteja meio de mal com a vida.
Não sei se te ajudo ou atrapalho, mas ela - a vida - é assim mesmo, misteriosa, incompreensível, difícil.
Se, num dia, parecemos habitar o paraíso, no outro queremos sumir no Alaska.
Siga em frente. Leia seus livros, ouça - obsessivamente - sua linda música, relembre passagens do filme da felicidade compartilhada, que penso verdadeira.
Não sei se brigas valem a pena, fujo delas, sei lá se por convicção ou covardia.
Tenho brigões na família e, às vezes, ainda que raramente, penso que andam mais certo que eu.
Se quiser, me escreva. Uma vez, te pedi socorro, lembra? Ficamos a meio caminho, por culpa minha, mas sua disponibilidade e boa vontade me fizeram muito bem.

Beijo carinhoso, menino.

Vivina.

Magui disse...

Faz parte da vida.Com todos é assim e o que vale é a opção pela melhor reação.

Aninha Pontes disse...

O que está sentindo parece que se identifica com muita gente.
Raiva, sinta-a.
Preocupação, viva-a.
O melhor de tudo, percebe que você é humano?
Então, relaxa.
Se precisar, estamos aqui.
Vamos ver se logo, logo, conseguimos um novo encontro e botar o papo em dia.
Um beijo
Beijos da família.

Eduardo P.L. disse...

Lord, ao invés de sair no braço, saia logo para o abraço! Adultos não brigam, ganham no abraço, mesmo que seja de urso!

Um forte ( abraço) para você! E volte logo ao nosso convívio.
O texto impecável!

claudio boczon disse...

como a alegoria da palhoça é circunver a pejar logo, a saída é chupar o paul da barroca, mesmo quisso seje uma falca com dois legumes.

e, como disse o Eduardo, correr pro embaraço.

MariaV disse...

Uma prova mais de que a felicidade é para ser partilhada é a primeira metade do 1º parágrafo do seu post!

Fernando Zanforlin disse...

Mesmo quebrado ainda é um pote.
A bobagem da briga é não sabermos com quem, para que e o por que brigarmos. Cedo aprendi que, se for para a briga é porque sinto-me ameaçado, se sinto-me ameaçado é porque estou fraco, se estou fraco é porque não acredito na minha força.
Portanto, " Caro Caco" não brigue, pois assim estará querendo medir forças, isso é para quem tem dúvidas. ø melhor é pensar, nada me ameaça e não tenho medo de nada, os fracos saiam da minha frente, não tenho tempo para me envolver com eles, com nada.
ab.

Clélia Riquino disse...

Caro Lord,

Pegarei o gancho do Fernando pra deixar um poema qu'eu gosto muito:

GESSO
Manuel Bandeira


Esta minha estatuazinha de gesso, quando nova
– O gesso muito branco, as linhas muito puras –
Mal sugeria imagem de vida
(embora a figura chorasse).

Há muitos anos tenho-a comigo...
O tempo envelheceu-a, carcomeu-a, manchou-a de pátina amarelo-suja.
Os meus olhos, de tanto a olharem,
Impregnaram-na da minha humanidade irônica de tísico.

Um dia mão estúpida
Inadvertidamente a derrubou e partiu.
Então ajoelhei com raiva, recolhi aqueles tristes fragmentos,
recompus a figurinha que chorava.
E o tempo sobre as feridas escureceu ainda mais o
sujo mordente da pátina...

Hoje este gessozinho comercial
É tocante e vive, e me fez agora refletir
Que só é verdadeiramente vivo o que já sofreu.

[extraído da "Antologia Poética de Manuel Bandeira", 12ª ed., Livraria José Olympio Editora, Rio de Janeiro, 1981]

Também tenho andado afastada dos blogs amigos e do meu. Mas postei algo novo, dias atrás. E vim aqui, te ler.

bjo gde,
Clélia

carol disse...

eu estou com saudade das suas ficções. espero que sobre tempo e inspiração para elas.
beijo

Lord Broken Pottery disse...

Anna,
Eu sinto raiva e medo. Um medo terrível de muitas coisas: viver nesse país, perder o emprego, violência, ignorância, de mim mesmo.
Com relação ao filme, naquele contexto, concordo. É que o tal do Alex Supertramp foi muito burro, demais da conta.
Beijo grande

Ricardo, meu amigo,
Antes fosse (risos).
Grande abraço

Márcio, meu caro,
Desde que o conheci senti que tínhamos muitas coisas em comum. Só vou ficar devendo gostar do Lula. Eu mudo de canal quando ele aparece.
Grande abraço

Peri,
A palavra é essa: inertes. Incrível como nos submetemos a tantas coisas imóveis. Levantamos diariamente, com a mesma cara de pau, e seguimos nesse trânsito infernal para o trabalho. Lá, após a cota diária de aviltamento, voltamos atordoados para casa e vamos dormir. Nem sonhar sonhamos.
Grande abraço

Vivina,
Não estou de mal com a vida, talvez tenha passado essa falsa impressão. Tenho andado é atarefado demais. O mundo corporativo às vezes me agride muito. Fico mal quando tenho que escapar das armadilhas colocando-as no caminho de outros. Embora esteja acostumado com esse conflito, essa briga de foice no escuro que é a vida nas empresas, às vezes me canso um pouco. Até por perceber, com bastante autocrítica, que esse estapeamento me traz um certo prazer, me recinto muito. Gostariaser mais íntegro, menos vil. Enfim...
Estou te devendo um comentário sobre seu texto. Respondo via e-mail assim que puder. Agradeço a oferta de carinho e ombro, sempre benvindos.
Grande beijo, querida

Magui,
É isso o que me cansa, ter que reagir o tempo todo.
Beijo grande

Aninha,
Sei que ainda está longe mas vou lançar um livro no dia 10 de maio, na Livraria da Vila. Como é um livro infantil será uma festa para crianças, inclusive com contadores de histórias. Seria legal que vocês viessem com o Erickinho. Que tal? Depois, é claro, vou mandar convite.
Beijo grande

Eduardo,
No mundo corporativo é difícil mantermos a compustura. Às vezes, sem que percebamos, estamos em luta renhida. São os chamados ossos do ofício. Quase escrevi “ócio do ofício”, acho que Freud explica.
Grande abraço, irmão

Cláudio,
Correr para o embaraço eu corro todo dia. Isso aqui é um embaraço só. Estou escrevendo da empresa.
Grande abraço, amigo

Mariav,
Ainda preciso pensar um pouco sobre essa inquestionabilidade da felicidade precisar ser compartilhada. Acho que pode haver muita felicidade na solidão.
Grande beijo

Fernando,
Este pote está cada vez mais quebrado, aos cacos. O mar não tem andado para peixe. As coisas aqui estão mais pra tubarão e sou apenas um velho dinossauro da informática.
Grande abraço, amigo

Clélia,
Manuel Bandeira é covardia, um de meus poetas favoritos. Poucos trataram tão bem a palavra e o sentimento.
Obrigado pelo poema e grande beijo

Carol,
É claro que vai sobrar tempo, sempre acabo encontrando um tempinho paraq escrever.
Grande beijo

Anônimo disse...

Lord,

você não tá me devendo nada. Leia o texto quando puder - e quiser -, sem cobranças.
Eu também ainda não comentei o seu, que chegou bem antes às minhas mãos...Nem ao menos passei-o ao Fabiano, conforme você me autorizou.
Ah, que bom que você não tá de mal com a vida, melhor assim.

beijo da

Vivina.

Aninha Pontes disse...

Convite já está aceito.
Vamos nos programar sim.
Assim a gente põe o papo em dia, e a conversa em ordem.
Beijos

Megleen disse...

Meu querido Lord,

É bom saber uma coisa que nossa(s) amizade(s) ainda que com intervalos na freqüência não se resentem na intensidade, ao contrário, cresce quando sabemos que podemos ancorar no que construímos antes.
É muito, muito importante saber isso, pois presença não se faz só pela presença. Vale pela permanência, pela duração.
E justamente por saber que essa torcida por você é constante, é fiel, conte conosco, por menos que possamos ajudar (refiro-me a mim).

O caso é que amamos nossos amigos e amor quer muito.
Eu confio no seu taco.
Dizendo isso digo tudo, e sei que me entende. Essas "waves" passam. E ão raro deixam coisas boas, ganhos que não se suspeitava.
Siga o coração e a mente. Parece que há um eqüilíbrio (secreto, que só você sabe)entre eles.
Go for!
Adorei o post, afinal, isn't that what a blog is for?
Um beijo para você e outro forte com abraço especial para Lady Cordélia.

Megleen;-)

Lord Broken Pottery disse...

Vivina,
Já li o texto, gostei demais, preciso comentar com calma. Estou, é claro, devendo.
Beijo grande

Aninha,
Então estamos combinados. O tempo, tenho certeza, passará depressa.
Abração

Meg, minha querida,
Uma de minhas maiores infelicidades é não estar visitando o Sub rosa. Logo estarei com a casa em ordem. Prometo!
Grande beijo

Sonia disse...

Um texto doloroso, mas que nos faz refletir....
Um cordial abraço!

Lord Broken Pottery disse...

Sonia,
Acho que é bem por aí, para refletir um pouco sobre nossas vidas. Obrigado pela visita, estou linkando um de seus blogas.
Beijo

Sonia disse...

Obrigada! Também já vou colocar você nos meus links e também no Bloglines!

Até mais!

Adelino disse...

Lord Broken, a melhor maneira de enfrentar uma discussão é a calma. Acredito muito - mas relativamente - naquele ensinamento "do ofereça a outra face". Eu disse relativamente. Se você partir para a ofensa ou agressão estará fazendo o jogo do adversário. Se, ao contrário, tratá-lo com eduação, a dor e o arrependimento dele será maior, tenha certeza. E o vitorioso será você. Porém, como não sei bem do se trata, fica apenas este conselho: calma. Não faça o jogo do adversário.
Grande abraço.

*Lusinha* disse...

Escrever para mim também é terapia...
E também acho que nessa luta diária para sobrevivência, acabamos nos tornando mais brutos.
Bjitos!

Lord Broken Pottery disse...

Sonia,
Para mim será uma honra.
Beijo

Adelino,
Concordo com você, precisamos ser calmos. Agride-me porém, no mundo corporativo, a freqüente falta de caráter.
Grande abraço

Lusinha,
É exatamente essa brutalidade, essa transformação inevitável que acabamos sofrendo, que me assusta.
Grande beijo

Só- Poesias e outros itens disse...

Lord,
seu relato me toca, naquilo que sei o quanto é difícil, entrar e sair de si mesmo. Momentos de introspecção são fundamentais para a alma, mas a troca também é necessária.
E onde estamos? senão nesse duelo.
Entrar e sair de si mesmo, onde se é inteiro, vamos vivendo...

bjs.

Ju gioli

Lord Broken Pottery disse...

Ju,
Obrigado. É mesmo o que tem sido mais difícil, pensar o entorno, lidar com a violência cotidiana das relações corporativas.
Grande beijo

Blog do Beagle disse...

Moço, tanta solidão, né? Brigue com você mesmo e saia desse marasmo. Quando eu me vejo nesse casulo trato de colocar um bom par de tênis nos´pés, coleira no cachorro e vou apra a rua. Andar, cansar, suar e reabastecer meu organismo de bons fluidos... Tente. Bjkª cheia de carinho. Elza

jayme disse...

Tenho certeza de que, nessa boa briga, você está do lado certo, qualquer que seja ele.

ery roberto disse...

Lord, a gente sabe que é assim, o que ajuda a sair pra outra. Chuta o pênalty e manda pro fundo do barbante. O jogo sempre continua. Abração, caro amigo.

denise disse...

Esta reflexão rendeu um belo texto. Não consigo imaginá-lo violento. As palavras saem ternas, comedidas, dignas de um lord.Seria um poeta fingidor, que finge que é dor a dor que deveras sente, hehe?
Puxa, bem que eu queria estar neste lançamento do teu livro, mas não será possível. Também ando envolvida pelo dragão da rotina opressora do trabalho.
Um grande abraço, garoto

Mani disse...

Minha mae dizia que eu dava um boi pra não entrar numa briga, e uma boiada pra não sair. Voce é assim???

Lord Broken Pottery disse...

Elza,
Uma das coisas que mais me dá prazer é colocar um bom par de tênis. Só pra você ter uma idéia tenho cinco pares para funçoes diferentes: correr, pedalar, etc. Só não sairia por aí com um cachorro. Provavelmente mataria o bichinho de cansaço.
Beijo grande

Jayme,
Eu tento, eu tento. Gostaria de ter essa certeza que você demonstra por mim.
Grande abraço

Ery,
O que mais eu tenho feito é chutar o pau da barraca.
Grande abraço

Denise,
Adoraria ver você no lançamento. Normalmente não sou violento e esqueço rápido, não sou de guardar rancor. Conviver comigo é fácil, basta não pisar no meu calo.
Beijo grande

Magi,
Eu dou uma boiada para não entrar numa briga e uma boiada pra não sair.
Beijo grande

Anônimo disse...

Estimado Lord, na nossa vida vez ou outra surge alguém que nos provoca, nos desafia. Eu já amarguei injustiças semanas a fio. Falando sozinha, às vezes chorando ou brigando com a sombra... Todavia, tive na vida algumas pessoas que disseram a palavra mágica me chamando para o desafio... Ouvi na hora da discussão coisas que me feriram, todavia...elas me tiraram do marasmo... mola poderosa que me impulsionou para cima, me fez superar meus limites. E o melhor, depois a vida me presenteou com vitórias colocando meus adversários para me aplaudir na platéia.
Estimado Lord, eu gostaria de estar junto dos teus "amigos", te aplaudindo na tua vitória.
Grande abraço
Joieli Fernandes
Brasil

Lord Broken Pottery disse...

Joieli,
Acho que você tem razão, a vida é mesmo um jogo de ganha e perde. Gostei muito de ter você por aqui, lendo meus textos, me dando a alegria de sua visita. Estou muito feliz com essa nova amizade.
Grande beijo

Van disse...

Lord, querido....
Saudades de você.
Saudades das primaveras e da primavera das palavras.
Saudades das janelas abertas para as tempestades....

Saí. Me perdi. Sumi. Doí.
Mas não me esqueci do que é fundamental...

Voltei.
Voltei pra mim.
Agora só falta voltar tu!
Pra ti, pra mim, pras palavras, primaveras e janelas.

"O resto... Bobagens, meu filho. Bobagens..."

Beijucas + Saudades imensas.

PS: Tô com blog novo tb. Nem sei se há espaço pra tantos, mas foi por pura sobrevivência. Necessidade de mergulhos mais profundos dentro de mim. Quando puder e quiser, vem mergulhar também:
INNER ME - www.inner-van.blogspot.com

;)

Anônimo disse...

Estimado Lord,
obrigada pelas boas-vindas.
Olhando os comentários aqui vejo quanta saudades despertas aos teus queridos amigos...vou te contar uma coisa: Na infância tive uma amiguinha chamada Cacilda, minha alma gêmea que me amava com pureza de anjo. Trinta anos se passaram, perdi o contato com a Cacilda... casei, descasei, tive filhos e netos... Encontrei a Cacilda no velório do meu tio Ezequias. Eu chorava em silêncio, sozinha. A Cacilda feliz com nosso reencontro ria, me abraçava, chamava as pessoas para dizer: Veja, esta é a minha amiguinha! tão linda! ela dizia.
Então sentou-se no melhor lugar da capela e de longe me chamava sorrindo: Venha! sente-se aqui perto de mim!
Eu não queria conversar... estava triste... então, discretamente fugí.Entre a multidão fiquei quieta até o final.
Acredite meu amigo, quinze dias depois, voltei àquele lugar, para assistir o funeral da Cacilda,a minha amiguinha...
Aquele aceno, foi o que guardei: a última imagem, o último sorriso...
Minha saúde mental ordena que a culpa não me torture... Todavia... bem lá no fundo... eu tive que aprender uma dolorosa lição... Quando nossos amiguinhos nos chamarem para um abraço, devemos ir para dar e receber aquele calor gostoso...
meu querido, receba aqui
meu abraço quentinho.
J.Fernandes

Eduardo P.L. disse...

LORD,

como acredito que seu sumiço se deva a muito trabalho, passei para te avisar que tem uma surpresa para você na Jugioli!

Forte abraço e apareça!

Lord Broken Pottery disse...

Van, querida,
Sempre me emociono contigo, gosto demais de você. Tenho andado numa correria louca, tentando dar conta de atividades muitas, que vou abraçando, deixando acumular, me comprometendo com elas, quando vejo estou atolado, mergulhado até o pescoço em mil compromissos. Acaba sobrando pouco tempo pra mim. É claro que vou visitar você. També sinto saudades.
Grande beijo

Joieli,
A sua história me arrepiou. Bonita e ao mesmo tempo assustadora. Acho que acaba sendo um bom conselho, vou procurar prestar mais atenção nessas delicadezas que muitas vezes deixamos esquecidas.
Grande beijo

Eduardo, meu velho,
Ainda bem que tenho amigos como você, que entendem o sufoco por que passamos às vezes. Já fui visitar a Ju.
Obrigado, amigo.

Meg (Sub Rosa) disse...

Meu querido Lord
Registre aí a sua presença no meu afeto, sempre, e o beijo de Feliz Páscoa.

Claro que morro de triste ;-) de e não vejo a hora de tudo se resolver pelo melhor , porque sou intereseira: ora, gosto de você e quanto mais você estiver bem, melhor eu me sinto.
E quanto melhor você estiver pode ir lá no Sub Rosa.

Mas o que eu quero mesmo é iodo no coração e alegria para nós todos que não deixamos de vir aqui sempre e adoramos você.

Páscoa das boas e gostosas, não caia no doce, viu?
Beijos para Lady Cordélia, as usual.
Meguita

Meg (Sub Rosa) disse...

Putgrilo, Lord, que comentário esquisito o meu:-)))
Não entendi muito bem, mas só sei que é coisa boa hohoho.
+ beijos
M.

Lord Broken Pottery disse...

Meg, querida,
Não estou mal não. Apenas trabalhando muito. Dois livros em fase final de preparação. Um deles já está com data marcada, sai no dia 10 de maio, pela Globo. O outro será editado pela Positivo, uma editora de Curitiba, e deve ficar mais para o fim de ano. Tomaram-me muito tempo. Um deles escrevi sob encomenda, com prazo. Paralelamente a isso, estamos em fase de renovação de contrato de edição do Graciliano, ouvindo algumas editoras, já fui a Salvador por causa disso, irei mais vezes. Na IBM, como se diz, o "bicho" está pegando, tenho trabalhado mais de dez horas por dia. Sobra muito pouco tempo para visitar os blogs amigos, embora eles não saiam de meu coração. A minha esperança é de que seja apenas uma fase. O fato de ter escrito muito por esses dias, com data pra entregar, me deixou um pouco cansado. Mas passa.
Beijo carinhoso

Lord Broken Pottery disse...

Meg, querida,
Não estou mal não. Apenas trabalhando muito. Dois livros em fase final de preparação. Um deles já está com data marcada, sai no dia 10 de maio, pela Globo. O outro será editado pela Positivo, uma editora de Curitiba, e deve ficar mais para o fim de ano. Tomaram-me muito tempo. Um deles escrevi sob encomenda, com prazo. Paralelamente a isso, estamos em fase de renovação de contrato de edição do Graciliano, ouvindo algumas editoras, já fui a Salvador por causa disso, irei mais vezes. Na IBM, como se diz, o "bicho" está pegando, tenho trabalhado mais de dez horas por dia. Sobra muito pouco tempo para visitar os blogs amigos, embora eles não saiam de meu coração. A minha esperança é de que seja apenas uma fase. O fato de ter escrito muito por esses dias, com data pra entregar, me deixou um pouco cansado. Mas passa.
Beijo carinhoso

Lord Broken Pottery disse...

Meg, querida,
Não estou mal não. Apenas trabalhando muito. Dois livros em fase final de preparação. Um deles já está com data marcada, sai no dia 10 de maio, pela Globo. O outro será editado pela Positivo, uma editora de Curitiba, e deve ficar mais para o fim de ano. Tomaram-me muito tempo. Um deles escrevi sob encomenda, com prazo. Paralelamente a isso, estamos em fase de renovação de contrato de edição do Graciliano, ouvindo algumas editoras, já fui a Salvador por causa disso, irei mais vezes. Na IBM, como se diz, o "bicho" está pegando, tenho trabalhado mais de dez horas por dia. Sobra muito pouco tempo para visitar os blogs amigos, embora eles não saiam de meu coração. A minha esperança é de que seja apenas uma fase. O fato de ter escrito muito por esses dias, com data pra entregar, me deixou um pouco cansado. Mas passa.
Beijo carinhoso

Claudio Costa disse...

Milord, que o sufôco passe rápido, não o impeça de respirar... O poeta (Gonçalves Dias?) dizia: Não chores meu filho/não chores que a vida/é luta renhida/que aos fracos abate/e aos fortes só pode exaltar. Se não é exatamente assim, pelo menos a idéia é essa. Avante!

Norival R. Duarte disse...

Caro, Lord:
Hoje, tenho certeza, você irá deixar o que resta de baixo astral e comemorar a Páscoa, porque eu, e todos os seus admiradores - a minha consciência me orienta a pensar por eles - desejamos que o espirito de amor que ela irradia tome conta da sua casa e de todos os que lá habitam. Você incluído, lógico!
Abraços, Norival.

Lord Broken Pottery disse...

Claudio,
Adoro esse poema, sabia alguns trechos de cor, a memória, porém, está me traindo. É, pelo que me lembro, bem como você citou. Estamos por aqui, lutando renhidamente, é o jeito.
Grande abraço, amigo

Norival,
Suas palavras me comovem. A Páscoa tem, realmente, um sentido muito bonito, que precisa ser lembrado.
Grande abraço

Aninha Pontes disse...

Vim trazer um abraço da família.

Lord Broken Pottery disse...

Aninha,
Beijo em você todos e um especial no mano.

denise disse...

Ricardo, depois que esta fase produtiva diminuir o ritmo, você poderá passear mais pela blogosfera. Não se exaspere. Obrigada por ter dado uma passadinha lá no meu humilde cantinho. Também sinto-me honrada com sua amizade.
abraço, garoto

Luciana disse...

Oi! Entrei pra dizer que esses dias tenho trabalhado com textos do seu pai com meus alunos da oitava série do ensino fundamental.
Circuito (3) e Circuito (1), pra ser mais específica.
Particularmente, devo dizer que Circuito (1) empolgou bastante os meninos, porque é um texto todo construído com substantivos, sem verbos - e mesmo assim super inteligível! Meus alunos ficaram brincando de inventar circuitos só de substantivos também... ;)
Os textos constam no livro didático adotado esse ano pela escola, não é lindo? Eu acho muito lindo poder te contar isso.
Um abraço.

Lord Broken Pottery disse...

Luciana,
Também gosto muito dos Circuitos, dos cinco, acho legal para trabalhar em classe. Bom que os meninos estejam gostando. E lindo que você venha aqui me contar.
Beijo muito carinhoso.

Anônimo disse...

Dei uma passadinha nos seus textos de 2007, não resisti e comentei o Coral de Natal... (risos) voce leu?
beijos.
J.Fernandes

Sandra disse...

vai por e-mail meu comentário-desabafo quase igual...

beijos

Norival R. Duarte disse...

Caro Lord Broken:
Se conselho curasse dívidas, ops, quis dizer dúvidas: corra pra esquina da sua rua, entre na Igreja Universal (tenho certeja de que na sua rua também existe uma), faça a sua inscrição, e comece imediatamente a cantar "Aleluia, Aleluia, o Senhor é o meu pastor!". Você irá se rodear de novos irmãos maravilhosos.
Afinal, os caras não tiram caroços dos peitos das mulheres, maus olhados, encostos, dor de cabeça e tudo o mais, de acordo com o folhetim que acabaram de me dar na minha esquina?
Depois você me relata da experiência. Se topar!
Abraços, Norival.

Lord Broken Pottery disse...

Joieli,
Já vi e comentei, gostei muito.
Beijo

Sandra,
Estou indo ler.
Beijo

Norival,
Já que você fala em dívidas, acho que ficarei devendo.
Grande abraço

Blog do Beagle disse...

Saudade!!!!!!!!!!!!!! Bjkª. Elza

Mário disse...

Sei como é iss, Lord. Quinze anos numa instituição financeira me mostraram bem esta dificuldade de sobrevivência profissional. Aguardo a sua volta, quando puder. Bom domingo para você. Forte Abraço.

valter ferraz disse...

Caco, passo para deixar um abraço.
Tirei o domingo para fazer visitas. Virtuais, claro. Que não tenho saco para contatos mais de perto.
Ando tão esquivo quanto o tempo raro que voce alega.
Dou um tempo, talvez volte. Tudo é muito incerto. Pode que não volte também e isso não será o fim do mundo.
Contrariando os amigos que insistem em dizer que a blogosfera não é a mesma, concluo que a vida prossegue no seu ritmo, independente de voce ou eu. Somos meros coadjuvantes.
Bom final de domingo.
Beijo do mano

adelaide amorim disse...

O Lord ainda demora? Anda fazendo falta...
Beijo, boa semana.

av disse...

Concordo, Adelaide.
Cadê seus belos textos, amigo Caco?
Beijo grande

Anônimo disse...

Bom dia caro Lord,
Quando puder visite-me

http://musicaljfernandes.zip.net

é muito bom te imaginar aqui lendo e rindo com minhas pequenas histórias.

grande abraço,
J.Fernandes

Lord Broken Pottery disse...

Elza,
Também tenho sentido saudades de vocês e de mim próprio. Não encontrar tempo para escrever é quase um desastre para mim.
Beijo

Mário,
É bem isso, e todos os problemas relacionados a isso juntos.
Grande abraço

Valter,
O problema é que tenho sido coadjuvante de mim mesmo. O Caco não tem conseguido ser personagem principal da própria vida. Uma correria louca, problemas imensos, está difícil. Bom te ver por aqui, mano.
Beijo grande

Adelaide,
Se demoro? Gostaria de poder voltar ao velho ritmo brevemente. Por enquanto tenho que dar conta de problemas sérios que estão acontecendo em minha vida. Preciso dar conta deles. Sem isso não consigo paz pra escrever, nem volúpia.
Beijo grande

Ana,
Falando em belos textos recebi uma visita do correio que comentarei por e-mail.
Beijo

Joieli,
Espero que você me perdôe essa falta de presença, por enquanto. Estou com alguns problemas em minha vida particular que estão me tomando mais tempo do que eu gostaria, além de me bagunçar completamente a rotina. Breve estarei acompanhando a nova amiga que arranjei, dona de textos excelentes.
Grande beijo

M. disse...

Amigo Lord, cá estou arrumando casa nova, chega de saudade né?
carinho meu, lindos dias,
beijos
Márcia(clarinha)

Tatiana disse...

Que passa, meu amigo?
realmente sumido.
sinto falta de você por aqui.
espero que tudo se resolva logo. e volte.

Lord Broken Pottery disse...

Márcia,
Para uma carioca a frase é perfeita.
Beijo grande

Tatiana,
Também espero resolver as coisas o mais breve possível.
Beijo grande

adam brown disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Maria Helena disse...

Lord,
O tempo é seu, use-o a seu favor, e volte carregado de boas energias e revigorado, para nos presentear com seus belos textos.
Bjs

Lord Broken Pottery disse...

Maria Helena,
Obrigado. Estou tentando muito.
Beijo

Tatiana disse...

Tão bom te ver por lá!
Um carinho pra lá de especial!

Aninha Pontes disse...

Que vocês tenham um lindo domingo.
Beijos.
Estamos por aqui, e vocês em nosso pensamento.

MUMIA disse...

Passei só para dizer boa tarde.

Silvares

MUMIA disse...

Passei só para dizer boa tarde.

Silvares

Lord Broken Pottery disse...

Tatiana,
Digo o mesmo. O show foi delicioso, o CD uma maravilha. Parabéns!
Grande beijo

Aninha,
Sei que posso contar com o carinho de vocês.
Grande beijo

Silvares,
Bom ter notícias suas.
Grande abra~ço

Alena disse...

Lord, "Tenho andado dolorosamente longe das postagens e das visitas aos blogs amigos. Isso me faz mal, deixa-me atarantado, sem ter onde por os pés, deitar raízes. Preciso desse contato para ter serenidade, alegria, equilíbrio. Escrever é talvez minha principal válvula de escape."

Poxa, estou dolorosamente longe também, sentindo falta dos blogs e da leitura, prometi a mim mesma que a partir desta semana volto à ativa (amém).

Um beijo e saudades, vou atualizar a leitura por aqui.

Lord Broken Pottery disse...

Alena,
Que bom ver você, estava com saudades!
Grande beijo